Marcelo Katsuki

Comes & Bebes

 

Chiclete de camarão



Você conhece o Chiclete de Camarão? Foi ele que me levou até a Praia do Francês, ao sul de Maceió, para conhecer o restaurante Parada de Taipas (Av. Caravelas, s/n, AL - tel. 0/xx/82/3260-1609). Além de me encantar com o prato, conheci a interessante história do restaurante e de seu dono, o Wilson Caliari, um mineiro que já viveu em São Paulo mas acabou fixando residência em Maceió.


[O amplo e arejado salão do restaurante, com a parede de taipa ao fundo]


O Wilson disse que sempre quis ter um restaurante, mas que a dificuldade de manutenção quase fez com que ele fechasse o lugar e desistisse de seu sonho. Quem impediu isso foi uma tia, já falecida, que num dia de almoço em família provou o prato do sobrinho e decretou: "Isso aqui está parecendo um chiclete de camarão!"

Nascia assim o prato, que nem vendeu muito no começo, até que uma jornalista provou, se encantou e deu no dia seguinte no jornal local. De lá pro 'Fantástico', onde apareceu como o prato do verão de Maceió, foi um pulo. E para o Wilson, o pulo do gato. Fez a fama do restaurante e passou a ser copiado não só nas barraquinhas alagoanas como também em restaurantes de outras cidades. Legal, né?

E agora você vai poder fazer em casa! Eu provei e achei muito saboroso e nem é pesado, como você pode pensar. O Wilson diz que tem que usar mussarela e dosar bem os temperos para ficar mais leve. Muito bom mesmo!



Chiclete de Camarão
- óleo
- 1 dente de alho socado
- 1 cebola picadinha
- 1/2 quilo tomate picado (tirar pele e semente)
- 1 pimentão picadinho
- coentro a gosto
- sal a gosto
- 400 g de camarão descascado
- 2 colheres sopa de leite de coco
- 1 colher cheia de requeijão
- 100 g de queijo mussarela fatiado

Modo de fazer:
- Refogue a cebola, o alho, o pimentão, o tomate, o sal e o coentro até obter um molho.
- Adicione o camarão e cozinhe por 3 minutos.
- Misture o leite de coco com o requeijão e junte ao molho.
- Cubra com as fatias de mussarela, espere derreter e sirva com arroz branco.

Dica: fazer em panela de barro para manter o calor e o queijo sempre derretido, para dar o efeito 'chiclete'. Ploc!

Escrito por Marcelo Katsuki às 15h20

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Nordeste Culinária - Maceió

Estou em Maceió no evento da ACAL - Associação de Culinária de Alagoas. Um evento diferente e divertido, nada de altíssima gastronomia, mas um grande encontro de culinariastas, ou 'quituteiras', estudantes, profissionais de gastronomia e empresários do setor, onde o assunto é sempre comida, claro.


[Vista do amplo pavilhão da feira]


O evento acontece no Pavilhão de eventos da cidade, amplo, com estandes de expositores de produtos para cozinha, confeitaria, uniformes, publicações e até artesanato local. Os auditórios apresentam simultaneamente aulas de culinária, drinques, ervas e temperos, debates sobre hábitos alimentares, etiqueta, cardápios, roteiros gastronômicos e a arte de confeitar.


[Wanderso Medeiros e Simone Muniz, vice e presidenta da ACAL (ao fundo) ouvem o presidente da Abrasel de Alagoas, Luiz Alberto Barbosa]



[Público chegando logo cedo na abertura. Madruguei, cheguei lá às 7h30!]


Do aeroporto ao hotel vim no táxi conversando com Marcela Sanchez, uma pioneira em decoração de bolos no país. De naturalidade argentina, Marcela trabalhou com Martha Ballina, ícone da confeitaria naquele país. Já contei que não sou muito de doce, mas depois de algum tempo conversando com a Marcela, já estava quase mordendo o estofado do carro de tanta vontade de comer os bolos que ela descrevia. Fiquei até empolgado e ontem botei a mão na massa e modelei a famosa pasta americana. Gostei muito! Será que vou virar boleiro, hehe?


[Primeira cozinheira a apresentar uma das cozinhas dos nove Estados do Nordeste]



[Coração pernambucano, o bolo de rolo em formato de coração apresentado por Cleonice Ferraz. Não conhecia, achei bacana! E agora já sei fazer, preciso revisar a receita com a Cleonice!]


A primeira grande aula reuniu nada menos que nove cozinheiras que mostraram os "Nove sabores do Nordeste". Cada cozinheira representava seu estado, falava dos ingredientes e pratos típicos enquanto montava um prato que representativo. Depois da maratona, o momento da degustação. Aprendi a fazer bolo de rolo e morri de rir com a cozinheira da Bahia, Betinha, que subiu ao palco vestida de baiana e deu um show de simpatia.


[Linda Susan, palestrante da Paraíba e Wilson Caliari dono do restaurante Parada de Taipas e criador do "Chiclete de camarão", prato ícone na cidade. Vou provar no domingo, depois eu conto!]



[Estandes de uniformes e equipamentos para cozinha. Tô sonhando com uma grelha a gás, mas imagina o fumacê que ia ficar no meu apê?]


O evento, apesar de estar ainda sem sua segunda edição, surpreende pelo tamanho, diversidade das palestras e organização. Hoje tem mais. Deixa eu correr para lá. E se você estiver aqui em Maceió e quiser ver a programação, está toda aqui.


[A 'cake designer' Marcela Sanchez faz uma demonstração com a pasta americana]



[O saguão principal, com exposição de bolos]

Escrito por Marcelo Katsuki às 11h48

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Buddha Bar


[A imponente estátua do Buda no fundo do salão]


Finalmente fui conhecer o Buddha Bar na Villa Daslu. E gostei muito, viu? Diferentemente das outras casas da franquia, a filial paulistana não tem pista de dança. O foco aqui é a gastronomia, mais apurada e sob o comando da jovem e premiada chef Bel Coelho (ex-Sabuji).

A decoração segue o modelo das outras casas, clássica com toques étnicos e traz a característica trilha sonora lounge mas dançante, que fez a fama do bar com suas coletâneas vendidas mundo afora. Mas senti falta da pista. Difícil não querer sair sacolejando os gambitos debaixo daquela gigantesca estátua brilhante ainda mais depois de alguns caprichados drinques do chef de bar Marcelo Vasconcelos. E ao longo da noite a música vai subindo, subindo, chega uma hora em que você precisa gritar na mesa para ser ouvido.


[Vista do salão]


Há um sushi bar com algumas criações interessantes, como o 'carpaccio de vieiras com tamarillo'. Mas acabei ficando com as consistentes sugestões da chef, como um 'robalo crispy com pupunha assada' e um 'carré de cordeiro com purê trufado', deliciosos. Senti apenas falta do toque oriental típico dos menus da casa, pois o poupouri de dim sum da entrada me pareceu um pouco trivial demais. Mas há uma notável preocupação com a qualidade dos produtos e o aspecto saudável dos pratos, tendência que a chef tem valorizado em suas criações. Abaixo, uma amostra dos pratos degustados.


[Poupouri de dim sum de frango e de camarão (R$ 18,00)]



[Carpaccio de vieiras com tamarillo e vinagrete de wassabi (R$ 32,00)]



[Robalo crispy com molho de castanha de cajú e pupunha assada (R$ 62,00)]



[Carré de cordeiro com purê trufado (R$ 65,00)]



[Creme de café com espuma quente de chocolate e doce de leite (R$ 18,00)]



[Wasabi Martini, com saquê, wasabi e limão (R$ 23,00) e Himalai Gin, com melão Cantaloup, gengibre e cardamomo (R$ 25,00)]



[O chef de bar Marcelo Vasconcelos que criou uma carta de drinques exclusiva para a filial paulistana]



[A jovem chef Bel Coelho na cozinha onde comanda uma grande equipe]




Buddha Bar
Avenida Chedid Jafet, 131
Villa Daslu
tel.: 0/xx/11/3044-6181

Escrito por Marcelo Katsuki às 01h37

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Época São Paulo


[Críticas detalhadas e um roteiro de bares e restaurantes]


Na semana passada fui ao lançamento do projeto de uma nova revista, a Época São Paulo. Mais que um encarte mensal, a nova revista pretende ser um guia com conteúdo: grandes reportagens, críticas completas, roteiros de passeios com mapas, matérias sobre animais, dicas para crianças, baladas, compras e é claro, gastronomia.

A Grace Gianoukas adaptou alguns esquetes de personagens do espetáculo "Terça Insana" para ilustrar o lançamento com humor. Foi divertido! Agora, é só esperar pelo número um nas bancas, que deve sair em breve. O projeto gráfico pelo menos ficou lindo! Aguardem.


[O mestre de cerimônia Zeca Camargo apresenta a nova revista. Olha só quem estampava uma das capas com um cacho de bananas na cabeça!]

Escrito por Marcelo Katsuki às 00h42

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ovos na Páscoa


[Meus ovos foram outros!]


A Páscoa foi na casa da mama mas nada de chocolate. Pedi para ela fazer meu ovo favorito: bakudan, ou 'bomba atômica', que é o efeito causado pelo acepipe acima. Trata-se de uma almôndega à milanesa recheada com um ovo cozido inteiro! Quando criança a gente chamava de ovo de dinossauro, ovo de ema mas agora que a idade tá batendo, pensamos numa versão 'light' com ovo de codorna, kkkkk! Mas imagina a preguiça para descascar tanto ovinho, ninguém se habilita então vai um bakudan mesmo! Nada supera em 'sustança'!

