Marcelo Katsuki

Comes & Bebes

 

Harmonização com uísques



Depois das harmonizações com vinhos, chás e até com águas, finalmente chegamos aos uísques! Agora sim (fala Heleninha, kkkkk!). E preciso dizer que foi uma grata surpresa. Primeiro porque pensei que o destilado explodiria na boca e anularia qualquer expressão por parte dos alimentos, mas estava enganado. Segundo porque tive a super companhia da Alexandra Corvo, que com seu olfato afiadíssimo, conseguiu detectar até aroma de casca de limão nos blends. Incrível!

O menu de degustação foi criado pela chef Paola Carosella do restaurante Blu (R. Amauri, 225, Itaim Bibi - tel: 11-3167-4651) e privilegia os aromas originais dos ingredientes, que foram harmonizados (por similaridade e também por contraste) com os uísques. Paola foi de uma sensibilidade ímpar para criar um menu que não apenas se harmoniza com os destilados, mas também apresenta um interessante 'desenho', com nuances de sabores e texturas que evoluem ao longo da ceia. Vocês acham que estou viajando, né? Pois então vão lá conferir. É uma 'viagem' e tanto!



Crudo: três lâminas de peixe gordo marinados em confit de gengibre, wasabi e alga nori, degustados com "Johnnie Walker Blue Label" (21 anos). Os aromas de carvalho e mel produziam diferentes resultados com cada naco de peixe, em especial com o de alga nori, com seu sabor seco mas intenso.

Manchego espanhol e shitake cru: a refrescância do prato, composto ainda por avelãs e brotos de beterraba, uvas passas e mel resultou na minha harmonização favorita, com o puro malt do "Johnnie Walker Green Label" (15 anos), marcante, com notas florais além de castanhas e jasmim. Pena que não tem foto (tava escuro!)



Brasato: o peito de boi cozido por 7 horas no vinho harmonizou com os toques de cravo e mel do "Buchanan's 18 anos", favorecido também pela presença do purê de batata doce. Esse uísque possui nuances femininas: é doce, delicado, mas tem muita personalidade.



French Toast de brioche com mozarela de búfala: levava ainda figos, tomilho, mel de balsâmico e baunilha de madagascar. Mas o grande trunfo dessa harmonização com o "Johnnie Walker Swing" era o pão queimado acompanhando o forte aroma defumado da turfa. Outra grande combinação!



Torta úmida de chocolate amargo belga: com Fromage Blanc, lavanda e praline de pistache, harmonizado com "Johnnie Walker Gold Label". Essa harmonização é clássica, já que o Gold Label é considerado um uísque 'de sobremesa' e, guardado no congelador, adquire consitência licorosa e equilibra o forte aroma turvado com o carvalho. No nariz, você quase não percebe que é um uísque. Mas a sobremesa da Paola é para se comer lentamente, sem desperdiçar um milímetro de sabor.

Para finalizar, uma curiosidade: na Venezuela essa harmonização é bastante comum, pois as pessoas comem bebendo uísque. Para se ter uma idéia, o consumo 'per capita' de uísque no país é maior que na própria Escócia, segundo a María José Salvatore, executiva da Diageo argentina. Outra: o Brasil é o segundo maior mercado de Johnnie Walker Red Label do mundo! E além de São Paulo, o Nordeste responde por boa parte das vendas. 'Keep walking...'



1º Scotch Whisky Festival
Menu degustação: R$ 150,00 (inclui pratos, uísques e água)
Vai até 18 de julho!

Escrito por Marcelo Katsuki às 09h16

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Creme de queijo para espantar o frio

Deixa eu postar alguma receita, antes que tenha de mudar o nome do blog para "bebes&comes" como insinuou o Paco, hehe. E olha que eu já ia atacar de vinho argentino, mas fica para amanhã! Se bem que essa receita abaixo vai muito bem com um vinhozinho...

Vamos lá: o Josephine (r. Jaques Félix, 253 - Vila N. Conceição - tel: 11-3842-5891) incluiu no seu cardápio cremes para aquecer essas noites frias (tá frio mesmo, hein?) de inverno. As opções são de queijo, abóbora, champignon, espinafre e cebola, que podem ser servidos no pão italiano ou na moranga e custam R$ 14,90.

As receitas foram criadas pelo chef Cícero Gomes. Abaixo, a receita do ‘creme de queijo’, para quem gosta de se aventurar na cozinha!






Creme de queijo
Ingredientes:

- 200g de cream cheese
- 2 colheres de manteiga
- 750 ml de leite
- 1 xícara de farinha
- 1 lata de creme de leite
- Parmesão ralado
- Sal e pimenta a gosto

Misturar todos os ingredientes numa panela e levar ao fogo baixo. Depois de cozidos, retirar do fogo e bater no liquidificador. Servir quente.

Dica do chef: tome cuidado para não deixar o creme de leite ferver.

Escrito por Marcelo Katsuki às 09h51

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Breve viagem pelo mundo do vinho

Breve viagem pelo mundo do vinho



Apesar de levemente febril, dei uma rápida passada no Tour Mistral que encerrou ontem no Hilton (mas percorre agora outras quatro capitais brasileiras). O evento é uma ótima oportunidade para conhecer os produtos de algumas vinícolas de diversos países (principalmente do Novo Mundo) e ainda para adquirir vinhos com descontos e condições especiais de pagamento. Algumas notas:

- De Portugal, provei as Vinhas Velhas, Vinha Barrosa e Vinha Pan do Luis Pato. Aprendi a gostar de vinho com os portugueses, e esses fizeram bonito na 'feira'. Excelentes.
- Provei um 'grego' tão diferente que antes de levar à boca, senti um aroma forte de oliva. Teria sido algum insight mediterrâneo?
- Passei boa parte do tempo provando Jerez e 'hablando' com o José da Hidalgo. Tomei um Jerez de 20 anos de barrica e um Brandy potente, mas fiquei encantando mesmo foi com as Manzanillas com seu delicioso perfume de maçã.
- Achei os vinhos da Nova Zelândia estranhíssimos. O nome de um deles era sugestivo: "Te mata". Uih...
- Na França tomei alguns Bordeaux interessantes, mas nada de muito especial.
- Dos argentinos, gostei dos vinhos da Catena Zapata e da Tikal. Na verdade, gosto muito dos argentinos e não provei os Alamos e Altos las Hormigas porque já conheço e sei que têm uma ótima relação custo x benefício.
- Da África do Sul não podia deixar de provar alguns exemplares de Pinotage, minha uva favorita. E não é que a Beyerskloof me surpreendeu com um espumante Pinotage Rosé Brut! Incrivelmente seca, muito floral e com uma cor incrível. Saí de perto para não cair em tentação e corri para casa para tomar o antitérmico.

Próxima parada do Tour Mistral? Hoje em Belo Horizonte e amanhã, Brasília.

Escrito por Marcelo Katsuki às 00h29

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | Evento | PermalinkPermalink #

Vinho & algo mais

Vinho & algo mais



Puxa, eu nunca mais vi o Marcelo Copello, meu companheiro de viagem à Castilla y León. Mas tenho me lembrado dele com freqüência. Toda vez agora que degusto um vinho lembro da concentração dele e dos toques legais que ele me deu. Vinho é uma grande paixão, e quanto mais você se envolve, mais quer se deixar seduzir. Aquela viagem mudou muitas coisas, principalmente meu olfato. Degustar tantos vinhos de uma só vez acabou deixando-o aguçado demais para o meu bolso. E meus pobres vinhos 'de combate' estão condenados agora ao sagú, como me disse um amigo. Sagú? Que maldade, gente, dá pra fazer um 'coq au vin' ou ainda uma 'pêra ao vinho' também, hehe.

Pois é, tô aqui nesse trelelê todo e quase me esquecendo de falar o principal. Acabei de ler o livro Vinho & algo mais do Copello numa golada só! Ele cria relações do vinho com diversos temas, como vinho & música, vinho & religião, até temas divertidos como vinho & carnaval e vinho & cachorros! Sem esquecer de vinho & mulheres, afrodisíacos e erotismo. Tudo escrito de forma muito agradável, equilibrada, com taninos suaves e grande elegância, hehe. Mas nada de safras, regiões ou uvas; o livro fala da relação do vinho com o homem e seus sentimentos. Para ler e reler.

Escrito por Marcelo Katsuki às 23h35

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | Prateleira | PermalinkPermalink #

Com a faca na mão



Tá, é autopromoção, mas ficou engraçado! Um pouco da história do blog contada por terceiros tem sempre uma novidade (e uma graça a mais). A revista Imprensa desse mês deu uma nota falando sobre o meu início na cozinha, além da minha 'dupla' jornada de trabalho (agora tripla, desde que assumi a editoria de foto!). Sem falar numa receita de mai tai com 'licor de cacau', eca. Eu gosto de mai tai mas o de lichia do Obá!!! Enfim, deu para me divertir. Zapt!

Não tá conseguindo ler? Clique aqui.

Escrito por Marcelo Katsuki às 09h39

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Passeio doce por Londrina



O finde foi no Paraná, e em virtude do aniversário da minha sobrinha Jéssica, passei boa parte do tempo visitando confeitarias atrás de bolos e doces com a minha irmã.



A que eu mais queria conhecer, Hachimitsu ('mel', em japonês) estava fechada, mas acabei me deliciando com uma torta "Macedônia" na Mister Cuca (r. Sergipe, 1524 - Londrina), rocambole de pão-de-ló com geléia de morango na base e recheio de leve creve de pêssego com frutas glaceadas. Doce, doce, doce!



Provei ainda o sorvete de 'chocolate escocês', que além do chocolate, levava doce de leite e uísque! Muito bom! Compramos os dois bolos (da primeira foto) e seguimos nossa jornada.



Outro lugar que me surpreendeu foi a Nelson Boulangerie (av. Madre Leônia Milito, 446 - Pq. Guanabara), com pães super macios de textura quase aveludada. Pelo que minha irmã me contou, o Nelson estudou na França e no Japão, e agora mescla técnicas que resultam em pães leves e doces mais sutis, bem ao gosto japonês.



O creme patissiére é tão suave que você jura que nem engorda, hehe. E os pãezinhos em formato de caranguejo (com recheio de peru) ou de porquinho (com creme)? Muito simpáticos, além de saborosos, claro! Tudo de uma delicadeza ímpar, sem falar na casinha em que fica a boulangerie, com um jardim bem cuidado.


