Marcelo Katsuki

Comes & Bebes

 

Reciclável e chique



Antes de mais uma maratona gastronômica por Recife fui conhecer a Lixiki, uma empresa que desenvolve produtos utilitários e decorativos, brindes e acessórios usando material de descarte como garrafas pet e lona de outdoor. Fiquei impressionado com qualidade dos produtos, o design e a iniciativa da engenheira civil Ana Borba, que desenvolve os produtos com a Ana Lins, a Roberta e uma pequena equipe que depois viabiliza a execução dos mesmos junto às comunidades carentes.


Adorei as bolsas retornáveis feitas com lona de outdoor. Além de super úteis, são exclusivas pois cada pedaço de outdoor gera uma peça única. Claro que já tenho a minha e encomendei uma 'do padeiro' que vou usar para carregar meu Macbook!


E olha essa luminária feita com a parte canelada da garrafa de Coca Cola. Incrível o efeito visual com os 'bobs' presos por grampos de cabelo. Bom gosto utilitário! Sem falar no trabalho sócio-ambiental de capacitação técnica que esse projeto realiza junto à comunidade. Clique aqui para conhecer a empresa e os produtos desenvolvidos.

Escrito por Marcelo Katsuki às 03h31

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A volta do Tastespotting


Notícia boa para começar a semana: o Tastespotting está de volta! Pena que o arquivo zerou e o índice com as receitas do Comes e Bebes foi pro espaço. Quem sabe um dia volte...

Escrito por Marcelo Katsuki às 01h15

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sushi Yoshi - Recife


Esses foram os pratos que provei no Sushi Yoshi. Acima o 'Jóia' (R$ 9,60 duas unidades), sushi de ovas de peixe voador com gema de ovo de codorna. E ao fundo o 'Pipoca Maki' (R$ 7,40 quatro unidades), enrolado de cebola frita coberto com pipoca de arroz, divertido. Yoshi-san diz que os japoneses não gostam muito do 'sushi pipoca' mas fala sobre a necessidade de adaptar os sabores para o paladar local. Para os mais conservadores há uma extensa carta de sushis tradicionais com preço promocional na terça-feira: você escolhe 10 unidades de sushi e paga R$ 14,90.


O 'Bem-me-quer' (R$ 32,90) é um prato que foi criado para o Dia dos Namorados, mas que fez tanto sucesso que acabou entrando pro cardápio fixo da casa. O prato traz um tataki de salmão (levemente selado) e sushis como o Filadélfia salmão, o pipoca maki, o ebi ten, as delícias de salmão, e mais três sushis variados.


O 'Salmão Broc' (R$ 28,00) vem com o filé de salmão grelhado e coberto por um creme de brócolis. Acompanha uma salada de acelga levemente escaldada com molho de mostarda. A combinação é saborosa e o prato leve, gostei muito. Mas o hit da casa é sem dúvida a simpatia do Yoshi-san, que recebe os clientes no salão e não economiza nos 'ôxe' com seu sotaque nipo-nordestino, divertidíssimo!

Escrito por Marcelo Katsuki às 08h03

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Criações nipo-pernambucanas


[Japirão: já provei!]

Na rápida passagem por Recife me encantei com a simpatia do sushiman Yoshi-san e suas divertidas criações. Essa foto acima é do "Japirão", o tradicional pirão nordestino com toque orientais que "até criança gosta", diz o mestre enquanto prepara outras iguarias. E os pais devem adorar o preço: R$ 1,70.

O Sushi Yoshi (R. Padre Luiz Marques Teixeira, 155 Boa Viagem Recife - PE - tel.: 0/xx/81/3462-2748) é um restaurante pequeno, aconchegante e fora do circuitão dos japas badalados, mas tem pratos curiosos como o 'sushi pipoca' e a 'jóia', que não resisti, provei e fotografei. Vou tratar as fotos e depois eu posto!

[O simpático e compenetrado Yoshi-san finaliza o Bem-me-quer, prato do Dia dos Namorados que virou hit!]

Escrito por Marcelo Katsuki às 02h06

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Quase verão

Uma amiga me falou que está o maior frio em SP! E eu aqui com metade do corpo queimado por descuido com o filtro solar. Na verdade eu estava tão cansado que dormi ouvindo música sob sol e nem percebi, estava confortável com a brisa! Foi meu primeiro dia de descanso e início de rehab: nada de vinhos, uísques e caipirinhas então nem pensar! Limpeza total!


Estou no Eco Resort do Cabo, a 37 km de Recife. E pela baixa temporada, estou com quase todo o resort só para mim! Passei o dia lendo, ouvindo música, fazendo massagem e me aventurei até a cortar o cabelo! Tudo bem que o penteado final da cabelereira me deixou com um look 'Costinha' com cabelo dividido de lado (justo eu que nem sei o que é um pente há anos) mas nem ligo. Melhor que o visual Chucky que estava antes, com o cabelo alaranjado pelo sol e todo desgrenhado!


O chef de cozinha daqui é o Fernando Acioly. Amanhã vou fazer fotos de dois pratos bem bacanas para postar aqui. Tô comendo horrores, pior que esqueci a calça de elástico em SP.


[Havia uma 'pedra' no meio do caminho. Aqui tem até um 'iguanódromo' ou coisa parecida. Mó medo.]


Além das iguanas, o guarda-roupa do quarto acende e apaga sozinho às vezes. A noite passada foi o maior trem fantasma para mim, que não curto muito escuridão (pra não dizer que tenho medo de escuro, kkkkkk).

[Beta, olha o Mauro Jr. fazendo escola!]


Escrito por Marcelo Katsuki às 01h21

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Catering regional


Olha a TAM arrasando com um festival de comida regional. Dentro do avião! Tudo bem que na embalagem estava escrito 'vatapá', mas quando eu abri era um pirão super apimentado com um filezinho de pescado. O cheirão de peixe gritou dentro do avião, coitado de quem não gosta!

Ah, aquele potinho ao fundo foi um surto de pobre. E esfomeado. Embarquei com um potinho de cuscuz na mochila caso batesse aquela fome e eu recebesse apenas um sanduba amassado ou aquelas famigeradas barrinhas que detesto. No fim casou super bem com o 'festival', hehe. A iniciativa é boa, você já desce do avião no clima. Vamos ver o que vão servir na volta para São Paulo. Virado? Ou pizza?

Escrito por Marcelo Katsuki às 21h54

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

São João em Gravatá


[O cenário junino]

Acabo de chegar ao Recife vindo de Gravatá, interior de Pernambuco, onde passei o São João na casa do meu amigo Luciano. Foi uma bagunça, áfe que povo animado! E eu que queria apenas descansar, acabei em uma maratona de 48 horas de festa. E dá-lhe forró!

A dieta de engorda foi forte: muita pamonha, canjica, bode guisado, cuscuz, pernil, sarapatel e até buchada. Comi de tudo e adorei o feijão preto verde, uma versão do feijão verde mas com feijão preto! Confuso? E a canjica, ou curau como chamamos em São Paulo, mas com leite de côco, o que dá ao prato um perfume delicioso. Provei também um lombinho suíno com geléia de goiaba. E comi muita bolacha Vitarella com café, adoro!