Escrito por Marcelo Katsuki às 00h41

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Le Pré Catelan - Rio


[Um dos magníficos espaços do restaurante]


Rever as fotos do jantar no restaurante Le Pré Catelan no Sofitel Rio me fez voltar no tempo. Mais precisamente para aquela noite chuvosa. Saí correndo do Siri Mole e mesmo assim cheguei atrasado, coisa de duas quadras, mas a chuva... Com o salão ainda vazio, pude percorrer todos os espaços e me maravilhar com o carrinho de sobremesas, intacto, o monocromático salão vermelho, o saguão madrepérola.


[Os esculturais pães do couvert: atenção aos mínimos detalhes.]


O restaurante foi reformado no final de 2006. Recebeu cortinas de voil e lustres Swarowski, totalmente cenográfico, sem falar da vista para a praia de Copacabana ali pertinho do Forte. Uma cliente de chapéu e óculos escuros jantava numa das primeiras mesas como figurante desse cenário cinematográfico. Coisas do Rio que a gente adora.


[Amuse bouche: brochete de camarão servido com tomate seco e molho de manjericão]


O restaurante oferece menus de degustação mas também pratos a la carte. E o atencioso chef Roland Villard passeia pelas mesas, faz sugestões, é de uma simpatia ímpar. Mas não descuida da cozinha, de onde saem verdadeiras obras de arte. Foram pouco mais de duas horas de verdadeiro deleite, provando as criações do chef enquanto a chuva caía de mansinha pela praia iluminada.


[Trilogia de escargots: em ravióli, à provençal no ramekin e em vol au vent]


O Fricassè de cavaquinha abaixo me fez quase desistir do tour gastronômico que tinha ainda pela frente. Me entreguei até aos doces, afinal como resistir à torta Saint Honoré que brilhava feito jóia no carrinho de sobremesas? Saí maravilhado, já sonhando com um retorno. Segui decidido pela noite chuvosa - ainda restavam três restaurantes para visitar - mas claro que não comi mais nada. Estava rendido.


[Fricassê de cavaquinha com tomate e manjericão em folhas crocantes de papoula. As entradas foram acompanhadas de Montes classic Series 2006 – Sauvignon Blanc]



[Costela de tambaqui -peixe da Amazônia- mousse de batata baroa defumada, molho de tomilho]



[Lagosta assada e gratinada com pinholes, massa fresca à moda carbonara. Os pratos principais foram acompanhados de St. Martin Pinot Noir 2006, um vinho do sul da França]



[Minhas sobremesas: Saint Honoré, uma massa folhada imperial recheada com baunilha e Religiosa, uma massa tipo éclair recheada com creme de chocolate]



[A Saint Honoré, preciosa obra do chef de pâtisserie, Dominique Guerin]



[O carrinho de sobremesas, verdadeira atração com tantas delícias]



[O chef Roland Vilard no balcão do bar]




Le Pré Catelan
Sofitel Rio de Janeiro
Avenida Atlantica, 4240 , Copacabana, Rio de Janeiro
Tel.: 0/xx/21/2525-1232

Escrito por Marcelo Katsuki às 17h15

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Culinária caiçara



Outro dia fiquei quebrando a cabeça quando um chef me pediu dicas para um festival de cozinha caiçara. Caiçara? A gente sabe tanta coisa lá de fora e acaba se esquecendo de olhar para dentro. Uma semana depois recebi o livro Culinária Caiçara (Dialeto Latin American Documentary, 120 páginas) com receitas elaboradas pela chef Ana Bueno, do Banana da Terra, em Paraty. Muita coincidência!

O livro traz textos sobre a história e os hábitos alimentares dos caiçaras escritos pelo antropólogo Antonio Carlos Diegues, tudo ilustrado com belas fotos de Vito d'Alessio, fotógrafo e produtor cultural. E ainda traz receitas deliciosas como o casadinho de camarão e o peixe em crosta de pimenta, valorizando ingredientes típicos da região como o aipim e a banana.

Clique aqui para ver a receita de "Delícia de siri catado com farofinha", essa maravilha aí embaixo.

Escrito por Marcelo Katsuki às 00h08

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Le Vin Bistro - Rio

Comida bem feita te deixa feliz? Para mim é como boa música, que traz aquela sensação de felicidade quase infantil. Tenho me sentido assim quando escuto "When Love Breaks Down" do Prefab Sprout (desenterrei). E foi a mesma sensação de alegria saudosista que senti na semana passada almoçando no Le Vin Bistro (Rua Barão da Torre, 490 - Ipanema/Rio - tel. 0/xx/21/3502-1002).

Nancy Mattos e Francisco Barroso abriram a filial de seu bistrô no Rio depois de três endereços de sucesso em São Paulo. Já estava com saudades dessa que considero uma das melhores comidas de bistrô que conheço. E as toalhinhas de xadrez azul estão lá também, com as fotos antigas, 'mó' clima família, aconchegante, intimista.

A casa está completando quatro meses com um movimento acima da expectativa, segundo Barroso. E no dia em que fui, mesmo com uma chuva persistente, não havia mesa vaga. Pudera, Barroso está 'de plantão' supervisionando a nova casa para garantir a mesma qualidade da matriz paulistana. Meu almoço começou com o couvert opcional (R$ 6,00 no almoço) com pão rústico, manteiga e patê de foie. Uma tacinha de rosé. E seguiu com os pratos de que mais gosto, em especial o polvo macio e levemente picante e o crème brulée impecável, com a capinha crocante perfeita. Tá tudo aí abaixo.


[Polvo grelhado à provençal com fritas e salada (R$ 42,00)]


[Escalopes de vitela com champignons a la creme (R$ 39,00)]


[Tarte de soeurs Tatin (R$ 16,00)]


[Crème brulée (R$ 15,00)]


Foi bom para me lembrar que preciso voltar mais vezes ao Le Vin Bistro. Ainda bem que tem aqui!

Escrito por Marcelo Katsuki às 00h52

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Zeca, tudo de bom!



O querido Zeca D´Acampora, renomado chef de Florianópolis, faleceu no início da manhã de hoje vítimia de um infarto agudo do miocárdio, segundo nota do Diário Catarinense.

O corpo será velado a partir das 13h no Cemitério Jardim da Paz, em Florianópolis. O sepultamento está marcado para as 17h. O blog presta aqui sua homenagem a esse talentoso e querido chef catarinense.


[Zeca no Festival Gastronômico de Pernambuco, em outubro do ano passado]

Escrito por Marcelo Katsuki às 10h08

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Jantar com Filipa Pato


[A enóloga, que comemorou seus 33 anos no dia do jantar]


Filipa Pato é divertida. A filha do renomado produtor de vinhos da Bairrada, Luís Pato, é engenheira química formada mas deixou a carreira para seguir os passos do pai, mantendo uma identidade própria, claro. Ela adora a vida que o mundo dos vinhos oferece: "Num dia estou aqui no Brasil, no outro estou percorrendo os vinhedos em Portugal, depois sigo pro Japão; é muito estimulante", conta Filipa.


[Os vinhos degustados: Espumante 3b, Ensaios FP branco e tinto]


Cheguei pontualmente ao jantar harmonizado com os pratos do chef Felipe Bronze do Restaurante Vizta (Hotel Marina, no Leblon) e como evento de gastronomia sempre atrasa, pude ter uma longa conversa com a Filipa, que dá altas gargalhadas. Foi ótimo. Os vinhos elaborados pela enóloga aliam a tradição dos vinhedos da Bairrada com toques do Novo Mundo em função de sua trajetória pela Argentina e Austrália.



[Felipe Bronze e Filipa Pato comentam os pratos e vinhos da noite]


Os vinhos degustados eram os da linha "Ensaios FP", elegantes e com toque mineral marcante. Isso explica sua grande aceitação no Japão, país para onde exporta parte da produção. "A mineralidade propicia ótima harmonização com os sushis", explica Filipa. E o menu criado pelo chef Felipe Bronze rendeu ótimos momentos com pratos que modernizavam alguns clássicos onde o grande trunfo era o sabor. Uma ótima dupla!


[Caipirinha de ostras, estimulante]



[Os saborosos tartares de atum com gengibre e de salmão com gergelim]



[O intrigante tempurá de ovo de codorna trufado com creme de ovas]



[Mini penne com ostras e espuma de baunilha, harmonizado com o Espumante 3b Bairrada]



[Cherne em crosta de broa de milho com molho extra virgem e purê de alho doce -que adorei- harmonizado com Ensaios FP branco]



[Paleta de cordeiro braseada com especiarias e arroz de favas, saborosíssimo, harmonizado com Ensaios FP Bairrada e Dão tinto]



[Sobremesas: torta rústica de maçãs com sorvete de canela e o intenso fondant crocante de chocolate belga harmonizados com Justino Madeira 3 anos e Porto Messias Tawny]

Escrito por Marcelo Katsuki às 00h31

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Blogs de gastronomia




"Uma espécie de galeria de arte sobre comida"? É o Comes e Bebes segundo O melhor do Brasil da Veja São Paulo.

Clique aqui para ler a matéria sobre os blogs de gastronomia que se espalharam pela rede. Tá todo mundo lá: Saul, Josimar, Beta, Paco, Lu Fróes, Ale Blanco, Sudbrack e os 'destemperados' Diego e Diogo (quase uma dupla musical, hehe).

Escrito por Marcelo Katsuki às 23h47

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Dia de comer zeppole!



Amanhã, 19 de março é Dia de São José portanto dia de comer zeppole! Já comprei o meu na Dulca, aqui na Vieira de Carvalho por R$ 4,80, mas várias doceiras tradicionais da cidade preparam o quitute, como por exemplo, a Di Cunto.

O doce é uma pequena rosca de massa semelhante a de um choux porém frita, envolta em mel de flor de laranjeira e açúcar e coberta em um dos lados com creme patissier. Faz parte da cultura italiana e presta homenagem a São José, considerado pela Igreja Católica o protetor dos trabalhadores e da família por ter estado ao lado de Nossa Senhora e Jesus Cristo.