['Zóião']


No fim ainda demos uma passada rápida no Pátio San Miguel (av. Higienópolis, 762, Centro) para comprar bombons de morango, encomendar mais um bolo e alguns salgados, e acabei descobrindo o "zóião", o doce de côco com gemas, chocolate e capinha de caramelo. Comi, comprei pra levar e ainda experimentei uns brigadeiros (minha perdição). Áfe, ando formigão demais...


[E olha o que eu achei saindo do 'Pátio': uma loja/bar especializada em vinhos! Mas essa fica pra próxima viagem.]

Escrito por Marcelo Katsuki às 11h43

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Anime o seu finde!

Anime o seu finde!



Tá, o clip não tem nada de comida, além das duas cerejinhas que aparecem rapidamente, hehe. Mas pra quem curte camisetas como esse 'jovem senhor' aqui, é pura diversão! Musiquinha animada (indicação do DJ Márcio Vermelho), imagens sugestivas, aquele climinha pré-balada.

Aproveite para conhecer o incrível Guia Playboy de Coquetéis, ou vá para o 'barman virtual' do Portal dos Coquetéis. Você indica as bebidas que tem em casa e ele sugere os drinques com as receitas e tudo! Pra começar o final de semana animadíssimo!!!

P.S. Esse clipe vai para o meu amigo P.A., companheiro de algumas/muitas farras gastronômicas.

Escrito por Marcelo Katsuki às 16h47

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | Mixer | PermalinkPermalink #

Tarsila e o menu Trilogia



Eu adoro restaurantes de hotéis, com suas entradas monumentais, pés direitos elevados, lustres reluzentes, enfim, 'o' cenário! Isso me faz lembrar daquela frase da Ruth Reichl em 'Alho e Safiras': "Todo restaurante é um teatro, e os verdadeiramente excelentes nos permitem entregar-nos à fantasia de que somos ricos e poderosos... Restaurantes nos libertam da realidade mundana: isso faz parte do seu charme". Pois é, me lembrei disso nessa semana quando fui conhecer o menu Trilogia do restaurante Tarsila no Hotel Intercontinental.



O premiado chef Marcelo Pinheiro -vencedor do "Gran Concurso Azteca" que lhe rendeu a oportunidade de representar o Brasil no "Bocuse D'or"- criou um menu de degustação com 14 pratos, todos harmonizados com bons vinhos, ao custo de R$ 125,00. Um preço bastante justo, considerando-se a qualidade dos ingredientes e dos vinhos; isso sem falar na técnica apurada do chef ao preparar pratos que agradam aos olhos e ao paladar. A idéia, segundo Pinheiro, é difundir o hábito da degustação e da harmonização com vinhos, ainda pequeno no país.



De 'amuse bouche' (ou 'divertimento de boca', como diz a chef Tereza Paim), camarões salteados com cuscuz marroquino, com um leve perfume defumado, que foi muito bem com o Chardonnay Morandé.



O mesmo Chardonnay acompanhou o primeiro prato da 'trilogia': pata de caranguejo com pimenta doce e uma instigante emulsão de cupuaçu, vieira com molho de cajá (uma das minhas frutas favoritas) e cavaquinha com caviar e geléia de gengibre, o doce-salgado perfeito.



A segunda 'trilogia' trazia risotos criativos, como o de quinoa com bacalhau (no ponto!), o de rizoni com camarão e balsâmico e o encorpado risoto de abóbora com chorizo, perfeitamente harmonizados com um Malbec Los Cardos.



Pequena pausa para descansar o paladar com um sorbet de manjericão delicioso!



A quarta 'trilogia' harmonizava um Gran Tarapacá Cabernet Sauvignon com gratin de magret de pato com manga, uma deliciosa combinação de foie gras com marrom glacê e um carré de cordeiro com cogumelos ao molho de pimenta jamaica, sabores intensos mas perfeitamente emoldurados pelo vinho.



Para fechar, a doce 'trilogia': um denso e maravilhoso creme brulée de bacuri que concorria em sabor com o sorvete de cupuaçu com 'tuille' de abacaxi e um tempurá de dois chocolates que lembrava uma versão melhorada do petit gateau, muito mais saboroso e rico em texturas. Para acompanhar, um Late Harvest Terra Nova, que segurou bem toda a doçura dos pratos.

Dispensei o café e os petit fours para garantir a boa noite de sono. Pena que não foi no hotel, daí sim a noite de sono (e de sonho) estaria completa!

Restaurante Tarsila
Hotel Intercontinental
Al. Santos, 1123 - Jardins - S.Paulo/SP
Tel: 11-3179-2653

Escrito por Marcelo Katsuki às 09h49

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Amuse bouche



Os alunos de Gestão em Gastronomia da Universidade Paulista UNIP (Av. Torres de Oliveira, 330 - Jaguaré, São Paulo/SP - Tel: 11-3767-5800) promovem nessa terça, dia 29 de maio de 2007 a partir das 19h, um evento que terá como tema o Tanabata Matsuri também conhecida como “Festival das Estrelas”. A abertura do evento terá como convidado o sr. Jo Takahashi (diretor cultural da Fundação Japão) e a sra. Michiko Okano, coordenadora do Projeto Sabores e Saberes do Japão.

Haverá apresentação de Taikô, os tambores japoneses, além de uma aula-degustação de "okonomiyaki" (a 'pizza' japonesa) e "niku buta karê" (carne ao molho de curry) para os convidados. Evento gratuito com acesso mediante inscrição pelo e-mail: contato@chefcarlosribeiro.com (até o dia 28 de maio).






Exótica! A H2OH!, a bebida que foi sucesso nesse verão chega na Casa Cor desse ano customizada pelo Marcelo Rosenbaum, que se inspirou no movimento art toys e na cultura local para "fantasiar" a garrafa com peças de crochê para criar personagens como a sereia Iara, ícone do folclore popular. O mimo poderá ser adquirido no Gift Shop da mostra. Objeto do desejo?






A Lanchonete da Cidade (Alameda Tietê, 110, Jardins - Tel: 11-3086-3399) está lançando o hambúrguer de kobe beef!!! Batizado de Bombom DeLuxe, foi criado com a supervisão da chef-consultora Ana Soares. O resultado é um luxuoso hambúrguer com 220 gramas do especialíssimo kobe beef no exclusivo pão bossa-nova preto (R$ 23,80) sapecado com uma maionese especial de raiz forte. Esse eu vou lá correndo provar!

Escrito por Marcelo Katsuki às 00h40

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Duas sopas vapt-vupt

Duas sopas vapt-vupt



Esfriou, né? Agora eu preciso confessar uma coisa: não sou muito fã de sopas. Nem no frio! Se bem que tem uma que eu não resisto, a sopa trovão (não é brincadeira) do restaurante Taizan, um dos melhores chineses da cidade. Você tem que provar, é um prato muito rico em sabor: meio acre, picante, doce, tudo numa colherada só. Eu já pedi a receita mas dá trabalho. Até engrossar o caldo... melhor ir comer lá mesmo.

Mas a conversinha aqui é outra: mandioquinha e abóbora japonesa. Compro os legumes descascados e picados em pacotinhos de 300g no hortifruti e faço sopas quase tão práticas (e rápidas) como as instantâneas. Para cada pacotinho frito uma cebola micro picada em uma colher de sobremesa de margarina. Dou uma salteada de leve no legume escolhido, completo com um litro de caldo de galinha bem suave e cozinho tampado por meia hora, daí desmancho tudo com um mixer de mão ou um socador de feijão mesmo.

A sopa de abóbora costumo finalizar com raspas de gengibre ou com pedacinhos de gorgonzola por cima e a de mandioquinha com pedacinhos de lingüiça frita, bem sequinha. Coisas que sempre tenho no freezer, e quando não tenho, tomo assim pura, como na foto. É até mais saudável - e gostoso - pois realça o sabor natural do alimento. E agora deixa eu ir fritar o meu bife...

Escrito por Marcelo Katsuki às 00h13

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | Comes | PermalinkPermalink #

Pier Paolo de casa nova



O jovem chef Pier Paolo inaugurou ontem sua nova casa no Itaim Bibi (agora sua mesmo), onde deverá exercitar todo seu talento focado na cozinha de raízes italianas mas com toques contemporâneos. Pier Paolo ficou conhecido por ter atuado em casas como o Emiliano e o Café Antique, além de ministrar aulas em escolas de cozinha como a Viandier.


[amostra promissora]


Seguindo a tendência do retorno à comida simples, o cardápio traz pratos como o carré de leitão com feijão branco (R$ 41,00) e o nhoque ao ragu de ossobuco (R$ 30,00). De sobremesa há a reconfortante pêra cozida ao vinho com açafrão e mascarpone (R$ 12,00) e a panna cotta de café com morangos caramelizados (R$ 10,00).


[os chefs 'vizinhos' Pier Paolo e Volmar Zocche, do Piove]


O ambiente é bem aconchegante, com pé direito alto e mobiliário assinado com cadeiras Bertoia e Charles Eames. Não deu para reparar muito nas obras do artista plástico Tide Hellmeister, pois o coquetel estava bem concorrido, mas considerando-se as amostras servidas - como o capeletti com pesto - a cozinha promete. Vou voltar lá para provar as novidades e depois conto tudo!

Picchi Ristoranti
Rua Jerônimo da Veiga, 36
Itaim Bibi - São Paulo
Tel: 11-3078-9119

Escrito por Marcelo Katsuki às 09h22

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Três receitas de dar água na boca

Três receitas de dar água na boca



A aula-jantar na Viandier foi uma delícia, literalmente. Os chefs executaram algumas receitas e passaram as demais com explicações detalhadas e sem segredos, para dar tempo da gente se acabar no jantar servido no restaurante da escola. Tive ainda a assessoria da chef Elsie Siciliano e da Beta, minha "melhor amiga de infância", para desvendar os sabores do 'ora pro nobis'. Muito bom, é quase uma 'alga marinha' mineira, gente! (como se isso fosse possível, hehe). E como eu sempre digo, promessa é dívida. Abaixo, as três receitas que vocês pediram.