[Chef Claudemir do Wiella Bistrot, César Ribeiro dos Camarões Dama, Cássia da Tramontina, Ana Cláudia Lins da Parlato Comunicações, Carlos Ribeiro, Luciano Roberto, Concita Freire e André Falcão, o chef revelação da Veja Recife que acabou de ser lançada]

Na primeira noite de festa eu estava tão cansado (da viagem e tudo mais) que mal conseguia conversar com as pessoas. Acomodei-me junto à mesa do 'banquete' e fiz o maior estrago. Depois fui fazer amizade com o DJ Morcego (que equivocadamente fiquei chamando de Dragão, ui) e acabei a noite tentando assar milho na fogueira gigantesca, que queimou minha mão, meu cabelo e o milho, que comi carbonizado.

[Luciano, o dono da festa]

Escrito por Marcelo Katsuki às 10h32

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Clima de quermesse



Clique acima e veja a receita de "Cuscuz de frango paulista" da chef Elsie Siciliano do Athaliba Bistrô (Al. Campinas, 1299 Jardins - tel. 0/xx/11/3052-2216).

E para a sobremesa, a dica é o "Pé de moleque paraibano" do chef Carlos Ribeiro que você confere aqui no site Clique a gosto.

Escrito por Marcelo Katsuki às 01h08

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A hora da estrela

Duas chances para você mudar de vida! Tá duvidando? No concurso da Knorr, o vencedor leva um milhão! É dinheiro pra você nunca mais pensar em coisas do tipo 'relação custo-benefício'! Daqui pra frente é só luxo e poder!!! E no 'reality show' do Mais Você quem ganhar leva R$ 50 mil reais e mais aqueles 15 minutos de fama. Uma coisa 'BBB das panelas'!


"Eu tenho uma receita secreta da minha tataravó que não dou para ninguém, mas por 1 milhão acho que até a velha ia fazer coro na premiação!"
Clique aqui e arrase no Receita Milionária.


"Eu sou articulado(a), talentoso(a) e a câmera (ou o fogão) me adora. Até o louro José vai se render aos meus encantos e torcer por mim!"
Clique aqui e seja o primeiro Super Chef!

Escrito por Marcelo Katsuki às 12h48

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Quatro especialidades japonesas



O Guia da Folha da semana passada trouxe um especial do Centenário da Imigração Japonesa muito bacana e eu gostei mais ainda por ter podido participar indicando quatro especialidades favoritas: temaki, sukiyaki, tempurá e robata. Se você perdeu (o Guia só circula em São Paulo) don't worry... As dicas estão aí embaixo. 'Sugoi'!


Robata: Hanadoki
Rua Professor Artur Ramos, 395 - Jardim Paulistano - Tel: (11) 3815-2144

Robata é uma arte e um dos meus maiores prazeres é poder sentar no balcão onde a robateira Aparecida Soares, ou Cida, como é conhecida, prepara com maestria seus 'espetinhos' com os mais variados ingredientes. Utilizando um braseiro misto com carvão e pedras, Cida monta os espetos, pincela molhos especialmente preparados por ela e entrega com um aviso acompanhado de um largo sorriso: "O segredo está no meu Su missô", o tempero que acompanha toda a degustação. Meus favoritos são os de berinjela e o de lulas, além do de vieiras, preparado na própria concha e acompanhado por shimeji, manteiga e limão. Mas nas mãos de Cida um simples 'oniguiri' (bolinho de arroz) recheado com pasta de ameixa japonesa sai da brasa crocante e envolto por alga nori para se comer de joelhos. Delírio.


Sukiyaki: Sukiyaki House
Rua da Glória, 111 - 1ª andar - sala 13 - Liberdade - Tel: (11) 3106-4067

O que faz da especialidade do Sukiyaki House um favorito é o seu sabor incrivelmente familiar, cheio de memórias afetivas. Os ingredientes são os mais tradicionais, sem modismos, e o molho é perfeito. Aventurar-se no preparo é sempre uma brincadeira prazerosa, ainda mais nos reservados para até 6 pessoas. Mas não espere luxo, o ambiente é simples e funcional e seu grande charme é ficar dentro do Food Center, um pequeno prédio na Liberdade onde funcionam apenas restaurantes japoneses, todos muito bons. A porção serve duas pessoas e o preço é super camarada, R$ 27.


Temaki: Sushi Hamatyo
Rua Pedroso de Morais, 393 - Pinheiros - Tel: (11) 3813-1586

O grande trunfo dos temakis do Hamatyo são a matéria-prima de qualidade com muitos ingredientes importados e a técnica do mestre Ryoichi Yoshida. O sushiman prepara o temaki no tamanho ideal, nada de exageros que obriguem o uso de bandejinhas de papelão ou que desmoronem na hora de se degustar. A alga é aquecida para ficar bem crocante, coberta com arroz e o recheio escolhido e entregue diretamente em suas mãos, para deleite imediado. Meus favoritos são os de natto (soja fermentada) e de enguia, mas o de ovas de ouriço também promete um 'mergulho no mar', tamanha riqueza de sabor.


Tempurá: Shin-Zushi
Rua Afonso de Freitas, 169 - Paraíso - Tel: (11) 3889-8700

O Shin-Zushi ocupa uma bonita casa com detalhes orientais em pleno bairro do Paraíso. É uma casa tradicional famosa pela consistente seleção de peixes de boa qualidade e alguns petiscos bastante peculiares como a porção de cabeça de peixe à passarinho. Sua cozinha quente tem o mesmo apuro do sushi bar. O tempurá é crocante e sequinho e o molho (tentsuyu) bastante delicado a ponto de acompanhar a fritura sem interferir muito, apenas valorizando o sabor. E a massinha é leve e não causa o desconforto da azia, fator importante para uma boa fritura. Ainda acompanham uma porção de arroz e 'missoshiro', a sopa de pasta de soja indispensável em qualquer refeição japonesa.

Fotos: Sidnei Lopes/Folha Imagem

Escrito por Marcelo Katsuki às 14h20

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Meu querido diário


Já conhece o Wine Memories? É um álbum onde você pode guardar detalhes de um jantar, de uma reunião com amigos, tudo regado a um bom vinho, como num verdadeiro diário pessoal.

Em uma página você descreve o vinho, o menu servido, quem estava e o que rolou. Na página ao lado cola o rótulo que sai perfeitamente com a ajuda de uma película que vem junto chamada labeloff. E no melhor estilo clássico: papel, caneta, rótulo, nada de imagens virtuais. Idealizado por Vera Julião com o design impecável da minha amiga Luciana Carvalho, tem tudo para se tornar um objeto de desejo entre os amantes do vinho. Clique aqui para ver onde comprar o seu!

Sabe que eu sempre pensava em fazer algo parecido? Houve um tempo na minha vida em que eu adorava dar festas, vivia inventando pretextos e nomes: 'festa treino', 'primeiro grito gastronômico', tanta bobagem! Mas daí precisaria de um caderninho A3 para colar os rótulos dos galões de vinho barato da juventude, kkkkk!