São José é também padroeiro do Ceará, então se você estiver em alguma das maravilhosas praias cearenses, vai poder curtir o feriadão. Eu trocava pelo meu doce!

Salivou? Faça em casa.

Zeppole
Massa:
- 2 ½ xícaras (chá) de farinha de trigo
- 2 ½ xícaras (chá) de água
- 1 ovo
- 1 xícara (café) vinho branco seco
- 1 pitada de sal
- Óleo de amendoim para fritar
- Açúcar cristal e canela em pó para polvilhar

Ferva a água com o vinho e o sal. Tire do fogo, junte a farinha e volte ao fogo, agora baixo, mexendo até a massa desgrudar da panela. Esfrie e então misture o ovo e faça pequenas rosquinhas. Lembra a receita de churros, né? Frite em óleo bem quente. Passe na mistura de canela e açúcar. Para completar a doçura, faça uma calda de mel com flor de laranjeira e polvilhe com castanha de caju. Se não achar suficiente, cubra com creme patissier e delicie-se.

Escrito por Marcelo Katsuki às 09h46

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Rio Bom de Mesa


Três pratos de três restaurantes que participaram do evento que se encerrou nesse sábado. Foi o que consegui ver na minha rápida maratona. Acabei nem indo ao Carême, ao Rancho Inn e ao Bistrô 66, falta que espero corrigir em minha próxima visita!

No Esch Café Leblon Edgar Esch recebeu o chef Auricélio Romão, da Pousada Zé Maria, de Fernando de Noronha. No Sushi Leblon, Lidia Gonzales teve a companhia do chef André Saburó, do Quina do Futuro, Recife. E o Margutta de Paolo Neroni foi a casa de César Santos, da Oficina do Sabor, de Olinda.


[Filé de peixe em crosta de castanha, caramelizado com frutas picantes e purê de macaxeira do chef Auricélio Romão]



[Auricélio Romão e Marcelo Barreto, chef do Esch Café]





[O sushi de lula com cogumelos do chef André Saburó. Reparem no refinado tratamento dado à pele da lula, toda texturizada ]



[Lidia Gonzales e André Saburó no Sushi Leblon]





[Camarões crocantes empanados na farinha de mandioca e tapioca de legumes grelhados do chef César Santos]



[Conceição Neroni e César Santos na entrada do restaurante Margutta, em Ipanema]

Escrito por Marcelo Katsuki às 10h56

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Rio bom de chuva


[Praia, só pela janela do hotel. E bem tarde da noite...]


Nem parece que passei o finde no Rio! Foi tanta chuva que fiquei entre o hotel e os restaurantes, vendo o mar pela janela do táxi. Nada de caminhadas. Nada de sol e praia nem pensar. Tudo muito cool, muito cinza, uma agenda meio louca que montei para conseguir visitar alguns restôs que participavam do Rio Bom de Mesa e outros que queria conhecer.


[Dizem que 'pobre adora um camarão' e eu não sou exceção, kkkkk! O farto e saboroso prato de espaguete com camarões e cogumelos do Margutta Cittá - Av. Graça Aranha, nº 1, 2º andar - Centro]


Fui ao jantar da enóloga portuguesa Filipa Pato com menu do chef Felipe Bronze, visitei dois franceses (o Le Vin e o Le Pré Catelan), dei um pulo no centro para almoçar no Margutta Cittá, encontrei os chefs no Siri Mole e fui xeretar os pratos do evento no Esch Café, no Sushi Leblon e no Margutta Ipanema. Sobrevivi. E a calça de elástico segue fazendo história, kkkkk!


[Mais camarão: a porção tentadora do levíssimo acarajé com vatapá (R$ 35,00) do Siri Mole & Cia - Rua Francisco Otaviano, 50 - Copacabana, onde o meu lado baiano grita!]


Depois vou postar sobre tudo isso. Por enquanto fica esse aperitivo.


[Luciano Roberto, Flávia Quaresma, Ísis Rangel, Duca Lapenda e André Saburó após o almoço no Siri Mole & Cia]

Escrito por Marcelo Katsuki às 10h19

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Da cuia ao Limoges


[Na cozinha do Alucci Alucci]


Edir Nascimento, a chef do Alucci Alucci (R. Vitório Fasano, 35 - Jardim Paulista - Tel: 0/xx/11/3086-1252) tem uma história ótima, daquelas de heroínas que saem de um povoado do interior do país e conquistam o mundo com seu talento e empreendedorismo. Você está me achando exagerado, eu sei. Mas vai no blog da Edir e leia a sua história. É inspiradora, e ninguém melhor que a própria protagonista para narrar a sua trajetória, das cozinhas de fazenda do Pantanal até a temporada parisiense com aulas no Le Cordon Bleu.

Hoje a Edir comanda a cozinha do Alucci Alucci com seus pratos criativos mas acima de tudo saborosos! O restaurante é freqüentado por um público descolado (fica em frente ao hotel Fasano) e tem vários ambientes, alguns despojados como o da entrada. O meu favorito? A 'sala de cristal', sou over eu sei, mas fica lá dentro depois de uns drinques. O mundo fica tão mais bonito (e cintilante, hehe!).



[Os couverts à espera do delicado caldinho de feijão]


Mas como quem fica parado é poste - como diz o Simão - a Edir ainda teve fôlego para uma nova empreitada. Abriu recentemente o 339 Gastronomia (Rua Manoel Jacinto, 339, na Vila Sônia - Tel. 0/xx/11/3746-5415) com a irmã, onde oferece serviço de bufê e encomendas de massas diferenciadas, dá aulas especiais para solteiros (danada!), faz e acontece. Afinal, a moça não veio aqui pra pouca coisa. Olha só o que eu comi no Alucci.


[Sushi de magret de pato, fatias finas de peito de pato levemente grelhadas com arroz japonês e molho de saquê e maçã]



[Rolinhos crocantes de atum com quatro molhos]



[Camarão crocante ao molho thai, arroz com manga e sementes de papoula]



[Cordeiro ao molho de menta servido com batata ao murro]



[A maravilhosa batata ao murro com azeite, alecrim e pimenta.
Eu poderia comer essa batata pura todos os dia. E dá-lhe calça de elástico!]

Escrito por Marcelo Katsuki às 08h24

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Receita de salmão marinado

Aprenda a preparar o salmão marinado do chef Roland Villard, o mesmo que ele serve no premiado Le Pré Catelan do Sofitel Rio, ou seja, simplesmente um luxo, hehe!


Salmão marinado
1 peça de salmão (1 1/2kg com pele)
150 g de açúcar
150 g de sal grosso
15 g de pimenta do reino quebrada (não moída)
3 maços de endro (aneto/dill)

Preparo: misture todos os ingredientes secos e espalhe sobre o lado sem pele do salmão. Cubra com o endro e envolva a peça em filme de pvc para conservar bem. Deixe na geladeira por 48 horas. Retire do filme, limpe os excessos e lave com água gelada (importante). Se ficar muito salgado, deixe de molho em água gelada por 30 minutos na geladeira e escorra. Para servir, corte com uma faca bem afiada no sentido da cabeça em direção ao rabo do peixe, sem aplicar força, apenas deslizando a lâmina, pacientemente.



Um acompanhamento perfeito para o salmão é a Salada agridoce de pepinos. Easy! Pegue 1 kg de pepino japonês, tire parte da casca e corte em rodelas finas (pode ser num fatiador). Salgue com 30 g de sal e deixe escorrer a água por 1 hora. Lave em água corrente para tirar o sal. Aqueça 300 ml de água com 150 ml de vinagre de álcool o suficiente para diluir 80 g de açúcar. Junte essa solução ainda morna ao pepino e deixe esfriar. Guarde com o líquido na geladeira, escorra na hora de servir.

Salmão é tendência? Senta aqui e relaxa.

Escrito por Marcelo Katsuki às 09h28

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

E o Oscar de melhor ovo vai para...

...as três leitoras abaixo que arrasaram com suas criações. É o resultado do "Gente que faz" da semana passada, dá uma olhada:

Mini ovos de Páscoa de colher, recheado de ganache de chocolate com gengibre e creme de chá verde. Preço R$ 35,00. Alessandra Matsumoto - tel. 0/xx/11/3477-5954 e 4799-1744.



Ovo drageado recheado com mini-ovinhos dragée. Preço R$ 26,00 o de 250 g. Gisela Schmitt - tel. 0/xx/11/8193-0803.



Ovo de chocolate belga com casca recheada. Helena Gasparetto - Email: lenag@uol.com.br

Escrito por Marcelo Katsuki às 09h16

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Um drinque para a Páscoa

Mais chocolate! O drinque elaborado pelo mestre Derivan Souza do Esch Café foi batizada de Esch Dream, e tem entre seus ingredientes licor, chantilly e muito chocolate. A idéia é "beber o chocolate como se estivesse comendo uma barra do mais puro ao leite". Então não exagerem no licor!!!



Esch Dream
Ingredientes:

80 gramas de chocolate ao leite com mel
300 ml de leite quente
30 ml de Marula licor
Creme chantilly
Callets (confetes) de morango para decorar

Modo de preparo:
Dissolver o chocolate no leite bem quente e deixe esfriar. Em um copo especial coloque 3 pedras de gelo e, em seguida, o licor e o chocolate frio. Cubra o drinque já pronto com o chantilly e decore com os Callets.

Escrito por Marcelo Katsuki às 12h38

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Qual o seu chocolate favorito?

Mais uma daquelas bobagens da internet que a gente adora, hehe. Escolha o seu favorito e descubra-se (ui). Felizmente o meu favorito não está na lista: Twix. Imagina o comentário: você é pequeno, grudento, não dura nada, kkkkk!