Escondidinho
Ingredientes:
- 1 kg de Mandioca cozida
- 1 lt de leite
- 100g de manteiga
- 200g de queijo parmesão
- 400g de carne seca desfiada
- 50g de bacon magro
- 100g de cebola picada
- 40g de alho picado
- 200g de tomate pelado
- QB de sal e pimenta do reino

Modo de preparo:
Bater a massa de mandioca cozida e processada com o leite, queijo e colocar para ferver com a manteiga. Depois de cozida e desfiada a carne seca colocar em uma panela o bacon para perder a gordura. Acrescentara cebola e o alho e deixar dourar. Jogar a carne, os tomates e água se necessário. Em uma travessa que vá ao forno colocar a carne e por cima o purê de mandioca. Levar para gratinar.
[10 porções por receita]



Pudim de Siri
(ou pudim 'arrasa-quarteirão': furei a fila, comi, repeti e agora terei de ir até Salvador para matar as saudades no bistrô da Tereza!)

Ingredientes:
- 1 kg de siri limpo e desfiado
- 200g de tomate picadinho
- 200g de cebola picadinha
- 50g de coentro bem picadinho
- 45g de cebolinha bem picadinha
- 250g de parmesão
- 150ml de leite
- 100ml de leite de coco
- 100ml de azeite de oliva
- 4 ovos
- 1 unid de alho socado
- 2 limões (suco)
- QB de sal e pimenta do reino

Modo de preparo:
Lave o siri com limão, desfie e reserve. Refogue os temperos e o siri até ficar bem seco e reserve para esfriar. Misture o leite, o leite de coco e os ovos, com um fouet. Com o siri frio adicione o molho e o queijo. Coloque em forminhas untadas com azeite e leve ao forno em banho-maria por 30 a 35 minutos em 200°C. Desenforme e sirva com redução de melaço e balsâmico.
[50 porções por receita]



Pudim de Tapioca

Ingredientes:
- 750ml de leite morno
- 1 lata de leite condensado
- 1/2 xícara de tapioca
- 2 xícaras de açúcar
- 1 xícara de coco ralado fresco
- 3 ovos inteiros
- 3 gemas
- 1 colher (sopa) de manteiga derretida
- Laranja em gomo picada para enfeitar
- Filetes de pimenta dedo de moça

Modo de preparo:
Hidrate a tapioca com leite morno e deixe por 1 hora. Adicione todos os ingredientes e leve a assar em forminhas untadas com manteiga e açúcar, em banho-maria a 200°C, tampado. Deixe em geladeira.

Montagem:
Desenforme e sirva com laranja em gomo picada e enfeite com e filetes de pimenta dedo de moça. Essa versão da foto foi servida sobre uma calda de laranja com maracujá e cenoura. Saudável!
[18 porções por receita]



E para terminar, o 'pratinho' de sobremesa da Beta. Ela comeu duas compotas de limão sim, mas eu explico: uma era com doce de leite (com pouquíssimo açúcar) e a outra com doce de coco, uma coisa do outro mundo! E essa 'capinha' queimada era o queijo da Cartola. Bom demais!

Escrito por Marcelo Katsuki às 00h13

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | Comes | PermalinkPermalink #

Um tour pelos vinhos do mundo



A 2ª edição do Tour Mistral 2007 será realizada entre os dias 28 de maio e 2 de junho e reunirá as maiores vinícolas da África do Sul, Argentina, Austrália, Chile, Espanha, França, Itália, Nova Zelândia, Portugal e Uruguai para apresentar ao público mais de 150 grandes vinhos de cerca de 30 produtores. Eu mal voltei dos vinhedos da Espanha e já vou mergulhar no vinho de novo, hehe.

O foco do evento continua sendo os países do Novo Mundo (embora haja alguns participantes do Velho Mundo também) e além de degustar a grande diversidade de vinhos desses produtores, o público terá a oportunidade de aprender um pouco mais sobre a cultura vitivinícola de cada um destes países. Legal, né? Eu vou!

Locais e datas:
- São Paulo - dias 28 e 29/05, no Hotel Hilton
- Belo Horizonte - dia 30/05, no Hotel Mercure Plaza
- Brasília - dia 31/05, no Lakeside Hotel
- Curitiba - dia 01/06, no Hotel Pestana
- Rio de Janeiro - dia 02/06, no Hotel Sofitel


[Participantes confirmados: Ernesto Catena (Tikal), Estela Perinetti (Caro), Luca Martelli (Sassoaloro), Luis Pato (Luis Pato) e Nicolas Catena (Bodegas Catena Zapata)]


Serviço:
- Horário: das 17h às 22h
- Preço: R$ 150/dia
- Reservas e informações: (11) 3285-1422 e 3372-3400 (não haverá venda de ingressos nos locais)
- Email: tour@mistral.com.br

Escrito por Marcelo Katsuki às 08h22

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Varredura no duty free



"Comes&Bebes" também é consumo!!! (E adora um free shop, hehe). Para aliviar a ansiedade consumista reprimida durante a viagem, nada como investir as economias em achados no duty free. Ainda meio tonto com a viagem, achando tudo interessante e absolutamente necessário para o dia a dia. Depois chora...

1. Cooler para bebidas: aquece garrafas de saquê, gela espumantes, resfria tintos e brancos na medida; vem com controle de temperatura! Sim, funciona, vi na casa da doutora Sissy e passei dias sonhando com o brinquedo. US$ 69, meio caro, mas muito útil daqui pra frente!

2. Sugar 'n' Spice Vanilla: torrões de açúcar com pedaços de fava de baunilha. Pra polvilhar no leite, no café, sorvete, bolo, pudim ou na língua mesmo. US$ 7 que vão fazer a alegria do seu dentista!

3. Absolut Pears: o mais novo sabor da vodca Absolut por US$ 16. Tomei 'cowboy' lá mesmo e desceu levinha, levinha. Depois da 'prova', as compras fluíram que foi uma beleza. Foi a pêra.

4. Copos da Spiegelau: a famosa marca de taças para vinho tem copos sofisticados para uísque com cristal de primeira por US$ 5 cada. Mais barato que aquele copão de uísque de vidro do supermercado! Eu sempre digo: quem procura, acha!

Escrito por Marcelo Katsuki às 10h30

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Festival da gastronomia brasileira

Festival da gastronomia brasileira

É hoje! Nada como voltar ao país e se jogar num festival de comidas brasileiríssimas! A Viandier Casa de Gastronomia (Al. Lorena, 558, Jardins) preparou para hoje, às 19h30, uma aula com jantar elaborado a seis mãos pelos chefs Mônica Rangel, Tereza Paim e Carlos Ribeiro. No cardápio, especialidades mineiras, baianas e paraibanas. O preço é R$ 160,00 e inclui a aula com os três chefs seguida de jantar com todos os pratos acompanhados de espumantes e tintos. Acho que vou ter que adiar a minha dieta de segunda-feira, hehe! Reservas e informações pelo telefone (11) 3057-2987. Ótima oportunidade para arrancar alguns segredinhos dos chefs! Os pratos você confere abaixo. E se você gostou de alguma receita, indique-a nos comentários que tentarei publicá-la aqui, que tal?

Escrito por Marcelo Katsuki às 07h39

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | Evento | PermalinkPermalink #

Fim da viagem



Eu adoraria terminar essa viagem postando uma frase do Luiz Horta que li no livro dos gêmeos: "A vida e a viagem são um clichê bem surrado, mas sempre se pode fazer dele um pouco de literatura." Linda, não? (daqui a pouco vou fundar o fã-clube do Luiz, hehe)

Mas se não tive tempo sequer para dormir, que dirá para tentar fazer alguma literatura, gente? Conseguia descansar de duas a três horas por noite e a sonhada 'escapada' de uma semana da redação se transformou em uma verdadeira maratona enogastrômica: acordar e ter de percorrer vinhas extensas, subir em tonéis e barricas de fermentação, degustar 8, 10 vinhos de uma vez, correr para outra vinícola, caminhar por entre mais algumas vinhas, degustar mais vinhos, almoçar e voltar para o circuito de novo até anoitecer para então mergulhar em degustações de 8, 10 pratos. Não tô reclamando, gente, foi uma oportunidade incrível, mas o corpo 'véio' sentiu, hehe.

A exaustiva rotina poderia ter sido um sacrifício, não fosse tão estimulante. Conhecer Castilla y León (Castela e Leão), uma região da Espanha que eu só ouvira falar por conta de Segóvia e pela cidade de Tordesilhas. Mas havia muito a ser explorado: as vinícolas (ou 'bodegas', como são chamadas) tão famosas como a mítica Vega Sicilia, as indústrias de embutidos como o jamón ibérico e a cecina (similar ao jamón mas feito de carne de vaca) e as fábricas de queijos de cabra, de ovelha e de vaca.

Junte-se a isso a incrível companhia do Marcelo Copello (editor da revista Adega), uma grande figura e meu 'guru' sobre o assunto a partir de agora; a vibe jovem do nosso intérprete Fábio, um pernambucano arretado que se revelou um promissor gourmand e a assessoria da Henar e do Haru, nossos anfitriões da Excal, que nos levavam para cima e para baixo o dia todo e ainda faziam hora extra para garantir nosso conforto e alguma diversão 'pós-expediente'.

Enfim, a jornada acabou. Mas fica a lembrança de quase 100 vinhos degustados (muitos tristemente condenados à 'cuspideira', não dava pra tomar tudo - e nem se deve). Há muitas histórias, talvez um pouquinho de literatura, mas com certeza muitas fotos! Como disse meu xará, o Copello, "você não existe sem essa máquinha", hehe. Valeu muito a pena. Aguardem para os próximos dias alguns posts sobre as 'bodegas', os restaurantes e muitas paisagens. Vamos "tomar" essa viagem em golinhos, apreciando cada 'fotinha'', ops, gotinha. Vocês não perdem por esperar.

Escrito por Marcelo Katsuki às 13h57

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Momentos finais em Madrid


[Bem só na foto!]


Depois do verdadeiro espetáculo de sabor proporcionado pelo "cocinillo" (o leitão assado típico da região e maravilha gastronômica da Espanha), partimos de Segóvia rumo a Madri. Deixamos as malas no hotel e seguimos para a porta do Sol, onde acontece uma movimentação frenética de pessoas pelas lojas, cafés e 'taperias', os bares de tapas tão comuns na espanha.