Escrito por Marcelo Katsuki às 00h51

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Numa fria


Na próxima terça-feira, dia 24, a temperatura vai cair na Vila Madalena (chorei com o chavão, kkkkk!) com a inauguração para convidados do Ice Espaço ali na rua Purpurina, 46, dentro do Artespaço Bar Gourmet e Designer. Uma câmara fria com capacidade para até 20 pessoas com o barman Gustavo preparando drinques numa temperatura ambiente de 6º negativos. O bar faz parte da seleta rede de oito bares que começou com a primeira casa na China.

Inusitado? Pois surpreso fiquei eu ao descobrir que a chef responsável pela gastronomia do Artespaço é ninguém menos que Monica Rangel, do premiado restaurante mineiro Gosto com Gosto! Vai congelar o quiabo, hehe! Na verdade o espaço gastronômico fica fora da câmara fria, já pensou o estresse que seria comer correndo para a comida não esfriar? E o calor da moqueca derretendo as paredes? A mesa? Os copos!!! Sim, até os copos são de gelo. Na minha visita não posso esquecer de levar minha máquina de raspadinha! Cebion?

Fotos: Gladstone Campos/Realphotos

Escrito por Marcelo Katsuki às 18h37

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Saquê de morangos silvestres


Os saquês invadiram os restaurantes e bares descolados da cidade e alguns até possuem cartas exclusivas da bebida. A saquerita ou caipisaquê já responde por boa parte das caipirinhas vendidas na noite. Mas a novidade que chegou na Adega de Sakê (Rua Galvão Bueno, 364 - tel. 0/xx/11/3207-2330 e 3208-7041) promete agradar aos fãs da bebida e em especial às mulheres.

Trata-se de um saquê de morangos silvestres (na verdade um shochu, destilado e de gradução alcóolica superior) que além de muito saboroso, frutado e com notas florais, modifica sua cor de laranja para um rosa fluo quando misturado com água ou gelo. Saquê fashionista! E você pensou que tinha bebido além da conta e já estava vendo coisas? Magic!

Leitores do blog que imprimirem esse post terão 20% de desconto na compra do saquê de morangos silvestres. Válido para as 10 primeiras pessoas que forem na Adega.

P.S.: gostaram do novo topo do blog em comemoração ao centenário? Arroz, fartura, saquê! Toda hora eu entro e levo um susto achando que tô no blog errado, hehe.

Escrito por Marcelo Katsuki às 01h24

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Claude Troisgros no eñe


E por falar em Claude Troisgros, o chef realiza nos dias 24 e 25 desse mês no restaurante eñe (Rua Doutor Mario Ferraz, 213 – Itaim - tel: 0/xx/11/3816–4333) um festival gastronômico composto por receitas inéditas que mesclam ingredientes tipicamente brasileiros, como o quiabo e a mandioquinha a técnica francesa. As receitas depois farão parte do cardápio do Olympe, o restaurante de Claude no Rio.

O menu degustação traz várias opções servidas em pequenas porções como Vieiras grelhadas ao curry madras, doce de leite e arroz pipoca, Ravióli gigante de batata baroa, pinoles e flôr de sal, Robalo em crosta de quinoa, tomate e limão siciliano confit entre outras. O preço é R$ 240,00 por pessoa incluso couvert. O festival acontece sempre no jantar. Marravióso!

Escrito por Marcelo Katsuki às 01h00

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Livro de receitas da Abaga



A Abaga (Associação Brasileira da Alta Gastronomia) é uma entidade representativa dos chefs em atuação no país e nasceu há 10 anos graças à iniciativa de cinco chefs estrangeiros radicados no Brasil: o suíço Christophe Besse, os franceses Emmanuel Bassoleil e Laurent Suaudeau, o argentino Jorge Monti e o italiano Luciano Boseggia.

A entidade reúne hoje mais de 130 associados, todos do primeiro time de chefs de todo o país. Mas o que é bastante útil para nós, comilões de plantão, são as receitas desses chefs estrelados, que você pode conferir no Livro de receitas disponível na net. Algumas mais simples mas interessantes, outras bastante especiais, ou você acha que eles não iam querer fazer bonito no 'clubinho'? Eu escolhi essa do Claude, uma receita que já vi (e comi) em outros restaurantes, o que atesta sua relevância. É ótima!



Filé de robalo com palmito fresco, castanhas de caju e passas
Claude Troisgros
(4 pessoas)

Ingredientes:
- 4 filés de robalo (180g cada)
- 2 colheres de azeite
- 8 palmitos frescos cortados em dois
- 2 dentes de alho
- 1 colher de coentro
- alecrim, louro
- sal, pimenta
- mistura de ervas

Modo de preparo:
Temperar o peixe com sal e pimenta. Fritar o peixe no azeite até dourar e virar. Acabar o cozimento. Fritar os palmitos na manteiga e temperar com alho, sal, pimenta e o coentro.

Molho
Ingredientes:

- 200g de manteiga
- suco de 2 limões
- 60 ml de soja
- 150 g de castanhas de caju
- 2 dentes de alho
- 2 colheres de passas pretas
- 1/2 cebola picada
- pimenta em grão
- sal

Modo de preparo:
Misturar o suco de limão, a soja, as castanhas picadas, o alho e a cebola picada. Fazer uma manteiga "noisette" (avelã) e colocar a mistura e as passas. Temperar com sal, pimenta e coentro.
Colocar o molho no fundo do prato e dispor os palmitos em cima. Colocar o peixe sobre os palmitos. Finalizar com a mistura de ervas temperada com azeite.
Fonte: Abaga.

Escrito por Marcelo Katsuki às 08h37

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Etiqueta japonesa



Volta e meia eu falo do assunto aqui mas é que 'etiqueta à mesa japonesa' é sempre uma caixinha de surpresas: a gente acha que tá arrasando mas pode estar pagando o maior mico!

Hoje eu vi um vídeo do 'Mais Você' com o ator Júlio Rocha tendo uma aula particular com a professora de etiqueta Lumi Toyoda no Shintori, super engraçado mas nem por isso menos didático. Clique aqui para assistir. E nada de 'tin tin', hehe!

Escrito por Marcelo Katsuki às 11h32

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

De perto ninguém é normal


Em meio a todo o descontrole que permeia a minha dieta, ainda encontro tempo para criar hábitos pouco ortodoxos. Por exemplo: eu adoro caqui chocolate e desde que eles apareceram no mercado, não vou para a cama sem dois ou três no estômago, o que me atrapalha demais o sono mas alivia a gula. O pior é quando eles estão meio verdes mas eu insisto em comer e acabo a noite com a boca murcha e a gengiva toda enrugada!

Há algumas semanas surgiu uma nova modinha: cachorro quente no café da manhã. Todos os dias! Eu acordo e coloco as salsichas para ferver antes mesmo de acionar a cafeteira. E a loucura é tamanha que outro dia na falta de pão, fiz com Rap10 e virou um taco de salsicha. Só faltou guacamole!!! Pior é que não sou uma pessoa lá muito básica. Eu faço 'trash-dog', com maionese, catchup, mostarda, Tabasco e até batata palha! Ah, importante: salsicha dupla!