Sensação: Aventura
Você é uma pessoa aventureira e batalhadora, que gosta de emoções fortes e não leva desaforo para casa. Quem te conhece bem sabe que por trás das aparências você é uma pessoa extremamente meiga, dócil, e muito influente com seus amigos.

Charge: Bem-humorado
Todo mundo gosta da sua companhia porque você é um agitador. Você gosta de brincar com tudo e com todos, e ama quando os outros fazem o mesmo com você. Sua maior qualidade é a fidelidade.

Prestígio: Sexy
Energético, vivaz. Você é uma pessoa que gosta de viver e de curtir cada momento. Prepare-se para a fama, pois ela virá naturalmente. Você sempre será um arrasador de corações, mesmo que não queira.

Barra de cereais: Esportista
Você ama os esportes em geral, independente de qual seja. Seu modo de vida, seu temperamento, seu passado, seu futuro, tudo está relacionado ao esporte. Você é capaz de chorar quando seu ídolo esportivo se aposentar ou morrer.

Chokito: Risonho, amável, aconchegante
Você é o par perfeito para quem gosta de charge. Você ri de tudo, antes que alguém diga ou faça alguma coisa, você já está rachando o bico. Você possui um coração imenso. A memória do seu celular vive lotada de números.

Suflair: Maduro, charmoso, com estilo
Você é o namorado que todo mundo gostaria de ter. É maduro, inteligente e versátil. Você sabe se relacionar afetivamente como ninguém. As pessoas vivem suspirando por você. Como nem tudo é perfeito na vida, você não é lá muito fiel.

Alpino: Elegante
Você é uma pessoa chique, em todos os sentidos e sabe falar em público. Por causa do seu sucesso você acaba atraindo a inveja e o rancor de outras pessoas. Seu principal defeito é ser meio desastrado.

Lancy: Ingênuo, amável, doce
Você gosta de tudo que é infantil, alegre e colorido. É cheio de alegria e espontaneidade. Você tem a maturidade de um adulto e a singeleza de uma criança, o que faz de você uma pessoa feliz. Abra os olhos para não cair em ciladas.

Sonho de Valsa: Romântico, sensível e amoroso
Você adora presentear e ser presenteado. Você adora dançar coladinho. Seu grande defeito é ser muito ciumento. Duas ou três pessoas já romperam com você por achar que você "gruda demais".

Bis: Sucesso e realização
Você nunca está contente com a situação atual, sempre buscando trabalhar para melhorar as coisas. Mas isso não significa que você nunca esteja feliz, porque você é uma pessoa humilde e sábia, e a prova disso é que todo mundo adora seus conselhos.

Escrito por Marcelo Katsuki às 12h25

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

elBulli em casa?


Pede no delivery! Clique aqui e conheça os produtos do catalão que revolucionou a gastroquímica, ops, gastronomia mundial. Quer aulinhas com o mestre? Separe uns euros e voa!

Já se você estiver em NYC, clique aqui para comprar a sua seringuinha.



Escrito por Marcelo Katsuki às 12h12

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Agenda gourmand



Amanhã, 12 de março, às 18h30 a professora Lumi Toyoda fará uma palestra sobre etiqueta japonesa gratuita no SESC Pinheiros como parte do evento Comidas, Palavras e Prazeres com a palestra "A Etiqueta da Culinária Japonesa". Inscrições pelo telefone 0/xx/11/3095-9400 - falar com Central de Atendimentos. Maiores informações aqui.






O chef Auri da Pousada Zé Maria de Fernando de Noronha ensinará as delicias do restaurante como: arroz de polvo, peixe na folha de bananeira e peixe com frutas tropicais além do famoso arroz com café e mel. Acostumado a cozinhar para as celebridades que visitam a ilha, Auri tem sempre receitinhas novas e interessantes para a clientela descolada. A aula acontece no dia 19 de março, às 19h30 na Viandier Casa de Gastronomia (Lorena, 558 Jardins - tel. 0/xx/11/3057-2987). Na Semana Santa e Páscoa a casa oferecerá almoço especial com horário das 11:30 às 18:00 hs.






O Senac São Paulo traz ao Brasil, nos dias 17, 18 e 19 de março, representantes da fundação catalã Alícia que surgiu com o apoio do renomado chef Ferran Adrià, para palestras e aulas demonstrativas nos campi São Paulo, Águas de São Pedro e Campos do Jordão. Alícia é uma das mais importantes fundações de pesquisa científica na área de gastronomia e nutrição. Informações e inscrições: 0800-883-2000. Valor: R$ 60, R$ 30 estudantes e gratuito para alunos, ex-alunos e docentes do Senac São Paulo.






A Pizzaria Bráz agora conta com ingredientes de altíssima qualidade, selecionados a dedo em respeito à pizza artesanal de origem. As pizzarias de São Paulo, Rio e Campinas trazem agora tomates San Marzano (variedade San Marzano DOP), orégano siciliano mais perfumado, alcachofras Forggia (de Nápoles e Vesúvio) e alice de Cetara, uma pequena vila de pescadores na costa Amalfitana. Ou seja, o que era bom ficou ainda melhor, Lombardi!!! Os produtos são importados diretamente de produtores italianos com exclusividade para as casas Bráz. Endereços e telefones, clique aqui.






A Expo Café e Negócios 2008 acontece nos dias 18 e 19 de março em Londrina, Paraná e reunirá produtores em uma oportunidade exclusiva para a troca de informações sobre o produto na região. Acontecerão diversas palestras com entrada gratuita e os visitantes poderão conhecer todas as etapas do Ciclo do Café Gourmet, desde a produção, passando pelo trade e abastecimento, até a exportação. Além disso, os visitantes poderão realizar uma inspeção técnica no Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR - Rodovia Celso Garcia Cid, km 375) local do evento.






"De quem é esse pint?” Oito célebres integrantes do Clã Guinness foram convidados a imprimir no típico copo da cerveja suas marcas pessoais. As peças vão ser expostas no All Black (Rua Oscar Freire, 163 - Jardins - tel. 0/xx/11/3088-799) e os clientes vão ser convidados a fazer suas apostas e desvendar quem é o criador de cada pint. Entre os criadores estão Eduardo Hypolitho, João Suplicy, Paulo Ricardo, Supla, Edgard Scandurra e Kid Vinil. Que tal adivinhar quem criou as "obras de arte"?






O Melhor Bolo de Chocolate do Mundo (Rua Oscar Freire, 125, Jardins - tel. 0/xx/11/3061-2172) se vestiu para a Páscoa com direito a um ninho de pétalas douradas recheado com mini-ovos de chocolate Valrhona do tipo Equinoxe, sendo os brancos de amêndoa com gianduia e os pretos de amêndoas ao leite. A decoração tem ainda pó de ouro 23 quilates da tradicional marca italiana FRM. A versão para 8 pessoas custa R$ 135,00 mas vale quanto pesa, hehe.




O La Casserole (Largo do Arouche, 346 – Centro - tel. 0/xx/11/3331-6283) vao celebrar os grandes vinhos nacionais com o evento "Le Grand Vin de 2008". De 13 de março a 12 de abril os grandes vinhos nacionais serão harmonizados com um cardápio que mescla técnicas francesas com ingredientes bem brasileiros, como a pamonha brullé, Tarte tatin de goiaba e o escondidinho de confit de pato. Mas se você estiver longe ou não puder comparecer ao charmoso restaurante da Marie-France, pode preparar o delicioso 'Pot au feu de cabrito' do restaurante em casa. A receita tá logo abaixo.


Pot au Feu de Cabrito
Rendimento: 4 porções (foto acima)

Ingredientes
Para o caldo

700 g de costela de cabrito em pedaços
700 g de músculo de cabrito
160 g de mini abobrinha
160 g de mini cenoura
160 g de mini erva doce
2 dentes de alho picado
2 cebolas pequenas descascadas e cortadas ao meio
120 ml de óleo de canola, algodão ou girassol
3 ramos de tomilho
1 folha de louro
10 sementes de coentro em grão
Sal e pimenta a gosto

Modo de Preparo
Porcionar a costela de cabrito em pedaços com até três ossos e o músculo em pedaços de no máximo 200 gr. Temperar a carne com sal e pimenta a gosto.
Em panela funda (tipo caldeirão) bem aquecida, esquentar o óleo e adicionar os pedaços de carne, um por vez para que a carne doure sem que solte seus sucos.
Acrescentar as cebolas e o alho, mexer brevemente e cobrir a carne com a quantidade suficiente de água.
Ao levantar fervura, adicionar o tomilho, o louro e o coentro.
Tampar a panela e deixar cozinhar por 5 horas em fogo baixo ou até que a carne esteja macia. Verificar com freqüência a panela, já que a carne deve estar sempre coberta de líquido. Caso seja necessário, adicionar água.
Ao final desse período, destampar a panela, acrescentar o restante dos ingredientes e deixar cozinhar até que estejam macios (não moles) e levemente resistentes (al dente), deixando o caldo evaporar até a metade da quantidade inicial.
Ajustar o sal e a pimenta.

Serviço
Em prato fundo, colocar primeiro o caldo e depois acrescentar as carnes, os mini legumes.
Servir com um ramo de salsinha (ou ciboulette) picado.
Obs: É importante utilizar o sal com parcimônia já que o caldo vai reduzir quase pela metade e tornar-se bastante apurado.

Escrito por Marcelo Katsuki às 11h34

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Finde em Campos do Jordão


[Vista da minha suíte no Grande Hotel: não quero outra vida!]


Pena que acabou. O final de semana foi super agradável com o clima serrano de Campos e suas exuberantes paisagens. Alguns workshops, vinhos, cervejas e muitos petiscos! O roteiro está todo abaixo mas aqui nesse post recuerdos do agradável almoço que tivemos no Restaurante Araucária, com um menu especialmente elaborado pelo chef Felipe Alves de Oliveira do Grande Hotel.