Último dia na cidade e único momento descompromissado da viagem. Ainda que por pouquíssimas horas, resolvemos aproveitar os últimos momentos percorrendo parte do centro, tentando encontrar alguns livros e quem sabe uma boa oportunidade no "El Corte Inglés" (em vão) antes de fechar a visita com uma autêntica paella. No caminho, vários restôs italianos, chineses, de pescados, árabes... mas nada de paellas! Até que em um bar de tapas lotado encerramos nossa busca. Na frente, aquela confusão, todo mundo de pé tomando vinho e comendo tapas, ao fundo o restaurante vazio. Esse é o jantar diário espanhol? Imagina só no Brasil a gente comendo 'sargadinho' e tomando chopp toda noite no lugar do jantar? Haja ranitidina pra tanta azia, hehe!

O Copello caprichou no vinho, e pediu um Faustino I 1995 (um vinho premiado!) exemplar de Rioja e com bom envelhecimento. Adequou a temperatura a contragosto do garçom que queria dar uma 'aula de vinho', kkkkk! Ele não sabia com quem estava lidando! Por fim o vinho estava ótimo, diferente dos que havíamos tomado durante toda a semana, afinal era de outra região. Confesso que estava com vontade de tomar umas 'cañas' (cerveja) mas na hora menti porque a oportunidade de jantar com o Marcelo tomando vinho pode ser rara, não? Um privilégio que tanta gente quer, eu é que não ia encerrar tomando um choppinho barato, hehe.

O vinho estava muito bom, garantiu a despedida em grande estilo. Mas a paella... chegou pálida, com um fundo com gosto de ferro, as carnes com o sabor alterado por gases, velhas, quase não identificáveis. O arroz demasiadamente cru e de bom só a foto mesmo, afinal tinha que registrar. Não ia estragar tudo mandando voltar pra cozinha (poderia ficar pior) e diante da pressa em retornar ao hotel e arrumar as coisas, comemos pouco e partimos com as sacolas em punho. Achar um táxi foi outra novela, mas pior mesmo foi dormir apenas duas horas com o 'risotão' pesando no estômago. Adiós Madrid...

Escrito por Marcelo Katsuki às 23h38

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Entre tapas e queijos

Estou avariado. Fui conhecer uma vinícola em León (ah, sim, gente, estou na Espanha) que planta as videiras em terrenos com até 75º de inclinação e imagina se não rolou um tobogã? Deixei o grupo descer na frente e procurei um 'atalho' menos íngreme, dei uma volta enorme, pulei pedras e numa escorregada boba, deslizei pela terra seca até ficar enroscado num roseiral. Radical demais para o vô Kats, gente, tenha dó!

'Sangre!!!'. Fiquei arranhado de leve, sujo de terra, mas compensei o susto virando todas as taças na degustação e depois 'apaguei' no caminho de volta para o hotel ouvindo um hit local no rádio do carro.

Ah, fiz um trecho do caminho de Santiago! De carro, claro, as pernas bambas não estavam ajudando. E também comi muito: embutidos, queijos e um dos melhores peixes da minha vida.

Aprendi como se faz Cecina, similar ao presunto serrano, mas de carne de vaca, mais magra. Vi a produção de queijos de ovelhas. E fechei a noite com um 'uíscão' de puro malte. Aleluia!



[Produção de queijos da El Pastor, que utiliza leite de ovelhas e de cabras]



[Os defumados da Cecinas Nieto: menos gordura e mais sabor. Abaixo, tentando aprender a cortar a peça sem fazer 'harakiri']





[Cecina com azeite e orégano do restaurante Juan Andrés, o templo do Cocido Maragato -que vai ter um post depois]



[No caminho de Santiago! Mas a caminho do restaurante...]



[Vinhas inclinadas mas com paisagens magníficas!]



[El Ermitaño: estrela no Michelin e um dos melhores peixes da minha vida -também vai ter post depois; comi uns 8 pratos.]



[Uísque do fim de noite: taça maior que a garrafa! Senhor!!!]


Boa noite e até amanhã! Aqui já são 4h da manhã e até o porteiro está mandando eu descansar (é, tô aqui de novo no wi-fi -aqui pronuncia-se uífí- do corredor da entrada do hotel. Ai, esse uífí não tá com nada...

Escrito por Marcelo Katsuki às 22h02

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Hola! Enfim wi-fi!!!

Cá estou, no terceiro hotel (ou seria o quarto?) finalmente com acesso wi-fi, ainda que no corredor da recepção, porque no quarto nem pensar. A viagem é a maior maratona de que já participei: desde sábado, dormi apenas uma noite (5 horas), mas já visitei 6 vinícolas e tomei mais de 60 vinhos. Claro que tenho usado a o 'baldinho' (cuspideira) mas diante de vinhos de mais de mil pratas ou avaliado com nota máxima pelo Parker (crítico de vinhos americano), tenho cedido à tentação e apreciado algumas tacinhas.

As refeições (harmonizações) também não têm ficado atrás. Os menus são incríveis, e mantém muitas características da cozinha regional. Uma cozinha contemporânea 'de autor', mas com os pés fincados na tradição. Delícia.

Abaixo, algumas imagens do tour. No momento me encontro na cidade de Benavente, província de Zamora. Depois postarei com calma. São quase 3h da manhã e levanto às 6h30, daqui a pouco, para mais uma jornada de trabalho (com fuso horário de 5 horas!). Até!



[Doces portugueses, tão simples, tão leves, tão saborosos!]



[Oil & Vinegar, gastro-butique de Lisboa cheia de azeites, ervas, especiarias. E tudo com provador]



[Madri e a moçada na rua. Paguei um mico danado, depois eu conto]



[Matritum: tapas modernos e casa lotada!]



[Aspargos com maionese de trufas negras: 'bão' demais!!!]



[Os caramelos do Paco]



[Degustação no Ramiro: coisa seríssima - depois darei um post]



[A primeira adega visitada: começa a 'jornada']


Até amanhã!

Escrito por Marcelo Katsuki às 20h41

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Brasil a dois

Brasil a dois



Li o Brasil a dois como com quem toma um shot. Esse é o problema dos livros que gosto 'de cara': devoro tudo de uma vez, e quando vejo já acabou. Muito rápido!!! E nem pude rabiscar, fazer notas ou marcar as receitas: o livro era emprestado da Jan, mas quando terminei, vi que precisava de um pra mim mesmo. Agora já escrevi, enchi de 'post it', juntei um menu, fiz 'orelhal... assim que é bom, hehe.


Foto: Leo Caobelli/Folha Imagem

O livro conta as aventuras dos chefs Sergio e Javier, os "gêmeos de ouro", em viagens pelo Brasil. Questionamentos: "que diabo é um quiabo?". Descoberta da farofa, "aquela coisa que parece areia boa". E o encontro com o 'avô' das invencionices de Adriá em pleno bairro da Liberdade (mas isso vocês terão que ler o livro para descobrir). O divertido texto é do Luiz Horta, que teve a sorte de acompanhar as peripécias dos irmãos Torres pelo país. Há alguns momentos inspiradíssimos, daqueles em que você interrompe a leitura para digerir os pensamentos, ou apenas para rir mesmo. Fechando o livro, uma série de receitas interessantes.

Há desde os clássicos da cozinha espanhola como o pão com tomate até criações 'brasileiras' dos irmãos, como jiló aperitivo com catupiri e pastel de feijoada. Exotic? Tô louco pra testar! Como podia publicar só uma receita, escolhi a de tartar de ostras com tomate cereja. Salivei!



Tartar de ostras com tomate cereja

Ingredientes
- 20 ostras
- 300 g de tomates-cerejas (20 unidades)
- azeite de oliva quanto baste
- 10 g de cebolinha verde picada
- suco de limão
- sal a gosto
- pimenta-do-reino branca, a gosto, moída na hora
- 5 g de pimenta-cumari picada

Modo de preparo
Cortar uma tampa dos tomates-cerejas. Retirar a polpa e as sementes com uma colher de café e reservar. Retirar as ostras das cascas, picar junto com as sementes e a polpa de tomates, a pimenta-cumari e a cebolinha verde. Temperar com sal, azeite de oliva, pimenta-do-reino e suco de limão. Escaldar rapidamente os tomates. Deixar esfriar, rechear com a carne das ostras temperada e servir sobre as conchas, com a abertura para baixo.

Rendimento: 20 unidades.

Agora só falta conhecer o Eñe, o badalado restaurante dos irmãos Torres ali na Mario Ferraz, 213. Mas isso vou deixar para a volta. Estou partindo hoje para uma rápida viagem de cinco dias para a... Espanha! Mas nada de 'espumas ou fumacinhas'; visitarei algumas bodegas e fábricas de jamón pelas planícies douradas do Centro da Espanha, com seus castelos medievais e culinária regional (será?). Tentarei me manter em contato. Até a volta!

Brasil A Dois - Encontro Da Gastronomia Catalã Com A Brasileira
Javier Torres Martínez e Sergio Torres Martínez
Textos e entrevistas: Luiz Horta
Editora: Senac - 171 páginas - R$ 60,00 (em média)

Escrito por Marcelo Katsuki às 10h41

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | Prateleira | PermalinkPermalink #

O primo pobre da paella

O primo pobre da paella



Ontem almocei no meu B&G* favorito, o PASV, aqui pertinho do jornal. Adoro o PF de lá -um dos melhores- mas isso vai ficar para um futuro post. A pedida ontem era o arroz del puerto, que, como o próprio nome sugere, é um risotão com pescados e frutos do mar. Mas muito simples, coisa rústica, como imagino ser um arroz preparado 'no porto'.

O PASV (iniciais dos sócios) é uma casa muito simples da São João e que tinha um balcão em "U" que circulava todo o salão, parcialmente eliminado em recente reforma. O lugar perdeu aquele charme antigo, mas proporcionou mais conforto, com mesas no novo salão. A cozinha é espanhola e brasileira e da boqueta saem paellas e mariscadas perfumadas, além de carnes na brasa. Mas como o "arroz del puerto" é um achado em pleno Centrão, achei que valia mais um post: é saboroso e tem ótimo preço (R$ 35,00) pois serve duas pessoas.



Eu sempre ligo e peço pro seu Ramón (ou pras Marias -da Glória e Socorro) para preparar antes, pois o prato é feito no forno e demora uns 20 minutos para ficar pronto. Às vezes eu me atraso e o arroz fica absorvendo o caldo, envolvendo os sabores, o que é muito bom. Além do arroz, o prato leva lulas, mexilhões, camarõezinhos, vôngole, cação e bacalhau. Sobre ele, fatias de pimentão assadas, ervilhas e um filé de pescada à dorê. Esse 'primo' pode ser pobre, mas com certeza vive bem, hehe.