E nas noites em que não tenho degustações, jantares ou eventos (porque barzinho com amigos é coisa do passado, os cretinos nem me ligam mais!) eu fico no sofá da sala assistindo Eli Stone e Grey's Anatomy comendo macarrão instantâneo japonês, tipo "cup noodle" mas muito melhor. Encontrei alguns com massa de udon, outros com curry, molho picante e a última novidade foi o de 'harussame', o macarrão transparente japonês que tem baixa caloria e é uma delícia! E depois de algumas doses de saquê, outra constante agora na minha vida, começo até a desatinar que a alta gastronomia encontrou o copinho de isopor, Jisuis!

Eu bem que podia adquirir outros hábitos como caminhar pela manhã, tomar dois litros de água por dia ou ir até a academia de Liangong que fica na frente de casa. Não faço nada disso por enquanto mas já penso, o que no mínimo me reconforta.

Escrito por Marcelo Katsuki às 13h14

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Algumas notas



Nessa segunda-feira, dia 16 de junho de 2008 às 20h, será lançado o livro Manual Didático do Vinho: iniciação à enologia (Preço R$ 85,00) de Daniel Pinto. O livro apresenta desde a escolha da uva e sua produção até a degustação da bebida, tudo em linguagem acessível e bastante didática. O evento acontece no Centro de Treinamento em Hotelaria e Gastronomia – Campus Vila Olímpia (R. Casa do Ator, 340 – V. Olímpia)





Na próxima quinta-feira, 19 de junho, começa mais uma edição do "Projeto Anfitriãs do Brasil" no Obá (Rua Dr. Melo Alves, 205, Jardins - tel.: 0/xx/11/3086-4774). Desta vez, a convidada será Beth Ithamar, uma das principais banqueteiras de Recife, que comandará um festival de comidas típicas pernambucanas do sertão e litoral. O restaurante estará todo decorado com bandeirinhas e balões para celebrar também a festa junina. Entre as entradas, destaque para a Linguicinha de cabrito (R$ 19,50), flambada na cachaça com ervas nordestinas e farofa de banana e para a Tapioquinha da Sé (R$ 17), com coco fresco e queijo de coalho.





A Confraria Queijo e Vinho (Avenida Dr. Arnaldo, 1318 - tel.: 0/xx/11/3873-3179) promove nessa segunda, 16 de junho às 20h, uma aula com degustação de uísques (Valor: R$ 100,00). O sommelier Manuel Luz, expert em vinhos, também conhece profundamente a história dessa bebida e irá abordar os fundamentos da degustação, sua história e os principais estilos disponíveis no mercado. Os uísques degustados: Jamenson's Irish Whiskey, Jack Daniel's Tennesse Whiskey, Buchanan's Scotch Whisky 12 anos, Glenfiddich 15 anos Scotch Whisky - Single Malt, Gold Label 18 anos Johnnie Walker Scotch Whisky. No final da degustação será sorteado uma garrafa de whisky irlandês.

Escrito por Marcelo Katsuki às 16h01

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Encontro Mistral 2008

Na quarta-feira estive no Encontro Mistral 2008, evento onde além de você provar diferentes vinhos, tem ainda a possibilidade de conhecer e conversar pessoalmente com os enólogos e proprietários das vinícolas. E nesse ano havia muitas feras com nomes consagrados como o simpático Luis Pato, um dos maiores nomes do vinho português. Abaixo, um rápido passeio através das garrafas.


[O amplo salão no Hyatt, bastante adequado para a 'maratona']



[Tapada de Coelheiros Chardonnay 06 e o impressionante Tapada de Coelheiros Garrafeiroa 03, vinho regional Alentejano que passa 16 meses em carvalho francês e 12 meses em garrafa, com aromas de frutas vermelhas e especiarias, boa estrutura e final prolongado]



[Ayala: "haute couture de champagne". Degustei os espumantes Brut Majeur, Brut Nature Zéro Dosagem Blanc de Blancs Brut 00 e o Cuvée Rosé Nature, o primeiro Rosé zero açúcar segundo o atencioso Raymond Ringeval, diretor da marca. O aroma frutado e o frescor apresentam-se 'em estado bruto' sem o açúcar, o que à primeira vista me causou estranheza, já que estamos acostumados ao sabor amaciado pela adição de açúcar]



[O champanhe da Maison Bollinger sempre impressiona pelo estilo, classe e complexidade, mas essa La Grande Année Brut não vai sair da minha memória tão cedo. Além de todas essas características, achei incrível a perlage persistente e quase interminável da bebida. Bolhinhas!]



[No setor alemão provei alguns Riesling bem interessantes como o da Heymann-Löwenstein e até um Grand Cru Riesling da Dr. Bürklin-Wolf. Teve ainda um colheita tardia com o açúcar totalmente fermentado da Hans Wirsching, inesperadamente seco e muito interessante]



[Os incríveis Tokaji Oremus (Vega Sicilia) com seu Tokaji Aszu 5 Puttonyos que agradam até quem não gosta de vinhos doces como eu. Dividindo a cena com os Alión, de Ribera del Duero (onde visitei várias bodegas no ano passado) e Pintia, da emergente e vienha região de Toro, com seus vinhos modernos e de taninos potentes elaborados com a uva Tempranillo]



[Os chilenos da Viña Montes com seus tintos de qualidade e boa relação custo x benefício.]



[Montes Alpha, a linha premium da Viña Montes que tem como destaque a Montes Alpha Syrah, um vinho com boa estrutura, equilibrado e muito agradável ao paladar]



[Miquelàngel Cerdà, que produz os cultuados vinhos Ànima Negra, elaboradas com a uva nativa Callet, uma casta de baixíssimo rendimento mas que produz tinos muito elengantes, originais e de grande personalidade]



[Os vinhos da Quinta do Monte d'Oiro. Provei um Selecção Syrah 03 e um Quinta do Monte d'Oiro Reserva 04 muito elegante, boa acidez e marcante mineralidade.]



[O excelente Château Kirwan, um Margaux célebre da Maison Schröder & Schÿler, um vinho complexo, potente e bastante encorpado]



[Provei os brancos e tintos da Luis Pato e fiquei encantado com a Vinha Barrosa, concentrado e frutado e a Quinta do Ribeirinho Primeira Escolha 03.]



[O produtor português Luis Pato, que anunciou que vai lançar o primeiro espumante rosé com Touriga Nacional, que deverá ser floral, frutado e bastante aromático]

Escrito por Marcelo Katsuki às 13h25

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Semana Cultural Brasil Japão


[Tradição e futurismo na ambientação do acesso ao auditório]

Começa hoje a Semana Cultural Brasil Japão, uma intensa programação no Anhembi coordenada pelo meu amigo Jo Takahashi. Estive ontem na Grande Première e fiquei impressionado com o trabalho de ambientação do local, tudo muito branco, espaços amplos e notável organização.