[Salada de confit de pato com folhas e flores da estação ao molho de ervas, devidamente acompanhado por um espumante Casa Perini Prosecco]


[Bacalhau assado com ragu de legumes harmonizado com Tinto Tempranillo Finca el Retiro]


[Filé de vitela com crocante de presunto cru e 'duxelles' de cogumelos e aspargo fresco, acompanhado de um Tinto Polenta La Flor]


[Biscuit de Pistache com Parfait de chocolat ao creme de frutas vermelhas, acompanhado de um curioso vinho Morandé de uvas congeladas, conhece? Pois então se prepare para a modinha da próxima temporada!]


[Nossa mesa de gastromaníacos: Lúcio Ribeiro, Ale Blanco do blog Comidinhas, eu (com os dentes ridiculamente roxos de vinho!), Carlos Ribeiro, Cris Couto, Horst Kissmann e Mrs. Kisswomann]

Escrito por Marcelo Katsuki às 23h31

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Workshops e Botequim Gourmet

Confesso que tenho uma certa preguiça de assistir às aulas... Mas em se tratando de grandes chefs, acabo me animando! Na aula com o Rolland Villard aprendi várias coisas que já sabia teoricamente, mas que mudam de figura quando você vê o chef ali, preparando tudo na sua frente. E as técnicas de corte, a prática no manuseio de panelas e utensílios é sempre um show à parte.




O primeiro workshop de sábado foi com o chef Laurent Suaudeau que ensinou a preparar uma "Saladinha de feijão com escabeche de sardinha". O chef, o mais sério e compenetrado dos três, demonstrou toda sua habilidade e conhecimento dando dicas e preparando uma receita que pode fazer até quem não gosta de sardinha virar fã.

Logo em seguida entrou o chef Emmanuel Bassoleil, que provou o prato, fez careta e provocou: "Ele está dando isso para vocês comerem???" Riso geral.




Bassoleil preparou uma "Tortilla de carneiro confitado, hortelã e uvas passas no conhaque". Ensinou até um alho caramelizado da decoração que darei aqui, prometo. Aliás, os preparos dos pratos dos três chefs eram tão interessantes como os produtos finais. Alguns itens da receita do Roland Villard como o limão confitado e o salmão marinado devem virar hits lá na cozinha de casa!

Terminada a bateria de aulas, a noite foi na Choperia Baden Baden (Rua Djalma Forjaz 93, Vila Capivari - Campos do Jordão - tel. 0/xx/12/3663-3610) onde pudemos degustar todos os nove petiscos criados para o evento. Noite animada apesar do frio (mas esse é o grande charme de Campos, certo?) provamos todos os petiscos e ficamos elegendo os nossos favoritos. A Guta adorou o toast com melaço de cerveja, o Carlos ficou com o croquete de paella, a Cris com os croquetes de abóbora e carne seca e eu adorei o club-sanduíche, a minha cara!




[12ºC: noite fria mas animada, em clima de pré-inverno!]


[Croquetes de paella com molho caliente com açafrão e petit gâteau de bacalhau recheado com caldo de feijão]


[Toast de queijo no pão de trigo e melaço de cerveja, ótima combinação]


[Tortilla de carneiro confitado com menta fresca e uvas passas ao conhaque]


[Club-sanduíche de blinis e salmão marinado com requeijão cítrico de limão confitado]


[Lombinho pururuca com pirão de mandioca]


[Empada a francesa com confit de rabada de boi e especiarias]


"Comida bem feita e com bons ingredientes é a alta gastronomia.
E fim de papo."

Chef Laurent Suaudeau ao explicar seus pratos de boteco para o evento "Botequim Gourmet Baden Baden", num rápido insight sobre a baixa gastronomia.

Escrito por Marcelo Katsuki às 22h19

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Cervejaria Baden Baden



No sábado fui conhecer a fábrica da Baden Baden (R. Mateus da Costa Pinto, 1.653 - Campos do Jordão - tel. 0/xx/12/3664-2033) para aprender um pouco sobre o processo de produção artesanal da primeira cerveja gourmet do país. Foi bacana ver que mesmo depois de comprada pela Schincariol, os processos artesanais foram mantidos para garantir a qualidade da produção das cervejas Cristal, Weiss, Stout, Bock, Red Ale e outras com composições diferenciadas e de fabricação sazonal.



Passamos pelos tonéis e numa rápida aula aprendemos dicas para compra, armazenamento e consumo da cerveja. Provei a levedura, talvez a coisa mais amarga que já coloquei na boca! Degustamos os chopps Pilsen Cristal e Bock no barzinho da fábrica. E na saída passamos pela lojinha, bem no esquema 'parque temático', hehe. Acabei comprando uma caneca pesadíssima da cerveja Stout, que deve me acompanhar nas próximas 'brejas' em casa. Passeio rápido, educativo e gostoso!

Escrito por Marcelo Katsuki às 21h59

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Workshop com Roland Villard


Assisti ontem à aula do chef executivo do "Le Pre Catelan", Roland Villard e aprendi a preparar um dos nove petiscos criados por renomados chefs para o Boteco Gourmet da Baden Baden aqui em Campos do Jordão. Na verdade aprendi muito mais: o chef ensinou detalhadamente o preparo de 'blinis', salmão marinado e defumado, cream cheese cítrico, salada de pepino agridoce e um maravilhoso 'limão confit'. Todos os componentes do seu "Club-sanduíche de blinis e salmão marinado com requeijão cítrico". Uma maravilha, prometo depois postar a receita aqui detalhada.


Roland ensinou até a técnica para fatiar o salmão bem fininho e como reconhecer uma peça boa. Deu dicas para os alunos do Senac, onde acontecem os workshops, principalmente sobre as exigências da profissão. Muito esclarecedor! Amanhã tem mais dois workshops: um logo cedo com Laurent Suaudeau e outro na seqüência com Emmanuel Bassoleil, com quem jantamos hoje.


[Os blinis com salmão que degustamos durante a aula]





[Fondue de carne na pedra vulcânica com 12 molhos, meu pré-jantar no restaurante Le Foyer, dentro da pousada La Villette que faz parte dos Roteiros de Charme. Uma visita rápida à chef Dulce, espero poder voltar em breve!]





[O jantar com os chefs foi no Baden Baden e eu fechei a noite com esse generoso prato com seleção de salsichas, joelho de porco, bisteca, batata e chucrute. Talvez por isso eu ainda esteja aqui acordado postando!]


Amanhã tem mais!

Escrito por Marcelo Katsuki às 01h20

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Aceita uma caneca de bolo?


Se prepara que lá vem loucurinha. Bolo quente dá piriri? Isso não sei, mas esse me causou um ataque de risos! É fácil, rápido e divertido, ideal para distrair os pequenos no finde. Então lá vamos nós com a exótica receita do Bolo de caneca!

A brincadeira é que você bate os ingredientes na própria caneca com um garfo (eu usei um fouet pequeno) e põe no microondas por 3 minutos. Mas eu, com minha mania de limpeza, resolvi trocar a massa de caneca e dei uma leve untada. Resultado, o bolo cresceu e subiu feito um tubo. Ridículo, kkkkk! Mas ficou gostoso e já vou adiantando: a massa crua é mais mole que a de um bolo normal mas é assim mesmo. Não aumente a farinha ou terá um bolo duro!


Bolo de caneca
Você prepara na própria caneca que irá consumir e em apenas 3 minutos no microondas.

Ingredientes:
- 1 ovo pequeno
- 4 colheres (sopa) de leite
- 3 colheres (sopa) de óleo
- 2 colheres (sopa) rasas de chocolate em pó
- 4 colheres (sopa) rasas de açúcar
- 4 colheres (sopa) rasas de farinha de trigo
- 1 colher (café) rasa de fermento em pó

Modo de Preparo:
- Coloque o ovo na caneca e bata bem com garfo.
- Acrescente o óleo, o açúcar, o leite, o chocolate e bata mais.
- Acrescente a farinha e o fermento e mexa delicadamente até incorporar.
- Leve por 3 minutos no microondas na potência máxima.

Dicas
- A caneca deve ter capacidade de 300ml.
- A medida de colher é sempre rasa.
- Se você deseja desenformar da caneca, unte uma outra caneca com um pouquinho de óleo, mas prepare-se para o efeito 'tubo', hehe.
- Você pode servir este bolo com coberturas, caldas, castanhas e sorvete. E pode comer quente!
- Pensamento que me acomete nesse momento: trocar o chocolate por Clight de laranja ou de abacaxi (e reduzir o açúcar) para um 'bolo de frutas'. Muita loucura?

P.S. Receita recebida por e-mail. Crédito para o culinarista Mauro Rebelo.

Escrito por Marcelo Katsuki às 00h14

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O blog em números

Acabei de ver o relatório de audiência do blog e apesar do Carnaval, do mês curto e de um dia não contabilizado, fevereiro foi o mês de maior audiência do blog desde sua criação, uhu! Divido aqui alguns números curiosos (e minha contida satisfação) com vocês! Obrigado, pessoal!!!

Escrito por Marcelo Katsuki às 23h32

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Gente que faz


[Ovo recheado com damascos turcos banhados em chocolate, e casca decorada com nozes, uva passa e amêndoas (R$ 31,00 - 400g). Regina Emy, tel. 0/xx/11/5073-0115 ou 9231-3085]


Tirando proveito dessa interatividade que só a Internet é capaz, vou dar um post na semana que vem com os Ovos de Páscoa mais bacanas dos leitores. Se você faz ovos de chocolate para vender ou conhece alguém que faz uns ovos caprichados, tira uma foto e manda para mim. Mas não vale ovo industrial, tem que ser produção caseira!