Não dá muito trabalho: é colocar no prato, regar com azeite e se deliciar. Para finalizar, há sobremesas como pudim de leite e creme de papaia, mas minha opção é sempre o cafezinho, moído na hora e bem equilibrado. O lugar é realmente simples, mas a comida pode surpreender. Uma ótima pedida para essa sexta-feira gelada, não? Vai lá.

PASV
Av. São João, 1.145 - Centro
Tel: 11-3221-2715

*B&G: barato e gostoso

Escrito por Marcelo Katsuki às 01h02

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | Lugares | PermalinkPermalink #

Lado B da Liberdade

Extra! Extra!!! A Folha traz hoje na seção "Comida" da Ilustrada uma matéria que escrevi sobre o bairro da Liberdade. As melhores pedidas em um roteiro alternativo fora do 'circuitão' de restaurantes famosos. Me diverti tanto fazendo a matéria que resolvi convidar alguns amigos para darem seu pitaco também. O resultado está aí: dicas incríveis e achados de gente que entende do riscado. Ah, mas não perca a matéria na Folha de hoje, hein! Depois me conta o que achou. Divirta-se!


Jo Takahashi
Diretor de Projetos em Arte e Cultura da Fundação Japão
"Se o frescor do sashimi e a elegância do sushi constituem o lado A da culinária japonesa, sinônimo de comida saudável e sofisticada, o lado B vai para as frituras típicas, as milanesas conhecidas como Katsu (nenhuma alusão ao nosso amigo Kats). Neste segmento recomendo o Katsuzen (Rua Barão de Iguape, 55, tel: 11-3209-1286) . Há o tonkatsu (lombo de porco à milanesa), o filet katsu (filet mignon) e o saboroso menchi katsu (um hamburguer misto de carne de porco e vaca, à milanesa também). Experimente, quando tiver, o bacalhau à milanesa, saborosíssimo. Tudo acompanhado de arroz branco, conservas típicas, misoshiru e a ótima mostarda."


[Katsu karê e tonkatsu do Katsuzen]




Christine Yufon
Professora de etiqueta
"Indico o Chi Fu (Praça Carlos Gomes, 168, tel: 11-3104-2750) um restaurante muito simples mas que serve comida chinesa autêntica, sem adaptações."

[Prato de siris e mifun à Cingapura do Chi Fu]




Jum Nakao
Estilista e diretor de criação
"Na Liberdade indico o Kaburá (Rua Galvão Bueno, 346, tel: 11-3277-2918). O lugar e seus personagens me lembram um filme japonês híbrido brasileiro dentro de uma linguagem realista."



Sonia Ushiyama Souto
Figurinista
"O Yamato (Rua Galvão Bueno, 364 box 6 a 10, tel: 11-3208-2092) é uma coisa "obentô-take away" diferenciado, com sabor autêntico do Japão e produtos de qualidade."


['Obentô' caprichado do Yamato]




Marcos Aguena (o "Japa")
Radialista, ator e humorista
"Conheço um excelente "RPK" (Restaurante Por Kilo) o Cia Oriental que fica no 3º andar do Shopping Sogo Plaza (r. Galvão Bueno, 40, tel: 11-3341-5134). Tem boa variedade (parece aqueles restaurantes mineiros tipo self-service!!!) e excelente qualidade dos pratos típicos que faz jus ao preço "temperado", ou seja, quase salgado. Vale a pena."



Wander Yukio
DJ da Trash 80's
"Gosto de ir no Shimpati (Rua São Joaquim, 482, tel. 11-3207-3994), pois está aberto até altas horas e a comida é sempre boa; também gosto daqueles rodizios de sushi do "Food Center". Têm umas ostras à milanesa deliciosas no Sushi Issao (Rua da glória, 111, 1º andar, tel: 11-3105-7625)"

Escrito por Marcelo Katsuki às 00h04

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Receita: okinawa soba

Receita: okinawa soba

Esse prato é típico da província de Okinawa (Japão), caracterizado pela massa leve e molho similar ao do lámen, porém com sabor mais acre e adocicado. Receita do restaurante Okuyama (Rua da Glória, 553 - Tel: 11-3341-0780)



Ingredientes:
- Macarrão de udon
- Caldo de galinha
- Algas secas (kombu)
- Flocos de peixe seco (katsuoboshi)
- Hondashi, Aji-no-moto, açúcar e sal à gosto

Acompanhamentos:
- Costelinha de porco cozida com shoyu, gengibre e açúcar
- Gengibre ralado e em conserva (beni-shoga)
- Cebolinha picada
- Ovo frito em tiras
- Massa de peixe (kamaboko) em fatias

Modo de fazer:
- Ferva o caldo de galinha com as algas e os flocos de peixe seco. Tempere com hondashi, Aji-no-moto e sal. Coe.
- Cozinhe o macarrão e coloque em uma travessa.
- Disponha os acompanhamentos sobre o macarrão, cubra com o molho e sirva bem quente.

Escrito por Marcelo Katsuki às 23h53

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | Comes | PermalinkPermalink #

Receita: shabu-shabu

Receita: shabu-shabu

Similar ao fondue, com carnes, frutos do mar e vegetais mergulhados em caldo de frango fervente e passados em molho picante antes de serem levados à boca. O molho define o sabor final do prato, cabendo à pessoa que o prepara definir o grau de ardência, acidez e doçura do mesmo. Receita do restaurante Jambo (Rua Conselheiro Furtado, 1095 / Tel: 11-3207-9485)



Ingredientes:
- Finas fatias de carne (acém, cordeiro, lombo de porco)
- Camarão, lula, siri, mariscos, postas de peixe
- Acelga, agrião, espinafre lavados e cortados
- Tofú (queijo de soja) em cubos
- Shimeji, shiitake em tiras
- Moyashi (broto de feijão)
- Vagem, ervilha torta
- Macarrão harussame hidratado em água fria
- Caldo de frango (com cebolinha e fatias de tomate. Molho de pimenta opcional)

Molho (receita básica). Misturar bem:
- Alho picado
- Cebolinha picada
- Coentro
- Shoyu
- Vinagre
- Açúcar
- Pasta de amendoim
- Gergelim em pasta ou moído
- Pasta de pimenta vermelha ou em pó
Opcionais: molho satê (barbecue chinês), gema crua, cominho em pó, alho poró picado e molho de ostra.

Preparo:
Disponha sobre um fogareiro uma caçarola com o caldo de frango fervente. Megulhe as carnes e vegetais nesse caldo para uma rápida escaldada e passe no molho. Após o preparo dos ingredientes, o caldo estará reduzido e rico em sabores, podendo ser adicionado molho de soja (shoyu) para preparo do macarrão harussame ou outro similar. Algumas pessoas adicionam arroz e um ovo cru, resultando numa 'canja encorpada'.

Escrito por Marcelo Katsuki às 23h49

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | Comes | PermalinkPermalink #

Lado B da Liberdade em imagens

Fotos que não entraram na matéria por falta de espaço, mas dignas de um post. A pesquisa foi imensa, gente, vocês não imaginam o que passei nesses últimos dias, hehe!
Crédito das fotos: Leonardo Wen, Eduardo Knapp e Kats.
Agradecimentos: Aurélio Hissao Hashimoto.



[Bueno: ichiyaki bi bim pa, o 'mexidão' coreano]



[Bueno: okonomiyaki, a 'pizza japonesa' surpreendente]



[Bueno: chanko nabe, a refeição dos lutadores de sumô]



[Galvão Bueno: churrasco coreano bem temperado]



[Galvão Bueno: mar de ostras!]



[Jambo: variado bufê com carnes, frutos do mar e verduras]



[Jambo: peikan, a exótica cachaça com aroma de jaca]



[Jambo: variedade de pimentas e molhos]



[Jambo: shabu-shabu e dim sum, duas especialidades exclusivas]



[Okuyama: joelho de porco cozido com cogumelos e gengibre]



[Okuyama: omuraissu, omelete recheada de arroz, um comfort food japa]



[Rong He: macarrão com frutos do mar em molho picante]



[Rong He: os pastéis assados de nirá, camarão e shitake]



[Yamato: sushi de enguia, uma especialidade]



[Yamato: sushis elaborados com produtos de qualidade]



[A incrível seleção de saquês fermentados e destilados do Yamato]


Serviço:
Okuyama - Rua da Glória, 553 - Tel: (11) 3341-0780
Katsuzen - Rua Barão de Iguape, 55 / Tel: (11) 3209-1286
Restaurante Bueno - Rua Galvão Bueno, 458 / Tel: (11) 3203-2215
Restaurante Jambo - Rua Conselheiro Furtado, 1095 / Tel: (11) 3207-9485
Rong He Massa Chinesa - Rua da Glória, 622-A / Tel: (11) 3275-1986
Restaurante Galvão Bueno - Rua Galvão Bueno, 451 / Tel: (11) 3277-1970
Yamato - Rua Galvão Bueno, 364, box 6 a 10 / Tel: (11) 3208-2092 e 3207-2330

Escrito por Marcelo Katsuki às 23h43

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Os melhores programas da TV paga

Participe da enquete: Qual o melhor programa de culinária na TV paga?

Por Bruno Segadilha

Demorou, mas finalmente chegamos à TV paga. Elaborar o ranking dos canais fechados demandou um certo trabalho extra, na medida em que a oferta é imensa, os apresentadores surgem a cada minuto, e o prazer de assistir a determinados programas é um pouco diferente.

Primeiro porque a TV paga trabalha com público muito específico, fã de receitas mais requintadas e elaboradas. Assim, saem de cena as senhoras simpáticas e populares e entram chefs renomados com sotaque europeu, que estão diante do vídeo dispostos a nos ensinar as iguarias e truques de seus restaurantes.

Em segundo lugar, porque essas receitas rococós exigem do público uma dedicação um pouco maior no que diz respeito à execução das receitas, uma vez que a maioria dos ingredientes são mais raros aqui no Brasil e não tão fáceis de encontrar. Custam, na maioria dos casos, uma fortuna.