Hoje começam as palestras, workshops e apresentações de música, dança e até um campeonato de karaokê. O Espaço das Artes traz oito categorias das artes japonesas como a moda com Jun Nakao e o estilista japonês Kenzo, o mangá com curadoria da Editora JBC e a gastronomia, com cursos e degustações promovidas pela Sakura Nakaya Alimentos. Haverá ainda o lançamento do livro do sushiman Jun Sakamoto (dia 17) e encerramento com show da Fernanda Takai, do Pato Fu, no dia 22.

Clique aqui para ver todos os workshops culturais que serão realizados.


[Exposição de Ikebana na entrada do evento]

[Achei uma que era a minha cara!]



[O jornalista Arnaldo Lorençato e o professor Koichi Mori]


[Montaram um bonito espaço para a apresentação da cerimônia do chá]


[As áreas de convivência ficaram bem amplas e o serviço do Bufê Yano muito eficiente]


[Autoridades presentes na cerimônia de abertura]


[Cerimônica de abertura com as misses do Centenário]


[Outra vista do saguão com o setor dos estandes ao fundo]


[O colorido lounge para os jovens]


[PaPeRo, o robô inteligente pela primeira vez no Brasil. Ele tem até senso de humor!]


[O colorido estande da NEC]


[A programação inclui até curso de cosplay. Não dá pra perder!]

Escrito por Marcelo Katsuki às 09h54

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Mal me quer


[Sarau dos que sofrem de amores crônicos.
O chef Hugo Delgado, do Obá, 'chora' a terceira leitura da noite]

Meu dia dos namorados foi no aconchego da mexicana mais 'atrevida' da cidade, a Lourdes, que escolheu mimar "aqueles que amam sem ser correspondidos, os que amam demais, os que sofrem de amores!"

Entre leituras de poemas de dor de cotovelo, algumas versões de "De que manera te olvido" (minha canção favorita! Aliás, no dia em que conheci a Lourdes, pedi para os mariachis cantarem essa música) e várias doses de tequila e de 'Lágrima negra', o drinque da noite, sobrevivi para contar:

"Não é o amor que morre,
somos nós mesmos...

Só vive quem vê
Sempre diante de si
Os olhos de sua aurora"

(Luis Cernuda)



[Sopinha de frutas vermelhas para começar os lamentos]


[Vaza, Godzilla pré-colombiano, que essas tostadas de carnitas e frango são minhas!]


[Adivinha com quem eu dividi a mesa e as mágoas! Daniel, Bia e Cris]


[Beber, cair, levantar!]


[O arroz à moda indiana tinha tantas especiarias que quase rouba a cena do pescado com molho picante]


[Lourdes Fashion Week: lançamento da linha de jogos americanos com poesias e aventais com Nossa Senhora de Guadalupe. Para cozinheira ruim fazer milagre no fogão!]


[Ah, quantas lágrimas eu tenho derramado...]


["Lágrima negra": tequila, vodca negra e açúcar com frutinhas e pimenta: o drinque favorito do caveirão aí. E você, sofrendo de amores? Chore nos comentários, colega!]

Escrito por Marcelo Katsuki às 11h23

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Feijoadas no ringue



A VIP desse mês, que traz a Fernanda Vasconcellos na capa, tem duas matérias interessantes. A primeira é sobre o 'blazer', aquela peça do vestuário que eu achei que tivesse ficado perdida nos anos 90, de volta em sete combinações matadoras. Uma grande ajuda de estilo para esse jovem senhor que anda perdido sem saber se usa tênis ou sapato, camisa ou camiseta! É a crise da meia-idade, óinc!

A segunda matéria é essa da foto: um teste que escolheu a melhor feijoada de São Paulo onde participei do júri ao lado do grande Ricardo Castanho (editor do Guia Quatro Rodas), do chef do La Frontera, Leonardo Botto, da ex-BBB Jaque Khury e do editor do Boa Vida (VIP) Marcos Nogueira. Grandes restaurantes como o Bolinha e o Rubaiyat no ringue contra botecos tradicionais da cidade. O resultado foi surpreendente assim como algumas pérolas: me ver falando que "rabo é sinistro mas gostoso" foi no mínimo hilário! Óinc!


[E já que o momento é de 'egotrip descontrol', deixa eu postar uma foto que recebi ontem da festa da Prazeres minha com o produtor da Chaves Oliveira, Thiago, tão alto que me deixou ainda mais baixinho. E entroncadinho, hehe.]

Escrito por Marcelo Katsuki às 11h06

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Duas Notas


Papo cachaça
A Diageo e a Anhembi Morumbi promovem um bate-papo e degustação da linha de cachaças Premium Fulô com o mestre cachaceiro Vicente Ribeiro, responsável pela produção da bebida. O evento acontece na próxima terça, 17 de junho às 17h30, na Demo Kitchen (adorei o nome!), Campus Centro, Rua Dr. Almeida Lima, 1134 - Brás. Reservas com Katiuska (seria minha versão 'she', hehe?) no e-mail kati@anhembi.br ou Thiago (thsetra@anhembi.br). Corra porque as vagas são limitadas e a palestra gratuita!





Centenário
Durante a Semana Cultural Brasil Japão, de 14 a 22 de junho no Anhembi, o espaço "Arte dos Sabores" trará os segredos da cultura gastronômica do Japão. A curadoria é da Sakura Nakaya Alimentos, com workshops dos chefs Adriano Kanashiro, Shin Koike, Carlos Ribeiro, Jun Sakamoto e Carlos Watanabe e terá a degustação dos pratos. Uma oportunidade para conhecer a arte da gastronomia japonesa com grandes chefs.

Clique aqui para ver a programação da "Artes dos Sabores" e aqui para ver todos os workshops culturais que serão realizados no Auditório Elis Regina e nas salas de apoio. Para se inscrever o telefone é 0/xx/11/3877-0748 ou via Nextel id 84*3053, atendimento de segunda a sexta no horário comercial. São 30 vagas para participação do público.

Escrito por Marcelo Katsuki às 10h37

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

São Paulo-Tokyo


[A razão dos meus sonhos]

No ano passado participei de uma eleição dos melhores japas da cidade e me diverti com a resposta da sra. Chieko Aoki no quesito melhor festival: "não opinou". Sim, e você imaginaria a sra. Aoki num rodízio gritando "Traz mais shimeji!" envergando um daqueles tailleurs elegantes sob o cabelo impecável? Não, né?

Confesso que também evito rodízios e festivais. Mas por outro motivo: eu como demais. Ainda não aprendi a controlar a gula! E sou traído (e atraído) pela visão, me empolgo e como tudo o que me atiça o olhar. Depois tenho que agüentar amigos falando que não estou gordo, mas 'entroncadinho'... É mole?

Mas a pauta hoje é rodízio porque na sexta-feira fui a um e contrariando a minha tendência de sempre pedir a la carte, disparei um "hoje eu quero rodízio!". Claro que, para não fugir à regra, acabei pedindo um Tirashizushi a mais e não me arrependi: passei o finde sonhando com o prato.