Para enviar, basta clicar aqui, digitar uma breve descrição do ovo (como essa aí de cima), preço e telefone para contato e atachar a foto. Só uma foto, tá, para não sobrecarregar meu e-mail! É uma oportunidade para você divulgar seu trabalho, pode ser de qualquer lugar do Brasil. O prazo se encerra na terça-feira, dia 11, tô esperando!

Escrito por Marcelo Katsuki às 12h07

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Nordeste Culinária em Maceió



Alô Maceió! De 27 a 29 de março acontece o Nordeste Culinária, encontro entre empresários, chefs, nutricionistas, profissionais, estudantes e interessados pela área de alimentos e bebidas. O evento é realizado pela ACAL (Associação da Culinária de Alagoas) e é um dos principais eventos do setor no Nordeste. Idealizado pela culinarista e tecnóloga Simone Muniz e pelo Chef Wanderson Medeiros, será realizado no Centro Cultural e de Exposições de Maceió, Alagoas.

O evento tem como objetivo divulgar a culinária nordestina e contribuir para o desenvolvimento dos profissionais da área, com vários cursos nos auditórios, aulas e palestras com chefs convidados sobre diversos temas. Clique aqui para ver a programação do evento e garanta a sua vaga!

Escrito por Marcelo Katsuki às 10h43

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Enofashion


[Rolhas ou Perlage? Isso pode dizer muito sobre você, hehe]

Agora é moda! O universo dos enólogos e sommeliers foi parar nas passarelas! A estilista Fabiana Torres da descolada marca Thorrè (Rua Peixoto Gomide, 1801 - Casa 1 - tel. 0/xx/11/3061-0369) passou dois meses pelas vinícolas da França que serviram de inspiração para sua nova coleção cheia de rolhas e borbulhas de champanhe em vestidos e blusas de modelagens soltas e confortáveis. Alexandra Corvo para top model da marca, hehe!

Para amarrar o conceito, sua sócia Daniela Torres fechou parceria com a importadora World Wine que está oferecendo degustação de espumante na Thorré e aulas temáticas para clientes em sua loja nos Jardins. Tin-tin!

Escrito por Marcelo Katsuki às 09h35

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Piove e a cozinha do chef Volmar Zocche


Baila comigo! Conheci um lugar super divertido chamado Piove (Rua Jerônimo da Veiga, 75 Itaim Bibi - Tel. 0/xx/11/3071-2301). Trata-se de um espaço com bar e restaurante divididos por um palco com música ao vivo de qualidade. A noite começa com um grupo que toca jazz e bossa nova e que depois é substituído por outro de MPB e músicas latinas, até a pista ficar bem animada.

As pessoas chegam e se cumprimentam, abraçam os garçons (que conhecem bem e chamam pelos nomes) tudo no maior clima de clube! As mulheres capricham na produção, casais arriscam passos elaborados na pista, a cantora arrasa no gogó. A freqüência é majoritariamente adulta, acima dos 40 anos (meu Deus, será que foi por isso que gostei tanto? É a PVC!!!)


[O chef Volmar Zocche]


Mas o melhor é que no meio de toda essa animação você encontra uma cozinha surpreendente! Quem comanda as caçarolas da casa é o experiente Volmar Zocche, um chef que admiro porque consegue tirar sabores notáveis de receitas simples. Dê uma berinjela e um pacote de massa e ele prepara um inesquecível Timballo de melanzane. Foi assim que conheci o Zocche e me rendi ao seu talento.


[Mini ravióli de codorna com pomodoro e muzzarela de búfala]


Alguns clientes até criaram um 'clube do Bolinha' que se reúne às sextas-feiras no almoço para comer as criações do chef num esquema informal e amigo. No dia em que fui, o Zocche já preparava o leitão crocante para o almoço do grupo, quase voltei lá no dia seguinte, hehe.


[O leitão do almoço do 'clubinho']


No Piove há ótimos pratos e para todos os gostos. Opções leves como o Talharim light com limão siciliano e vodca e o Filé de linguado grelhado com abacaxi e rúcula fazem o maior sucesso entre as mulheres. E o melhor é que você pode comer na madrugada, pois o restaurante fecha tarde.


[Risoto de cavaquinha com aspargos e limão siciliano]


Eu provei meias porções de raviole de codorna, risoto de cavaquinha com aspargos e comi um crepe de frutas vermelhas que fechou a noite com a doçura necessária. Acompanhei os pratos com um argentino Alto las Hormigas Malbec (R$ 60,00), que deixou o momento ainda mais prazeroso, intimista. O Piove é uma ótima opção para uma noite animada com os amigos. Mas pode ser também o lugar perfeito para uma baladinha romântica que pode ficar mais animada. 'Mó climão'!


[Crepe de frutas vermelhas com sorvete de creme]

Escrito por Marcelo Katsuki às 08h45

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Brasil com gosto de infância


[Mini acarajé, vatapá, caruru, camarão e vinagrete de tomates verdes - R$ 18,00]

Fui ontem ao Brasil a Gosto (R. Prof. Azevedo do Amaral, 70 - Tel.: o/xx/11/3086-3565) para conhecer o novo cardápio da casa, renovado sempre no começo do ano. São 18 novidades entre opções de entradas, pratos principais e sobremesas. Os pratos foram criados pela chef Ana Luiza Trajano juntamente com o chef executivo Wlysses Reis.

De entrada, pasteizinhos, bolinhos de peixe, casquinha de camarão com farofa de dendê e acarajés, esses em versão miniatura e dispostos em uma peça tão bonita que tive de fotografar (foto acima). A peça é da Gisele Gandolfi, da Cerâmica Muriqui de Ibiúna, responsável por todas as peças de cerâmica do restaurante. A artista privilegia as formas orgânicos, como a cabaça, a casca de coco, a abóbora. As texturas também são lindas, dá vontade de levar pra casa (e você pode comprar as peças lá mesmo!).

Seguiram-se depois duas saladas que mesclavam texturas e sabores com massa filo, queijo grelhado e molhos adocicados; dois peixes de água doce: um pirarucu grelhado com molho de coco e capim limão e um tucunaré assado em folha de bananeira com palmito pupunha. O palmito foi um show à parte com textura extra macia e sabor suculento. O segredo? Foi assado, confitado em manteiga de garrafa e óleo e depois grelhado, resultando num acompanhamento delicioso!

As carnes traziam alcatra grelhada com quirela gratinada e molho de tamarindo. E uma fraldinha acompanhado de um baião de dois leve e saboroso. De sobremesa, orelha de frade (que eu loucamente chamei de 'careca de padre', kkkk!), quebra queixo, doce de leite e doce de mamão verde. Também uma deliciosa Maria Mole com baba de moça e coco fresco, que me fez viajar algumas décadas atrás (cruzes!) em busca das comidas da minha infância. Lúdico e encantador, resultado do esmero e atenção aos detalhes do trabalho da chef Ana Luiza Trajano.

Escrito por Marcelo Katsuki às 10h02

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Menu


A esperada reformulação da revista Menu finalmente chegou às bancas. Viva! O novo logotipo e a capa limpa, branquinha, já anunciam mudanças, que podem ser conferidas também no conteúdo, agora editado pela Suzana Barelli (ex-Prazeres da Mesa). Suzana levou o reforço das espevitadas Cris Couto e Bia Marques que assinam matérias ótimas sobre o Madrid Fusión, chocolate de origem e ervas, além da coluna Aperitivo, cheia de notinhas interessantes.

Tem ainda a mestre cervejeira e beer sommelier Cilene Saorin mostrando cervejas para acompanhar sobremesas, a própria Suzana falando de vinhos e do Rubaiyat, Silvana Azevedo desfiando histórias e receitas de bacalhau, uma matéria inusitada sobre beterrabas e é claro, tudo permeado por muitas receitas. R$ 8,90 por uma edição bombator, não perca, afinal reestréia é como primeiro capítulo de novela: recheado de acontecimentos, hehe!


[Foto da nova equipe que eu peguei no Blog da Bia com a Suzana Barelli de branco]

Escrito por Marcelo Katsuki às 09h21

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pum


[pasta de raiz forte]

Essa é boa! Cientistas japoneses inventaram um despertador que acorda a pessoa com cheiro de wasabi (raiz forte). A idéia é meio doida mas os fins são nobres: beneficiar os deficientes auditivos. Eu, se tivesse que ser acordado por um cheiro forte, escolheria o do picles de nabo japonês. Não tem coisa mais fétida, é abrir o saquinho para uma nuvem de moscas voar na sua direção!

Tá, eu sou um pouquinho exagerado. Mas uma vez comprei um pacote desse picles na Liberdade e peguei o metrô até o Paraíso. Ficou todo mundo resmungando baixinho até que desci na plataforma e fui apontado por toda a lotação que ria nervosa, imaginando que eu sofresse de 'flatulência-descontrol'. Vexame... E você, tem algum cheiro que te incomoda tanto?

Clique aqui para ver o video.

Escrito por Marcelo Katsuki às 19h12

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Três festivais gastronômicos

Três festivais, três países e em três hotéis. Foi a minha maratona gastronômica da semana passada! Quarta-feira no Canadá (Sofitel - restaurante P. Verger), quinta-feira na Alemanha (Hilton - restaurante Canvas) e sexta-feira no Japão (Intercontinental - restaurante Tarsila). Uma loucura eu sei! Mas 'comer é preciso' e viver também, hehe. Abaixo, um breve panorama do que vi.




Festival do Canadá no P. Verger (Sofitel)
Sofisticado. O chef canadense Jean Soulard trouxe a multicultural cozinha canadense com ingredientes silvestres, sabores de influência francesa, oriental e até italiana. Execução e apresentações primorosas, sabores precisos de uma grande cozinha. Casa lotada não impediu um serviço atencioso e rápido.