É importante lembrar que cerca de 80% dos programas exibidos na TV por assinatura são gravados fora do país, com apresentadores estrangeiros. Por isso, a realidade é outra, a linguagem também. Se em qualquer mercado da Europa posso encontrar favas de baunilha, por aqui, a realidade é um pouco diferente.

Abaixo, um novo ranking para você votar e eleger o seu programa favorito. De novo, esclareço que os meus critérios são totalmente subjetivos, inclusive para escolher os programas que entrariam no ranking. Obviamente algum ficou de fora, como aconteceu na votação da TV aberta, em que esqueci, imperdoavelmente, de citar o Chef Allan. (BS)

Escrito por Marcelo Katsuki às 11h22

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O ranking do Bruno


"Antony Bourdain: Sem Reservas" (Discovery Travel & Living, quartas, às 21h)

Autor de livros best-seller, relutante celebridade da arte culinária, viajante destemido e aventureiro. A lista de adjetivos para Anthony Bourdain parece não ter fim, mas, sem dúvida, neste mundo obcecado por comida, ele já conquistou um lugar privilegiado e é considerado um verdadeiro Indiana Jones da gastronomia. Na série, Bourdain segue sua busca por experiências autênticas e comidas que reflitam as culturas do mundo.



"Ásia: Sabor e Cultura" (Discovery Travel & Living, segundas, às 22h30)

O apresentador Bobby Chinn vai aos melhores mercados da Ásia para experimentar os pratos do continente, visitando as cidades de Bali, Penang, Kuala Lumpur, Bancoc, Hong Kong, Hanói, Tóquio e Cingapura. Em Penang, por exemplo, Chinn experimenta uma bebida diferente que ganhou o nome de 'Michael Jackson' por levar uma mistura de leite de soja (bebida de cor clara) e geléia de capim (bebida de cor escura).



"Cardápio de Aventuras" (Discovery Travel & Living, às 23h)

A série é apresentada pelos jovens chefs e surfistas australianos Ben O'Donoghue e Mark Gardner. Em cada episódio, eles embarcam em uma aventura para preparar o prato ideal, o que inclui: sobrevoar os Alpes e pousar sobre a superfície de um lago vulcânico em um hidroavião para encontrar uma fazenda de salmão. Ao final do episódio cada chef prepara um prato diferente usando os ingredientes de sua viagem. Mais um "road cooking".



"Cozinha Chic" (Discovery Travel & Living, quintas, às 23h30)

O programa mostra as últimas tendências da indústria alimentícia. Com o apoio de especialistas e jornalistas da revista Gourmet, cada episódio desvenda as curiosidades da cozinha internacional. "Cozinha Chic" explora diferentes conceitos por trás da gastronomia, o que inclui a infusão dos sabores, a importância da água, a cozinha orgânica e molecular, entre outros. Além disso, o público, ao longo da série, pode conhecer os mais variados destinos gastronômicos do mundo, novos ingredientes e alguns chefs famosos de diferentes países. Muito interessante a título de cultura geral.



"Desafio Coquetel" (Discovery Travel & Living, segundas, às 23h)

Dois dos melhores preparadores profissionais de coquetéis do mundo, Colin Asare-Appiah e Dimitri Lezinska, viajam para algumas das cidades mais cobiçadas do mundo para percorrer os diferentes bares, restaurantes e hotéis e em seguida criar um coquetel inédito. O coquetel que melhor reflete o estilo da cidade será incluído no menu de coquetéis de um dos bares percorridos, onde Colin e Dimitri também realizam uma sessão para preparação dos coquetéis. Esse é o empego que eu pedi a Deus. Como não tenho, fico babando com as viagens inusitadas dos coqueteleiros.



"Festas de Nigella" (GNT, sextas, às 18h)

Um dos programas mais legais. A jornalista britânica Nigella Lawson ensina, em seus programas no GNT, a fazer receitas simples para reuniões familiares. Assim como Edu Guedes, Nigella, uma quase gordinha, não se preocupa muito com cozinha light e nem fazer uma cozinha tão requintada. Muito creme e açúcar. Ainda bem que não conhece o nosso Catupiry. Estaria perdida e enfartada. De todos os programas da TV paga, é um dos mais legais para se aprender receita.

Antológica: quando vi, achei bizarro, mas, influenciado por um amigo, testei e ficou muito bom: presunto cozido na Coca-Cola. A mistura clássica de doce com salgado fica perfeita nesse caso. Dica: tente também com guaraná, versão tupiniquim da invenção de Nigella.

Escrito por Marcelo Katsuki às 11h15

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

(continuação)


"Menu Confiança" (GNT, segundas, às 22h)

Renato Machado e Claude Troisgros dividem a interessante atração, direcionada a quem tem um gosto mais rquintado. Enquanto Renato discursa sobre vinhos, o chef prepara uma refeição que combine coma bebida mencionada. A partir daí, os dois estabelecem um bate-papo interesante sobre culinária e cultura que só enriquece. Um programão para que curte vinhos e quer uma idéia para o fim de semana. Na última semana, Troisgros ensinou uma picanha assada sensacional. Vale a pena tentar, mesmo sem o vinho.



"Mesa para Dois" (GNT, sábados, às 12h30)

Flávia Quaresma e Alex Atala comandam uma das melhores atrações culinárias do GNT. Quaresma fica fora do estúdio e viaja pelo Brasil para investigar sabores regionais, enquanto Atala fica na sua cozinha preparando especiarias relacionadas à culinária do lugar que é tema de cada programa. Em termos de cultura geral, é excelente, o programa é agradável, os apresentadores mais ainda. Mas peca pela cozinha muito sofisticada e pela falta de jeitod e Atala paar ensinar. Tudo muito rápido, complicado, coisas que só mesmo Atala tem habilidade para fazer. O prato dessa semana, carangueijo com legumes e algumas muitas folhas, mostra bem por que alguns pratos devem ser consumidos somente nos grandes restaurantes. Quem tem capacidade e saco de fazer aquilo em casa?

Boa idéia da semana: o óleo aromatizado com baunilha. Mas onde se compram favas de baunilha? Tudo bem, eu poderia pesquisar, mas acho que se eu me faço essa pergunta, muitos também fazem. O site, pelo menos, poderia dar esse tipo de dica, não? Em tempo: o programa acabou e não há previsão de voltar ao ar. Por enquanto, ficamos com as reprises.



"Negócio de Família" (Discovery Travel & Living, segundas, às 22h)

A série, em formato de reality show, mostra o dia-a-dia do impetuoso dono de restaurante Yianni Psalios, sua alegre família, e seus três restaurantes gregos em Edmonton, no Canadá, onde toda família trabalha.



"Ramsay's Kitchen Nightmares" (GNT, quintas, às 22h30)

Ao contrário do que se pensa, Gordon Ramsay não é nada original. Para se destacar na TV, resolveu adotar a tática da gritaria e da humilhação. Nada mais fácil, ainda mais quando se desligam os microfones das pobres vítimas. Deu certo. Seu "reality show" "The F Word" conseguiu emplacar mais de uma temporada no GNT e agora o chef volta em versão mais light para salvar cozinheiros em apuros. No primeiro episódio, o demônio da cozinha aconselhou um cozinheiro falido que servia massa com molho pronto aos seus clientes. Divertidíssimo.



"Truques de Oliver" (GNT, terças e quintas, às 18h)

Vez ou outra a TV precisa renovar seu estoque de mocinhos bem comportados para servir de modelo aos jovens. Jamie Oliver é um deles. Em seus programas "Truques de Oliver" e "Cozinha do Jamie", o chef garotão ensina as manhas de um profissional descolado e cheio de amigos. A cada episódio, prepara refeições para os que freqüentam sua casa. A idéia é legal, o clima da atração é muito bom, o horário _ um pouco antes do almoço_ até que é inspirador. Mas, sinceramente, tanto despojamento irritam um pouco. Preocupado em demonstrar suas rápidas habilidades na cozinha, o garotão de língua presa esquece que existem pessoas assistindo e tentando aprender alguma coisa dali. Voa nas receitas, que, se ficam deliciosas ou não, o público jamais saberá.




Ai, ai, ai... com essas avaliações do Bruno, com certeza vão voar 'garfinhos' para todos os lados, hehe! Aproveite e vote no seu programa favorito clicando aqui! E depois comente abaixo!

Escrito por Marcelo Katsuki às 11h09

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O pudim de abacaxi do papa

As garotas do Madame Aubergine sempre aprontando! Com a chegada do papa, a chef Cristine Maccarone resolveu ensinar a receita de uma das sobremesas favoritas do sumo pontífice: pudim de abacaxi. Cool! Será que podemos aguardar para breve a TV Aubergine? Ou seria a TV Berinjela, hehe? O pudim ficou com uma cara ótima! (e eu aqui morrendo de fome...)



Vídeo realizado pelo diretor Fernando Bianchi da produtora 511 Filmes

Escrito por Marcelo Katsuki às 00h07

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Agenda do Dia das Mães

Um roteiro com opções bem variadas, para todos os estilos de mães (e bolsos!). Afinal, o importante é homenagear a mama! A última dica me lembrou de uma querida amiga do Pará, hehe. Aposto que ela adoraria comemorar o seu dia lá!





Nesse Dia das Mães, o Obá (Rua Dr. Melo Alves, 205, Jardins - Tel: 11-3086-4774) resolveu homenagear os desejos de suas mamães. Do jantar de quinta-feira, 10 de maio, ao almoço de domingo, dia 13, cada um dos seis sócios do restaurante vai incluir no cardápio da casa um prato dedicado à sua mãe. Os clientes poderão provar o "Agnolotti de alcachofra ao molho de zabaione de parmesão" (R$ 21 entrada/ R$ 31 prato principal), o prato favorito da mãe da chef Aninha! Já a mãe do Hugo Delgado vai de "Tequila gelada las flores" (R$ 18,50). Para acompanhar este aperitivo, uma boa opção é a "Empadinha de queijo" da mãe da Gabi (R$ 12,00 porção com 6). Outra opção é o "Bacalhau à esconde-esconde" (R$39,00), escolhido por Carlos e o "Arroz doce em homenagem ao Seu Zé Durães" (R$ 11,90) da Patty. Para fechar, o Expresso descafeinado (R$ 3,90) da mãe do Diego. Coisas de uma jovem senhora que adora um bom café, mas que tem medo dos efeitos da cafeína.