O São Paulo-Tokyo (Rua Borges Lagoa, 1172 - Vila Clementino - tel.: 0/xx/11/5575-8125) é um restaurante novo, com pouco mais de um ano. Seus sócios são Mario Tussilo, um jovem sushiman descendente de italianos e Sonia Cho, a manager, descendente de coreanos. Daí você pensa "que inusitado"! Que nada, eu diria, "que mistureba boa"! Mario já trabalhou em outras casas, como o Koban, e Sonia tem grande experiência com restaurantes.

[Temakis picantes]

O rodízio custa R$ 32,90 e o preço cai para R$ 25,90 nos almoços de terça a sexta-feira. Ele começa com uma boa amostra dos sushis e sashimis e depois você vai pedindo a seu critério. Não comi o yakisoba, o guioza nem o tempurá, apenas o shimeji, com tempero suave e em porção generosa. Havia ainda o peixe grelhado, mas fiquei apenas com os crus mesmo.

Em primeiro lugar, gostei do arroz. Veio perfeito e com o tempero bastante equilibrado. Mas o que me impressionou mesmo foi o acabamento. Os cortes e as finalizações são impecáveis. O "Tirashizush"i (tigela de shari, o arroz temperado, coberto com sashimi, ovas e frutos do mar) é um delírio de cores, formas e texturas. Uma refeição completa e em grande estilo por R$ 26,50 com direito a ovas e até unagui (enguia), uma iguaria cara.

[Meia porção de Shogayaki]

Provei meia porção do Shogayaki (R$ 23,00 a porção inteira), fatias de carne bovina ao molho de gengibre feitos como devem ser, finas e com sabor adocicado e picante mas sem exagero. Acompanha arroz e missoshiro, a tradicional sopa japonesa.

Para encerrar a noite, pedi o temaki de Spicy Tuna, atum batidinho temperado com pimenta Tabasco. É bem picante mesmo, mas não a ponto de queimar os lábios ou mascarar o sabor do peixe, o que achei importante. E terminei a noite com um tempurá de sorvete, mais por curiosidade. Acho tão engenhoso esse lance de fritar sorvete e o do SP-Tokyo é muito bem executado, com dois bastões firmes, crocantes, com uma calda saborosa e aquele crash de texturas e temperaturas intrigante.

[Tempurá de sorvete: firme como palmito!]

O restaurante fica em uma rua movimentada da Vila Clementino (entre a Vila Mariana e a av. Rubem Berta) mas tranqüila durante a noite. Por fora você não imagina o amplo espaço interno, tem até um piso superior com tatame em reservados e mesas. E na entrada um bonito painel com uma foto de luminosos repletos de ideogramas que me fizeram lembrar da antiga Liberdade, antes da limpeza das fachadas. Muito bom.

[São Paulo-Tokyo-Itália-Coréia: mistureba boa!]

Escrito por Marcelo Katsuki às 10h24

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Mais prazeres


[Ricardo Castilho, diretor da revista, apresenta o prêmio de personalidade do ano]

A festa da Prazeres foi realmente incrível. Mas sabe o que aconteceu? Eu não comi nada. Ou 'quase' nada. Não fosse a atenção do chef Adriano Kanashiro em me oferecer um pequeno tartar de salmão e eu ter fisgado um camarão passando no corredor, teria voltado pra casa só com o alambique cheio. Muitos vinhos e um Malbec maravilhoso com 30 meses de barrica (se não me confunde o teor alcoólico daquele momento, será que é possível?) que provei na mesa da Chaves Oliveira.

Meu único momento de lazer foi afundar no pufe atrás da Salton para tomar um espumante e trocar dois 'as' com a Carina Cooper. Deixei de falar e me divertir com alguns amigos para ficar lá na frente fotografando, olha que Caxias! E hoje a assessoria me manda um monte de fotos muito melhores, podia até descartar as minhas. Mas já que já fiz, aqui vão elas. Portanto me desculpem 'presidente' César, Tereza, Roberta, Gu, Jezzy e todos os amigos que não dei a merecida atenção. E muito obrigado a todos que vieram me falar que adoram o blog!

Meu fim de noite foi na sala de casa. Como não peguei a fila do valet, cheguei rapidinho. Ainda meio tonto lancei um disco de Tarte a la Provençale (da Casino) no forno, abri uma garrafa de Emina 03 que trouxe de Ribera del Duero e fiz a minha festa particular no chão da sala, me matando de rir por me identificar com uma personagem sapa neurótica do seriado, depois de traçar toda a torta sem derrubar uma migalha. Prêmio de melhor harmonização: vinho, 'tarte' e televisão! Áfe, como diz meu pai, "vai dormir"!

[Chefs Roberto Ravióli, Mônica Rangel, Danio Braga, César Santos e Ana Bueno]


[Beta e Bertz, indicado a banqueteiro do ano]


[Degustei dois ótimos vinhos, um deles foi o Chaves Oliveira Gold Malbec. Complexo e encorpado, impressionou pelo marcante aroma de especiarias, frutas secas, toques de carvalho e pimenta e agradável acidez]


[Marie-France Henry, do Casserole]


[Fasano recebe o prêmio de brigada do ano]


[O prêmio de banqueteira para Neka Menna Barreto, recebido por sua sócia-irmã Jaqueline Menna Barreto e Patricia Carta]


[O tartar de salmão com tarê de foie gras do chef Adriano Kanashiro, meu único bocado, além de um camarão]


[O sommelier Dionisio Chaves, do Fasano Al Mare, é só alegria]


[Os disputados - só consegui comer um -Camarões Dama marcando a presença do Nordeste no evento]


[O chef revelação Rodrigo Oliveira recebe o prêmio da revelação de 2007, Rafael Despirite]


[O grande Claude Troisgros divide o prêmio com José Hugo Celidônio]


[Os vinhos 'mediterrâneos' da D'olivino!]


[O saquê premium Guinjo da Tozan também foi bastante apreciado pelos presentes]


[O pessoal da Gastromotiva, recebendo o prêmio de "responsabilidade social". Bacana!!! Clique aqui para conhecer o trabalho genial desse grupo e ajude!]


[Acabou! E agora corre para pegar seu carro, pessoa! Ou arregace as mangas e caia no Axé! Avisôôô, avisôôôô!!!]

Escrito por Marcelo Katsuki às 00h46

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Os melhores da gastronomia


[MC Flavinha Quaresma, salve simpatia!]


Seria o 'Oscar' da gastronomia? Parecia! Com direito a 'red carpet' e tudo mais, a festa de premiação dos melhores da gastronomia da revista Prazeres da Mesa reuniu ontem quase toda a troupie que comanda as caçarolas estreladas do país.