[Salada crocante de caranguejo e truta defumada, mesclados em creme levemente azedo e massa assada. O melhor, já no começo da degustação]



[Escalope de foie gras grelhado e maçã caremelizada]



[Sopa cremosa de ervilhas com mexilhão. Apresentação inusitada]



[Tartare de vieiras enrolado em salmão defumado]



[Fricassée de lagosta com especiarias, figo e risoto de cereais]



[Tournedo com torta de milho e batata, molho de vinho branco e Canneberges, típicos do Canadá]



[Peito de pato com molho de maple e fondante de minifuncho]



[Sobremesa: sopa de frutas frescas e sabayon de espumante de maçã, seco]



[Bombons crocantes com framboesa ao molho de Cointreau, frutas silvestres e sorbet com crocante e xarope de maple]





Festival Alemão Kulturfest no Canvas (Hilton)
Experimental. O jovem chef alemão Simon Tress une suas raízes na cozinha orgânica com sua paixão pela cozinha molecular, o que pode resultar em criações inusitadas como o Salmão "sous vide" com guacamole e espuma de cerveja. Gosto amargo de fruta verde, espuma seca e rabanetes ácidos num prato que prescinde de alguma harmonia. Desconstrói pratos como o Bolo Floresta Negra, empilhando seus ingredientes e consegue um resultado interessante, embora se saiba que o grande trunfo desse bolo é 'comer no dia seguinte', quando a massa envolve todos os sabores doces e alcólicos da receita. Enfim, uma experiência.


[Salmão "sous vide" sobre guacamole com salada de rabanete ao limão, camarões de Büsum e espuma de cerveja]



[Surubim assado sobre creme de ervilhas e espuma de trufas]



[Rolê de frango sobre molho de tomate, baunilha e manjericão. Polenta assada e ravióli de ricota com azeitonas. E o frango virou um salsichão alemão, hehe]



[Sopa espumante de cenoura e gengibre com brusqueta de maçã e alcaparras. Apesar de eu não ser um grande fã de sopas, foi o melhor da noite]



[A variante da torta de cerejas Floresta Negra. Ao fundo, o chef]





Festival Japonês no Tarsila (InterContinental)
Caseiro. O serviço em bufê foi a forma encontrada para dispor as mais de 40 opções de pratos preparados pelos chefs Shoji Nasuno e Kei-ichi Seki, ambos do InterContinental Yokohama The Grand. Algumas novidades como o sushi de macarrão (soba) mas no geral pratos bastante conhecidos no Brasil, como o Sukiyaki (cozido de carne e verduras), Tempurá (fritura) e Udon (macarrão). O ponto forte foi a presença do chef preparando sushis no salão garantindo peças fresquinhas. Mesas lotadas de famílias nipo-brasileiras encantadas com as belas apresentações de kotô (cordas), shinobuê (flauta de bambu) e até taikô (percussão), mas que saíram de suas casas para se deliciar com... comida caseira.


[O chef Kei-ichi Seki preparando sushis no salão]



[Sushis variados, vieiras, polvos e ovas



[O saboroso udon, de massa leve e caldo preciso]



[Chawamushi: ovos com cogumelos, tempuras e legumes cozidos]



[Apresentação musical: taikôs]



[Rolinho de inspiração vietnamita e o sushi de macarrão verde]



[Sukiyaki em ramequin com ovo cru]



[Gelatina de alga marinha "ágar-ágar" com feijão doce tipo azuki]



[Tortinha de chocolate com frutas. Peguei pensando que era de chá verde...]


Escrito por Marcelo Katsuki às 11h05

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Baixa gastronomia em alta


[Lombinho pururuca e pirão de mandioca por Laurent Suaudeau]

Lugar de chef é no boteco! Afinal, muitos adoram se jogar nos 'sujinhos' da cidade depois do expediente, não é mesmo? Agora três grandes chefs emprestaram seus talentos e criaram petiscos para o festival Botequim Gourmet na Baden Baden (Rua Djalma Forjaz 93, Vila Capivari - tel. 0/xx/12/3663-3610) em Campos do Jordão.

Laurent Suaudeau criou um croquete de abóbora e carne seca com vinagre de jabuticaba, lombinho pururuca e pirão de mandioca (foto acima); além de saladinha de feijão e escabeche de sardinha.

Emmanuel Bassoleil elaborou um toast de queijo no pão de trigo e melaço de cerveja, croquettes de paella com molho caliente e tortilla de carneiro confitado, menta fresca e uvas passas.

Roland Villard apresenta club-sanduíche de blinis e salmão com requeijão cítrico, empada à francesa com confit de rabada e especiarias como também petit gateau de bacalhau com caldo de feijoada.

A abertura do festival acontece no próximo sábado, 8 de março, lá na choperia Baden Baden, a partir das 21 horas. Um pouco antes, o Grande Hotel Senac Campos do Jordão vai receber convidados para um almoço no Restaurante Araucária, com um menu especialmente elaborado pelo Chef Felipe Alves de Oliveira.

Os petiscos continuarão no cardápio da choperia até o mês de agosto, mas se você não puder subir a serra e ficou afim de provar as receitas, abaixo as minhas duas favoritas.

Fotos: divulgação

Escrito por Marcelo Katsuki às 18h22

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Croquetes de paella com molho caliente



"Croquetes" de Paella com molho Caliente
Emmanuel Bassoleil

Ingredientes:
(para25 unidades)

500gr de arroz arbório
1 lt de caldo de peixe
100gr de cebola picada
1 dente de alho
2 sache de açafrão
120gr de camarão picado grosseiramente
100gr de lula limpa (picada)
50gr de ervilha fresca (ou congelada)
20gr de pimentão verde e vermelho picado
150gr de amido de milho
300gr de mussarela ralada
20gr de salsa picada
100gr de polvo cozido e picado
3 gemas de ovos
50 ml de azeite
Sal e pimenta do reino a gosto
200 gr farinha "Panko" (farinha de empanar japonesa feita de pão)

Modo de preparo

Para o caldo de frutos do mar: numa panela coloque o azeite refogue a cebola e o alho adicione caldo de peixe e 1 sache de açafrão deixe ferver e acrescenta todos os frutos do mar para branquear por 2minutos. Separe os frutos do mar e o caldo e reserva.

Para o risoto: numa panela aquece o azeite e acrescente a cebola os pimentões para refogar, adicione o arroz e o outro sache de açafrão e mexer . Adicionar o caldo de cozimento dos frutos do mar mexendo sempre ate obter um risoto al-dente ( pouco molhado) tempere com sal e pimenta do reino e resfrie.

Finalizar numa vasilha mistura o arroz e todos os frutos do mar a ervilha, o queijo mussarela e as gemas. Mexer bem adicione o amido aos pouco. Antes de fritar passe na farinha ‘’Panko’’. Teste um ‘’croquette’’ para ver a consistência e se precisa de mais amido (fritando a temperatura de 170º a 180º tempo de 04 a 5 minutos)

Dica do chefe (reserve 25 unidades de camarões cozidos inteiros e colocar dentro de cada ‘’croquette’’)

Molho caliente

Pimentões verde vermelho e amarelo(cortados em cubinhos)
Tomate cortado (em cubinhos)
Cebola roxa (em cubinhos)
Azeite extra virgem
Vinagre branco
Açafrão da terra a gosto
Pimentinha dedo de moça (picada)
Flor de tomilho
Sal a gosto

Modo de preparo
(tipo vinagrete para churrasco)
Misture tudo (essa foi fácil, hehe)

Escrito por Marcelo Katsuki às 18h19

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Petit gâteau de bacalhau



"Petit Gâteau" de Bacalhau Recheado de caldo de Feijoada
Roland Villard

Ingredientes para 10 pessoas:
600g de Bacalhau lascas (desalgado)
600g de Batata purê
1cabeça de Alho(dividir em 3 parcelas)
4 Cebolas medianas
400g de caldo feijão
100g de bacon
Sal à gosto
Pimenta branca à gosto
Cebollete à gosto
Salsa à gosto
1l de Óleo de milho

Modo de preparo:
Para o caldo de Feijão: Deixe o feijão de molho, na água, na véspera. Cozinhe o feijão, de maneira tradicional, refogue o alho, a cebola e o bacon cortado em cubinhos, misture no feijão, cubra com agua e deixe cozinhar por mais 1h, verifique o tempero. Se preferir pode-se adicionar paio, lombo de porco ou a carne que preferir para dar mais gosto ao caldo. Com o auxilio de um liquidificador , bata o feijão, sem as carnes, ate obter uma textura tipo calda de chocolate, depois passe em um coador fino, verifique o tempero. Coloque o caldo de feijão em uma forma pequena, como a forma de gelo da geladeira, e congele.

Para o Bacalhau: Verifique se o bacalhau esta bem desalgado, cozinhe com um bouquet garnit , cebola e alho. Desfie o bacalhau, atenção para retirar toda pele e espinha. Cozinhe as batatas para que fiquem bem cozidas, retire do fogo, escorra e amasse de forma que fique um purê. Misture os dois ingredientes, verifique o sal e a pimenta, acrescente as ervas picadas e reserve.

Montagem dos Petit Gateaux: Com o auxilio de uma tigela pequena e redonda, coloque filme alimentar , para que a massa não grude, coloque um pouco da massa de bolinho no fundo e ao redor, o caldo congelado no centro, cubra com o resto da massa e congele imediatamente. Frite em óleo bem quente na hora de servir ate que fiquem bem dourados, mas mantendo o caldo congelado para que ele não estoure, escorra o excesso de gordura.Coloque os “gateaux” em uma placa e aqueça lentamente em fogo brando, de forma que o caldo derreta no centro.

Finalização: Frite um pouco da couve numa panela com óleo ate que fique transparente, escorra o óleo num papel absorvente e guarde para decorar o prato. Num prato coloque um pouco de couve no fundo do mesmo, disponha os petits gateaux no prato e decore com um pouco da couve frita, sirva imediatamente.