Para as mães geração saúde, o restaurante Josephine (Rua Jaques Félix, 253 - Vila N. Conceição – Tel:11-3842-5891) preparou um cardápio saudável e nutritivo. Os clientes do restaurante poderão escolher um prato rico em Ômega 3, Salmão ao molho de gengibre com creme de maçã (R$ 34,90) e, para finalizar, duas sobremesas Mousse com calda de frutas vermelhas (R$ 12,90) e Brigadeiro de colher (R$ 9,30).





Para mamãe estilo brasileira, a sugestão é a Universidade da Cachaça (Rua Iaiá, 83, Itaim - Tel:11-3167-0461). O mix de bar e restaurante do chef Sergio Arno oferece 450 rótulos da bebida, além de pratos, petiscos e sobremesas, todos com um pitada bem brasileira. No dia 12 de maio, as mães que forem almoçar na Universidade ganharão uma porção do petisco mais pedido da casa: bolinho de mandioca com carne seca.





O chef Volmar Zocche do Valentino Wine Bar (Av. Brig. Faria Lima, 4059, Itaim Bibi - Tel: 11- 3846-2451) preparou um cardápio especial com uma salada com caponata de legumes, papillote de peixe com funghi silvestre e risoto de limão siciliano. Para terminar, torta feita com massa fiola, recheada com creme patissier e pinoles. O menu custa R$ 40,00 por pessoa e inclui também uma taça de vinho branco chileno Tamaya Reserva.





O restaurante Shundi & Tomodachi (Rua Dr. Mário Ferraz, 402, Itaim Bibi - Tel. 11-3078-6852) presenteará todas as mães que almoçarem ou jantarem no restaurante no dia 13 de maio (domingo) com uma entrada feita à base de sashimi de atum servido em formato de rosa e decorada com flocos de ouro (foto). O menu-degustação (omakassê), com pratos quentes e frios em pequenas porções custa R$ 90,00 na versão Tomodachi I, mas há opções a la carte.





De sexta-feira (11) a domingo (13), o Amadeus (R. Haddock Lobo, 807 - Tel. 11-3061-2859 ) oferece um menu-degustação em comemoração ao Dia das Mães. Uma seqüência de cinco pratos – incluindo a sobremesa - com receitas da chef Bella Masano esbanjam delicadeza. O Risoto de frutos do mar (foto) é uma das opções. O menu sai por R$ 135 por pessoa e traz ainda Capuccino de Peixe, Caranguejo ao Ragu de Cogumelos e Camarao Gigante ligeiramente braseado com Aspargos Frescos.





O La Casserole (Largo do Arouche, 346 - Tel. 11-3331-6283) terá um menu especial no almoço de domingo (13), com entrada, prato principal e sobremesa, que podem ser escolhidos entre duas opções de cada. Destaque para o “Robalo sauce Nantua e couscous de cogumelo”s (foto). Para a sobremesa um clássico: a Opéra, “Uma deliciosa combinação de pão de ló de amêndoas, creme de café e ganache de chocolate amargo”, descreve Marie-France Henry. Outras opções do menu: Brandade de bacalhau com duo de alho porro, a Perdiz assada com aspargos sautés e arroz de jasmim e o Parfait de banana e nozes. Preço: R$ 75,00 (couvert e bebidas não inclusos).





O restaurante La Farina Speciale (R. Haddock Lobo, 179, Cerqueira César - Tel: 11-3256-9431), filial do tradicional La Farina do centro, montou um cardápio especial para o Dia das Mães que inclui "Rigatoni a la Pasticciata", recheado com mussarela ao molho especial de funghi e champignon (R$ 26,80 - para 2 pessoas), "Polpetone com Spaguetti" (R$ 18,90 - individual) e "Ravioli de Salmão ao molho rosê" (R$ 36,80 - para 2 pessoas). Aceita reservas no telefone acima.





O restaurante Suruí (Av. Prof. Alfonso Bovero, 363 - Tel: 11-3864-4399) vai oferecer um buffet repleto de pratos com toques ameríndios como banana da terra, jambu (típico do Pará), cupuaçu, além do arroz com carne seca, banana da terra frita, costela de tambaqui grelhada com feijão fradinho, pirarucu de casaca e filet de frango grelhado com molho de jambu. De sobremesa, pudim de tapioca, mousse e pudim de cupuaçu e diversas compotas. A casa também oferecerá mini-bijus preparados na hora. Os recheios serão de doces de cupuaçu, açaí, jaca e bacuri. A casa ainda presenteará as mães com um mimo indígena. Preço do bufê: R$ 25,00 por pessoa.

Escrito por Marcelo Katsuki às 23h27

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Um gaspacho para o Dia das Mães

Um gaspacho para o Dia das Mães

Para encerrar esse roteiro, uma receita de Gaspacho de Frutos do Mar com Abacate do chef suíço Christophe Besse. Se você vai se aventurar na cozinha, taí uma ótima dica. Coisa fina, surpreenda a mama.



Ingredientes:
· 100 gr de pimentões limpos
· 100 gr de tomates sem sementes
· 100 gr de pepinos descascados sem sementes
· 100 gr de pão de forma sem casca
· 50 gr de cebola picada
· 100 gr de maionese
· 100 ml de vinagre de vinho tinto
· 250 ml de caldo de legumes ou consomê
· 250 ml de suco de tomate

Preparo:
· Bater o todo no liquidificador e passar depois numa pereirinha, temperar com sal e pimenta do reino do moedor, reservar

Guarnição:
· 4 camarões médio rosa cozidos
· 4 vieiras sem coral grelhadas em frigideira tefall por 30 segundos
· 100 gr de lula cortada em anéis e refogada
· Cabinhos de pimentão, tomate, cebola e cebolinha francesa picada
· Croûtons
· 20 bolinhas de abacate maduro.

Servir bem gelado

Escrito por Marcelo Katsuki às 23h14

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | Comes | PermalinkPermalink #

Degustação de vinhos de Castilla e León na ABS



O governo de Castilla e León, na Espanha, com o objetivo de promover os vinhos da regiao, fará degustaçoes guiadas na ABS de São Paulo (Av. Faria Lima, 1800 - 8º andar) no dia 9 de maio às 20h e no Rio de Janeiro no dia 10 de maio às 19h30. A ADE Internacional Excal, instituiçãoo responsável pela promoção do comércio exterior da área, organiza o evento e apresentará 12 vinhos de 2 Denominações de Origem (Ribera del Duero e Toro), das seguintes vinícolas:
- Dominio de Atauta (Dominio de Atauta 2003)
- Bodegas Rodero (Carmelo Rodero Crianza 2004 e Carmelo Rodero Reserva 2003)
- Avelino Vargas (Fuentespina 2004 e Vegas 3 2005)
- Bodegas Pascual (Heredad de Peñalosa Tinto Barrica 2004 e Heredad de Peñalosa Crianza 2001)
- Bodegas Pingón (Carramimbre Roble 2005 e Carramimbre Crianza 2003)
- Bodegas Vega Sauco (Vega Sauco Roble 2003 e Vega Sauco Crianza 2001)
- Bodegas y Viñedos Maurodos (San Roman 2003)
Mais informações pelos telefones (011) 3814-7853 e 3814-1269.

Escrito por Marcelo Katsuki às 09h34

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Saquê: bebendo e aprendendo

Saquê: bebendo e aprendendo

Clique aqui para ler minha coluna no Guia da Semana.



Passei a tarde de ontem circulando pela 'Liba' e terminei o tour conversando sobre saquê e provando alguns exemplares muito interessantes no Yamato (R. Galvão Bueno, 364, Liberdade), na companhia do Alexandre Tatsuya Iida, grande conhecedor da bebida e dono do site Adega de Sakê.

Pena eu não ter falado com ele antes! O Alexandre deu dicas ótimas e me fez provar exemplares de fermentado de arroz, de batata, saquês destilados, com shissô e até 'amadeirados'. Foi uma experiência e tanto! Acabei até comprando uma garrafa de presente para minha amiga Paris, que não é Hilton mas que 'causou' ontem com uma festona numa cobertura em Pinheiros. Mas esse trelelê todo é para falar que minha coluna no Guia da Semana desse mês fala sobre... saquê!

Clique aqui para ler e aprender uma receitinha ótima de drinque com a bebida. Kampai!

Escrito por Marcelo Katsuki às 13h36

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | Bebes | PermalinkPermalink #

Ingredientes de segunda, comida de primeira

Ingredientes de segunda, comida de primeira


Gastronomia social, que bacana! Olha só, a premiada chef Mara Salles, do restaurante Tordesilhas, realiza nesse mês um curso de "Cultura Alimentar" em São Miguel Paulista, na Zona Leste. O curso, batizado de "Ingredientes de segunda, comida de primeira", faz parte das atividades da Fundação Tide Setubal e é direcionado para as pessoas da comunidade local e merendeiras das escolas públicas da região. Além de ser uma oportunidade de formação profissional, a idéia é proporcionar uma alimentação mais saudável e nutritiva a um custo baixo.

O curso será realizado nos dias 10, 12, 15 e 17 de maio, das 19h às 22h, em uma escola do bairro e terá vagas limitadas. A idéia é resgatar receitas clássicas das festas juninas brasileiras do Nordeste ao interior paulista e que estão sendo esquecidas. Para maiores informações, acesse o site da fundação.

E para você também poder curtir esse clima junino que se aproxima, separei uma receita do curso:

Paçoquinha de Carne Seca

Ingredientes:
- 200g de carne seca já cozida cortada em cubinhos
- 1 cebola roxa bem picadinha
- 3 colheres de manteiga de garrafa
- Farinha de mandioca para dar o ponto
- Sal

Modo de Preparo:
- Dourar a carne seca na manteiga de garrafa. Acrescentar a cebola, fritar mais um pouco. Esfriar. Adicionar farinha de mandioca, desprender com ela a crosta que fica no fundo da panela e levar ao pilão ou processador. Montar as paçoquinhas em caninhos de PVC de 2,5 polegadas de diâmetro por 4 cm de comprimento, usando-os como fôrmas para modelar as paçocas. Ficam similares às paçoquinhas de amendoim.

Rendimento:
10 paçoquinhas

Escrito por Marcelo Katsuki às 00h28

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | Evento | PermalinkPermalink #

Delivery de frutos do mar

Delivery de frutos do mar



Seus problemas acabaram! Ou pelo menos os meus... Acabei de encontrar um serviço de entrega de peixes e frutos do mar congelados mas de qualidade chamado Empório do Mar! E eles atendem São Paulo e o ABC também!