Os vencedores:
- Chef e Restaurante do ano: Paulo Barros e o seu Due Cuochi, talento duplamente reconhecido.
- Banqueteira: Neka Menna Barreto e toda a irreverência do seu Neka Gastronômicas.
- Chef revelação: Rodrigo Oliveira do Mocotó, momento de maior comoção do prêmio com a dedicatória ao pai, seu José Almeida.
- Sommelier: Dionísio Chaves, do Fasano al Mare. Conversei com ele poucos minutos antes dele receber o prêmio. Com um nome desses, só podia ser o deus do vinho mesmo, hehe.
- Brigada de ouro: Fasano, 'presença invisível'.
- Personalidade do ano: Claude Troigros (que a cada dia me surpreende mais) que convidou o concorrente José Hugo Celidônio para dividir o prêmio no palco. Emocionante! E Maria Stella Libanio Christo, a famosa culinarista autora de livros como "Fogão de Lenha".

Festa linda com muita gente interessante, comidinhas e bons vinhos mas nada como um show com músicas 'do além' para botar todo mundo para correr. Se era uma estratégia para encerrar rapidinho, funcionou, mas a fila do vallet ficou imensa, ainda bem que fui de táxi!!! Depois tentarei postar mais fotos. O dia aqui está corrido!!!


[Chef do ano: Paulo Barros]

Escrito por Marcelo Katsuki às 12h44

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sukiyaki do Bem


[Fotos do evento no ano passado]


O Sukiyaki do Bem evento realizado pela ceramista Hideko Honma em parceria com o Grand Hyatt terá sua segunda edição no dia 5 de julho. O jantar beneficente é realizado em prol da "Assistência Social Dom José Gaspar – Ikoi no Sono" que cuida de idosos e da "Associação Travessia" que auxilia crianças e jovens que não conseguem acompanhar o currículo tradicional, necessitando de atenção especial.


[Adriano Kanashiro, chef do Kinu, no comando da enorme panela de sukiyaki

A primeira edição no ano passado foi um grande sucesso com ingressos esgotados. Nesse ano o número de participantes foi ampliado, mas é bom garantir já o seu ingresso para não ficar de fora. Além de contribuir com esse importante projeto, os participantes ainda levam para casa a peça de cerâmica onde é servido o sukiyaki, confeccionada pelas alunas do Atelier Hideko Honma.

Sukiyaki do Bem 2008
Espaço de Eventos Grand Hyatt São Paulo
AV. das Nações Unidas, 13.301 - S.Paulo
Informações: 0/xx/11/6838-1234

Escrito por Marcelo Katsuki às 10h19

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Cozinha regional estrelada



Na sexta me encontrei com uma amiga que ficou falando maravilhas de um restaurante que ela tinha conhecido em Maceió, onde provara "a melhor carne de sol do mundo". Eu assenti e matei a charada: "foi no Carne de Sol do Picuí, né?" Ela não acreditou e ficou ainda mais surpresa quando eu disse que o chef Wanderson estaria em São Paulo na terça dando uma aula de... carne de sol! Melhor ainda, carne de sol de filé mignon aromatizada com ervas, entre outras delícias. Dá uma olhada no cardápio:

Entradas
Canapés Sertanejo - Torrada com patê de carne seca, berinjela e pimentões
Segredo das Conchas - Filé de siri fresco e crocante de caju em concha de Vieira

Pratos principais
Quenga do Mar - Camarões em molho cremoso de macaxeira e coco fresco
Jerimum Arretado - Carne de sol de filé mignon aromatizada com ervas servida na abóbora com molho de queijo coalho

Sobremesa
Cartolinha - Banana grelhada coberta com queijo coalho dourado, açúcar e mel

Hum, me deu fome só de pensar. A aula-jantar acontece na Viandier Casa de Gastronomia (Al. Lorena, 558, Jd. Paulista - tel: 11-3057-2987) nessa terça-feira, dia 10, às 19h30. O valor é de R$ 150,00 mas você vai passar muito bem, hehe.

Escrito por Marcelo Katsuki às 17h50

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sommelier de mostarda



Claro que isso não existe. Será??? Mas a brincadeira é porque me diverti muito lendo a curiosa matéria sobre mostardas que a Bia Marques escreveu na última Menu (que aliás traz uma capa linda clicada pelo grande Rogério Voltan).

Nas mãos (e narinas) da super Bia, aquela simplória mostarda escura da Hemmer de 3 'rael' pode ser assim descrita: "De cor bege escura, tem consistência lisa e é muito forte no nariz. Apresenta leve adocicado na boca, boa acidez, mas com final curto. Combina com salame e salsichas". Adorei! Agora, imagina o que ela não falou da Dijon com cassis e da Maille com ervas. Confira.

Escrito por Marcelo Katsuki às 16h41

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pipoca radioativa



Plagiado do Blog da Bia. Aliás, só deu ela hoje por aqui, hehe.

Escrito por Marcelo Katsuki às 16h30

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Vinhos, azeites e adegas


O que poderia me animar vendo esse lindo dia ensolarado através da janela empoeirada da redação? Um rápido passeio na D'olivino! A nova loja de vinhos e azeites premium fica na Normandia, 75 (tel.: 0/xx/11/5532-1820 ) uma das ruas mais charmosas da cidade e foi concebida com o compromisso de difundir alimentos e bebidas que compõem a Dieta Mediterrânea. Genial!


Há dias venho pesquisando uma adega climatizada que se encaixe nas minhas necessidades - e no meu bolso - e havia optado pela adega de 28 garrafas da Tocave. Examinei a peça na semana passada e acabei fechando o negócio. Qual o local da retirada? Na D'olivino, onde funciona o único showroom completo da marca!


Aproveitei e dei uma rápida passada pelos vinhos (com ótimos exemplares espanhóis, meus favoritos!) e degustei alguns azeites, entre eles um interessante exemplar italiano, o Gradassi Mandarino (R$ 48), incrivelmente aromatizado com tangerinas! No salão principal há uma mesa com uma infinidade de azeites para degustação, um mais incrível que o outro. Extravirgens, com especiarias, com ervas e várias opções de presentes como kits de degustação e livros de receitas com azeites, claro.


Observei os azeites aromatizados com trufas brancas, especiarias, vidrinhos de trufas negras, tudo com a mão dentro do bolso para não cair em tentação, afinal já tinha torrado a 'mesada' com a adega, hehe.


A D'olivino tem um bonito espaço com luz natural onde podem ser realizadas reuniões de confrarias com até 20 pessoas. Em breve vai receber uma cozinha de apoio. Lá acabei conhecendo o carrinho para harmonização de azeites, um console com rodinhas que pode ser levado até a mesa do cliente para ele degustar os exemplares.


Alguns restaurantes já estão adotando e quem gosta de azeites como eu sabe que um bom extravirgem faz toda a diferença. Recentemente comprei um com dill e a salada de salmão lá de casa nunca mais foi a mesma!


[As adegas da Tocave]

Bom, mas deixa eu terminar meu trabalho pois não vejo a hora de correr para casa para abrir o novo brinquedo. E desenterrar as garrafas que espalhei pelos mais obscuros cantos da casa, algumas nem me lembro mais onde!


[Trufas! Fica pra próxima.]