E para mostrar que boteco gourmet tá na moda (e que vinho combina com petiscos), "Vinhos e comida de boteco" é o tema do jantar-degustação que o Jacaré Grill (R. Harmonia, 321, Vila Madalena - inscrições: 0/xx/11/3676-1781) realiza nos dias 11 e 13 de março, com Ricardo Bohn Gonçalves.

O enófilo harmonizará diferentes opções de petiscos como pastéis de palmito e lingüiça calabreza e pratos da casa, como o carré de cordeiro e a picanha fatiada com rótulos do Novo e Velho Mundo, como o Montepulciano D'Abruzzo Cerasuolo 2005 Rose Italia e o Cote du Rhone Chateau Saint Esteve D'Uchaux 2005 França. Ficou curioso? O custo é de R$ 105,00 por pessoa e há 40 vagas por dia.

Escrito por Marcelo Katsuki às 18h18

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Tic-tac indiano


Em minha última compra no Santa Luzia, achei esse vidrinho na prateleira de especiarias e fiquei admirando. O repositor (acho que Rogério) sempre muito solícito foi logo explicando: "Você devia experimentar, é excelente como digestivo e melhora o hálito" enquanto abria um potinho e me dava algumas drágeas. E eu lá tô com bafo, gente? Bom, o importante é que era gostoso mesmo! A novidade foi trazida no ano passado pela Bombay e se chama Swonf. São micro balinhas indianas feitas com semente de funcho, com cor viva e perfume de aniz e alcaçuz. Coloquei no carrinho.

O funcho é uma planta originária do Mediterrâneo e da Ásia Ocidental também chamada de erva-doce ou anis-doce, tem folhas perfumadas e sementes com gosto de alcaçuz. Embora conhecida dos chineses e indianos, foram os gregos e romanos que experimentaram suas qualidades medicinais, como estimulador de produção de leite, diurético e auxiliar na digestão e mau hálito (caso do nosso Swonf!).

O funcho também era usado para emagrecer, alguns 'curandeiros' utilizavam a planta para prevenir a obesidade. Mas não espere esse milagre do Swonf: ele é feito de açúcar, para ficar docinho, gostosinho, hehe. Ah, custou R$ 11,00!

Escrito por Marcelo Katsuki às 09h22

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Jantar com os leitores


Corrido. Na sexta-feira saí atrasado da Folha para jantar com alguns amigos, depois nos jogamos na noite, que só acabou às 4h diante de um sanduíche de pernil do Estadão; amanheci no jornal no sábado de onde só saí quase no horário marcado para o início do jantar com os leitores do blog. Resultado: assim que todo mundo se acomodou no salão do Taizan (que ficou lotadíssimo!), me entreguei a uma taça de saquê gelado e desmoronei na mesa 'da diretoria', por isso peço desculpas se não dei a devida atenção à todos! Eu bem que tentei, mas foi tudo tão corrido que eu nem me lembrei de comer, meujantar se resumiu a dois wontons fritos.


[Mesa da Cassia Bufolin (ao fundo), do Gilberto (de costas) Kyono...]


Mas algumas coisas funcionaram bem, como o sorteio dos brindes de mesa em mesa. Todas as mesas puderam ganhar e eu não transformei o restaunte em uma quermesse, como da outra vez, kkkk. Mico: sorteei a aula no Madame Aubergine para o chef Bertolazzi, já pensou? E um livro de dieta para uma amiga médica! Tudo trocado!!! Enfim, preciso agradecer a todas as pessoas e empresas que tornaram o evento possível e mais divertido. E é claro, aos leitores, alguns fiéis freqüentadores dos jantares como o Mobi e a Marcela, a Ana Paula e o Fábio, o Edu e a Analia e aos amigos jornalistas que também prestigiaram o evento. Obrigado!


[Mesa do Bertz, Osmar, Edu, Analia...]


Muito obrigado à:
- Tozan que ofereceu o delicioso saquê para as caipirinhas e as sacolas de brinde para os jornalistas. Pois é, tinha uma turminha 'perigosa' lá no fundo, kkkkk!
- Publifolha pelos livros: Sushi, Dieta Saudável, Segredos dos Chefs e Especiarias, sorteados entre os leitores.
- Hideko Honma pelas lindas peças de cerâmica que causaram disputa em todas as mesas, hehe.
- Madame Aubergine pela aula oferecida para sorteio e pela presença da simpática chef e professora Cris Macarrone.
- Viandier Escola de Gastronomia pela aula oferecida também. Os leitores vão virar chefs!
- Bistrô Athaliba pelo almoço sorteado, pela caixinha de bem-casados e pela presença da chef Elsie e do Lobato!
- Restaurante Bucatini pelo jantar oferecido para um casal de leitores.
- T-kats (minha marca, kkkk) pelas quatro camisetas sorteadas.
- E um agradecimento especial ao Restaurante Taizan, que enfrentou um salão super lotado sem perder o bom humor. Obrigado Dona Fumiyo, Chagas e toda a equipe!


[Fábio, de costas, Ana Paula e um grupo de amigos]



[Jezebel, Carlos, Beta Malta, Carina, Rubens Kignel, Tato, Janaina e Edu]



[Junior, Kike, Joca, Bia e Cris, as novas 'menuzetes'!]

Escrito por Marcelo Katsuki às 09h05

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Azeites



A Ale Sayers, leitora do blog, participou da aula de azeites da Orbacco, anunciado aqui e enviou alguns "highlights" do curso:

- O azeite só perde as suas propriedades acima de uma temperatura de 210ºC. Como na maioria dos casos a temperatura que usamos para cozinhar não passa de 180, é mesmo muito mais saudavel cozinhar tudo no azeite.

- Quando o azeite é aquecido - todas as propriedades sao perdidas. Mito!

- Nao se julga um bom azeite pela cor - a diferenca de cores é devido ao fato de quão madura estava a azeitona no momento em que o azeite foi feito.

- Azeite embalado em vidro escuro é melhor, pois o transparente permite maior entrada de luz- o que pode interferir na qualidade

- Azeite tem prazo de validade. Na maioria dos casos, dependendo da azeitona - deveria ser consumido em um ano. Mas, isso não quer dizer que fique "estragado" - quer dizer, que depois de um ano as propriedades comecam a decair...

- O azeite mais caro nem sempre é o melhor - mas o mais barato do supermercado é sempre o pior!

- Foram experimentados 8 tipos de azeites! O mais caro custava R$ 67,00 mas o favorito da Ale foi um Italiano que custava R$ 30,00!

- Azeite é como vinho: geralmento o melhor é aquele que você experimenta e gosta mais! Valeu, Ale!

Escrito por Marcelo Katsuki às 00h21

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

200 anos da chegada da Família Real


Esse é o tema da 5ª edição do Rio Bom de Mesa, evento da Associação de Restaurantes da Boa Lembrança, com pratos inspirados no livro de receitas “Arte de Cozinha”, escrito por Domingos Rodrigues, o cozinheiro de Dom João VI. O evento acontece de 11 a 13 de março com almoço nos estabelecimentos do Centro do Rio e de 13 a 15 de março nos restaurantes da Zona Sul e Barra, durante o jantar. Serão 14 restaurantes recebendo chefs de diferentes lugares do país.

Participam do festival os restaurantes Borsalino, Carême Bistrô, Casa da Suíça, Emporium Pax, Esch Centro, Esch Leblon, Giuseppe, Margutta, Bistrô Montagu, O Navegador, Rancho Inn, Sagrada Família, Sushi Leblon e 66 Bistrô.

A lista dos chefs 'visitantes' traz Adriana Didier (Beijupira - Porto de Galinhas), André Saburó (Quina do Futuro - Recife), Auricélio Romão (Zé Maria – Fernando de Noronha), Cesar Santos (Oficina do Sabor – Olinda), Duca Lapenda (Pomodoro Café – Recife), Dulce Helena Martinez (Le Foyer – Campos do Jordão/SP), Fabiano de Almeida (Jardim Secreto – Itatiaia), Ivo Farias (Vecchio Sogno – Belo Horizonte), Julio Lemos (Papaguth – Vitória), Magda Ortiz (Fogo Caipira – Campo Grande), Marcos Sodré (Sawasdee - Búzios), Paquito (Parador Valência - Petrópolis), Simone Berth (Wanchako – Maceió) e Zeca D’Acampora (Bistrô D’Acampora – Florianópolis).

Acontecerão também dois jantares beneficentes, o primeiro no dia 12 de março, na Associação Comercial do Rio de Janeiro (Rua da Candelária, 09/13º, Centro), a partir das 19h, com renda revertida para o Instituto Marquês de Salamanca e menu do chef Fernando Fernandes, do restaurante Bica do Sapato, em Lisboa.

No dia 14, acontece o segundo jantar beneficente do festival no restaurante Vizta, no Hotel Marina Palace (Av. Delfim Moreira, 630, Leblon), a partir das 20h. O chef Felipe Bronze será o responsável pelo menu, cujos vinhos também serão harmonizados por Felipa Pato, filha de um dos maiores produtores de vinho de Portugal, Luis Pato. Parte da renda será em prol do Instituto da Criança.

Durante o Rio Bom de Mesa, quem provar as receitas do menu especial leva para casa o Prato da Boa Lembrança em cerâmica pintada à mão (foto acima) com a imagem de Dom João VI e o Rio de Janeiro ao fundo. Clique aqui para mais informações.

Escrito por Marcelo Katsuki às 10h56

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Marcelo Katsuki Marcelo Katsuki é editor de arte de Mídias Digitais da Folha, colaborador da revista sãopaulo e colunista da "Prazeres da Mesa".

BUSCA NO BLOG


TWITTER

    Twitter RSS

    ARQUIVO


    Ver mensagens anteriores
     

    Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
    em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.