Eu já cansei de ter que comprar ingredientes para uma paella e ter que sair catando um camarão aqui no mercado, um mexilhão ali no empório, até perder o ânimo. Agora dá pra encomendar um kit-paella, e pra quem não sabe cozinhar, até uma paella pronta na versão Marinheira, para quatro pessoas.

Tem camarões de diversos tamanhos, cauda de lagosta, postas e medalhões limpos de robalo, salmão, linguado, mexilhões, tudo embalado em pacotes individuais, bem prático. Gostou da sugestão? Então clique aqui para conhecer o site e selecionar os pescados. É só 'puxar a rede' - e a carteira, claro!

Escrito por Marcelo Katsuki às 23h52

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | Mixer | PermalinkPermalink #

Uma pitada de humor

Estréia hoje, dia 4, na Mamarana Cucina Italiana (Rua Pará, 196 - Higienópolis - Tel: 11-3661-8799) a comédia "Porção de Humor a Calabresa". Chegue cedo, coma e depois morra de rir com as atrizes Daniella Giusti e Cris Ferri. A peça acontece no Espaço Cultural da casa, que tem a tradição de reunir o meio artístico para eventos e saraus desde os tempos da saudosa Miriam Muniz.

Escrito por Marcelo Katsuki às 23h30

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sabores de São Paulo no Mercadão



Dei uma rápida passada ontem no Mercadão para o lançamento do projeto Sabores de São Paulo, uma proposta legal que vai levar para o "Mercado Gourmet" aulas com receitas de especialidades de vários bares e restaurantes da cidade. Serão vários finais de semana, com aulas às sextas, sábados e domingos, começando amanhã às 14h com o chef Roberto Ravióli (do Empório Ravióli). O valor do ingresso de cada aula, R$ 10, será revertido ao Programa São Paulo Protege, da Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social.


[Isaura Mota, coordenadora de MKT do Mabe, o supervisor-geral de Abastecimento de São Paulo, Sr. José Roberto Graziano, o chef Roberto Ravióli e o secretário das Sub-Prefeituras de São Paulo, Sr. Andrea Matarazzo,]


Segundo o secretário Andrea Matarazzo, "o mais interessante deste projeto inédito é dar oportunidade aos locais que são referência em seus bairros, mas que o grande público desconhece". Muito bom!

Os interessados poderão se inscrever, para quantas aulas quiserem, pelo e-mail do programa (saboresdesaopaulo@prefeitura.sp.gov.br). Quem preferir, pode fazer a inscrição pelo telefone (11) 3313-1326 ou pessoalmente no Mercado Gourmet – Rua da Cantareira, 306, mezanino da Torre B.


[Muitos 'sabores' no lançamento do projeto: tinha até pernil!]


No sábado, dia 5, é a vez do restaurante Terra de Santa Cruz, com seu Escondidinho de Bacalhau. No dia 6, o Pizza Bros fecha a programação do primeiro fim de semana, mostrando os segredos de preparo de sua pizza Gênova. No dia 11, o restaurante Galinhada do Bahia ensinará uma receita de galinhada, e no dia 12, o Sushikin apresenta seu salmão tartar. Muito legal esse projeto e a programação está ótima! Será que eu finalmente vou conhecer a famosa galinhada do Bahia?

Escrito por Marcelo Katsuki às 09h25

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

In e out das uvas



'Colhido' diretamente do fortificado Blog do Luiz Horta. Essencial!

"Uvas que andam fora de moda: Chardonnay e Gamay.
Uvas que estão na moda: Riesling e Pinot Noir.
Uvas que vão entrar na moda, logo, logo: Viognier e Cabernet Franc.
Que besteira!"
Luiz Horta


Besteira nada, achei o máximo! São esses pequenos 'insights' que fazem de um blog, um blog!

Escrito por Marcelo Katsuki às 09h01

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Leblon à paulista

Leblon à paulista


[Tarde ensolarada no 'Leblon']


Uma jornalista de uma revista dominical do Rio elencou na semana passada alguns motivos para os cariocas se irritarem com os paulistas, como por exemplo quando dizemos "balada, da hora" ou simplesmente chamamos carteira de motorista de "carta" (hein?). Coisa mais antipática... e ultrapassada, quem ainda perde tempo com essa rixa velha, gente? 'Avoa'!

E o último motivo de irritação é que "[os paulistas] só fazem bares que remetem ao Rio". Uhum... Pois me lembrei disso na segunda ao encontrar os amigos no novo bar ali da Bela Cintra, o Leblon ( Rua Bela Cintra, 483 - Consolação - Tel: 11-3237-0151). Mais importante do que o 'motivo' carioca, é que a casa tem cardápio e preços da cidade maravilhosa, boa comida, atendimento atencioso e uma ótima freqüência.


[Imagem do morro Dois Irmãos estampada na parede]


O salão é comprido mas ninguém fica apertado. Na parede lateral o iluminado bar é seguido de um painel com a imagem do morro Dois Irmãos, só falta a maresia pra você embarcar no clima. O gerente da casa é o experiente Ailton, trazido de outro bar, o Filial, da Vila Madalena onde atendia os clientes no salão.

O cardápio é enxuto mas tem os tradicionais Bolinhos de Bacalhau e deliciosos Mini Hamburguinhos, sobre fatia de pão com queijo derretido. As porções são fartas e custam em média R$ 15,00. A cerveja da casa é a Bohemia e o chopp da Brahma. Há uma boa oferta de drinques a preços atraentes: tomei um Dry Martini com gin Tanqueray por R$ 11,00 -um dos melhores preços até agora- e um Scotch 8 anos por R$ 10,00, nada mal.


[Boa seleção de destilados]


A freqüência é bem mista, de jovens universitários até a nossa mesa veterana, instalada na boca da cozinha, de onde pude ver saírem pratos bem elaborados e apetitosos, típicos da cozinha de boteco. Acabei encontrando amigos de karaokê, de 'balada' (uih) e antigos colegas de redação, provavelmente 'seguidores do Ailton'.

Como não pude ir ao Rio aproveitar o feriado por conta do trabalho, pelo menos fui ao 'Leblon'. Amigos, mesa de bar, chopinhos, a visão do morro Dois Irmãos e ao fundo aquela vozinha miúda que embala a bossa nova: bons motivos pra gente gostar de se lembrar do Rio. Ou pelo menos para embarcar no clima e curtir o novo 'boteco carioca' da cidade.

Escrito por Marcelo Katsuki às 23h13

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | Lugares | PermalinkPermalink #

Tango no Mercadão

Tango no Mercadão



Depois da semana japonesa, o Mercado Municipal (rua da Cantareira, 306, Centro) vai cair no tango! Como parte da programação da Virada Cultural, o Mercadão promove das 12h do dia 5 de maio até a 1h da manhã do dia 6 o evento “Mi Mercadón Querido – 12 horas de Tango”, que terá muitas atrações e atividades, como a presença de músicos e cerca cinqüenta shows de casais bailarinos e professores de tango, além de shows de cantores, como Roberto Luna e o argentino Merlin. Analia, essa é pra você!

Haverá ainda uma grande Milonga (Baile), com tangos e boleros, aberta ao público, sob o comando de Moacir Castilho e Alcione Barros, dois especialistas em eventos de tango. Durante todo o tempo haverá no Mercadão aulas abertas e gratuitas de tango e bolero, ou seja, só não dança quem não quer, hehe. Ah, nesse período, os bares do Mezanino estarão abertos, assim como alguns quiosques do Piso Térreo. Pra fazer uma boquinha rápida entre um bolero e um tango! Quer mais informações? Ligue: 11-3326-6664.






Mais tango: o restaurante Mi Casa Tu Casa - Parrilla Argentina (Av. Sabiá, 188 – Moema - tel. 11-5052-8155) lança a Noite de Tango com o conjunto “Carmen Letícia”, todas as noites de sexta-feira às 21h (couvert artístico de R$ 12), com jantar à la carte. O grupo, munido de guitarra e bandoneon, apresentará o melhor do tango, milongas, boleros e do folclore argentino – recomendado fazer reservas.

Os destaques do cardápio são os clássicos cortes porteños como o Bife de Chorizo (500g - R$ 45,50 e 250g - R$ 25) e a Parrillada Argentina (R$ 109,60 para quatro pessoas e R$ 74 para duas). Para acompanhar, Arroz Biro Biro (arroz, alho, bacon, ovos, salsinha e batata palha - R$ 10), a Farofa da Sinhá (R$ 10) e a Tortilla de Papas (torta de batatas - R$ 10). Muito bom!

Escrito por Marcelo Katsuki às 23h15

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | Evento | PermalinkPermalink #

Bate-bola com Olivier Anquier



Por Bruno Segadilha
Com mais de 2.600 votos, o povo elegeu o "Diário do Olivier" o melhor programa da TV aberta. O desempenho do programa, apresentado pelo padeiro bonitão Olivier Anquier, 47, mostrou a predileção dos votantes por uma atração mais requintada e menos popular.

"Acho que a maioria dos programas e das TVs têm um profundo desrespeito pelo telespectador. Existe uma enorme falta de criatividade e eu procuro mostrar exatamente o contrário: o meu respeito e esforço para produzir um produto interessante, que faça as pessoas levarem algo para casa", diz Olivier.

• Perguntado sobre algum programa específico, Olivier despista: "Ah, são todos bem clássicos, né? Mas todos apresentados por pessoas muito competentes... Fico orgulhoso de ver que meu programa às vezes pauta os da Ana Maria Braga, acho bem legal, afinal, a TV tem a função de ensinar mesmo. Então, se fazem isso para enriquecer, está certo...", diz, modesto.

• E é verdade que o site do padeiro pedia votos na enquete? "Da minha parte, não, mas vou averiguar isso", diz. Então tá... (BS)

Escrito por Marcelo Katsuki às 14h24

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Marcelo Katsuki Marcelo Katsuki é editor de arte de Mídias Digitais da Folha, colaborador da revista sãopaulo e colunista da "Prazeres da Mesa".

BUSCA NO BLOG


TWITTER

    Twitter RSS

    ARQUIVO


    Ver mensagens anteriores
     

    Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
    em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.