Escrito por Marcelo Katsuki às 15h11

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Acontece Rio




A Dal Pizzol lança seu Dal Pizzol Sauvingon Blanc e, para comemorar, três chefs criaram pratos com queijo de cabra, ingrediente que harmoniza muito bem com o vinho que serão servidos de 6 a 8 de junho. No Tambo Los Incas (Estrada Ministro Salgado Filho, 2761, Itaipava - Petrópolis - tel.: 0/xx/24/2222-5666) a dica é a Salada de maçã verde, rúcula, nozes, sálvia e queijo de cabra (foto - R$ 21). No Ettore (Av. Armando de Lombardi, 800. Condado de Cascais, Barra da Tijuca - tel.: 0/xx/21/2493-8939) a sugestão é a Salada Del Alpi (R$ 18,50), que vem com endívias recheadas com ricota de cabra, salteadas com nozes.

Já a chef Flávia Quaresma, do Carême (Rua Visconde de Caravelas, 113, Botafogo - tel.: 0/xx/21/2537-2274) preparou o Ravióli de queijo de cabra com passas brancas e nozes, acompanhado por espinafre salteado com laranja confit e espuma de ervas (foto - R$ 42). Durante este final de semana, a garrafa do Dal Pizzol Sauvignon Blanc estará com preço promocional: R$ 20.






O chef Roland Villard renovou o cardápio do bar Horse´s Neck, do Sofitel, (Av. Atlântica, 4240 – Tel. 0/xx/21/2525-1232) e criou uma novidade que adorei, o "Wine Flights" (R$ 40,00), uma pequena degustação de três vinhos com um tema em comum, servida em um jogo americano com informações sobre os vinhos, acompanhada por uma tábua de queijos. Genial! Outro destaque são as “Tapas variadas” (foto - a partir de R$ 8,00), o "Profiterole de salada caesar com quatro queijos e nozes” (R$ 20,00) e o “Pão surpresa com peixe defumado, ovo poché e salada” (R$ 20,00).









E o Encontro Mistral 2008 (já praticamente esgotado em São Paulo) acontece no Rio no dia 12 de junho, no Sofitel (Av. Atlântica, 4240 – Tel. 0/xx/21/2525-1232) das 15h às 20h. O Encontro contará com mais de 80 produtores, incluindo alguns dos maiores nomes do mundo do vinho, como Champagne Bollinger, Biondi Santi e Alión, e grandes personalidades do vinho, como o enólogo italiano Marco Pallanti, o português Luis Pato e o espanhol Telmo Rodriguez. Imperdível.

Escrito por Marcelo Katsuki às 01h38

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Bolachas no cio


Não é festa de sapa nem bolacha em forma de cachorro mas 15 posições do Kamasutra reproduzidas em forma de biscoito! (E eu que tinha prometido não dar mais nada relativo ao tema depois que o post do Dia dos não namorados entupiu meu e-mail com 'propostas', ui, e fui até chamado de 'mó pegador' por uma amiga, já pensou? Pobre de mim agora com o Kamasutra, kkkkkk!)

Pois essas belezinhas são criação da Fernanda Ribeiro, do Ateliê de Bolachas Decoradas. São bolachinhas feitas com especiarias como cravo, canela, noz moscada, cardamomo e até pimenta de cheiro, uma delícia! Esses eu ganhei de uma amiga (e não foi por conta do post!) mas você pode comprar as suas lá no Ateliê que fica na Rua Mourato Coelho, 1.134, na Vila Madalena. O telefone é 0/xx/11/3815-3757. A dica é dar de presente para 'sugerir a continuação da noite', segundo a confeiteira. Se preferir, passe antes no site, tem outros formatos de bolachas como coração e flores, para os menos impetuosos!

Escrito por Marcelo Katsuki às 12h50

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Crumble de cupuaçu



Essa receita é da sobremesa do jantar da moqueca 'incendiária' que quase botou fogo na cozinha de casa no sábado. Como precisa ser montada na hora, o ideal é agilizar utilizando produtos prontos mas bacanas como essa Cobertura de café com chocolate da Bazzar. Foi o que fiz.

'Crumble' de cupuaçu
(porção individual)

- 2 biscoitos Champanhe com açúcar fino quebrados
- 1 colher de sobremesa de Triple Sec para molhar os biscoitos
- 1 colher de sopa de creme de avelã (Nutella ou Casino)
- 1 colher de sopa de Cobertura de café com chocolate da Bazzar
- 1 colher de sopa de polpa de cupuaçu
- Chantilly Spray

Modo de fazer
- Coloque o creme de avelã no fundo da taça.
- Cubra com os pedaços de biscoito levemente umedecidos com Triple Sec e intercale com a polpa de cupuaçu.
- Regue com a Cobertura de café com chocolate.
- Finalize com o chantilly no topo e delicie-se. Apesar do apelo pouco artesanal o sabor é ótimo. E se você não tiver o cupuaçu, crie sua versão com damasco seco, pitaya, banana caramelada e até com jaca, por que não? Invente!

Escrito por Marcelo Katsuki às 10h36

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Noite dos não namorados



Que Dia dos Namorados, minha gente! No Drosophyla (Rua Pedro Taques, 80 - Consolação - tel.: 0/xx/11/3120-5535) o bafo é a Noite dos não namorados no dia 12 de junho! Vai ter clima de bailinho com a DJ carioca Dric, ambientação especial com muito 'gramour' e a dica é cada um levar outra pessoa solteira para todo mundo se dar bem.

Eu se fosse você, aproveitava e convidava aquele(a) pretê que não se define, oferecia umas boas tacinhas e partia pro abraço! Hahaha, até parece que eu sou uma pessoa assim tão... despojada? Mas a noite promete!

Escrito por Marcelo Katsuki às 17h14

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Wine Show da Enoteca Fasano


[O belo visual do salão da Casa Fasano antes do rush de amantes do vinho]


A Enoteca Fasano realizou seu Wine Show na semana passada na Casa Fasano com a participação de produtores da Europa e da América do Sul. Uma ótima oportunidade para conhecer um pouco do portfólio da casa, a cargo dos experts Gianni Tartari e Manoel Beato. Não consegui chegar cedo mas insisti pois além do prazer de degustar bons exemplares, você vai treinando o seu olfato e o paladar para o vinho, coisa que se perde se você não pratica.


[As estações de comidinhas eram caprichadas: queijos, mel trufado, crocantes de presunto de Parma, gravlax, pães e polenta cremosa com funghi e queijo]


Em pouco tempo o salão lotou de sommeliers e amantes do vinho em geral empenhados em concluir essa verdadeira "maratona do vinho". E depois de algumas provas generosamente servidas fui organizar as idéias abastecendo o estômago em uma das estações de comida com muito queijo e mel trufado, coisas que adoro.


[Os balcões para prova dos vinhos devidamente explicados pelos produtores nas mais diversas línguas. Cadê o meu tradutor instantâneo???]


Abaixo uma amostra dos vinhos que provei dignos de nota, seja pela qualidade excepcional (apesar do alto custo) ou pela ótima relação de preço e qualidade.


[Coma Blanca 2005: um branco que me surpreendeu, inclusive no preço: R$ 505. Mas é potente, untuoso, um vinho bastante original. Aromas de caramelo e café com notas citrinas de toranja, pera e marmelo, o que confere um final quase agridoce na boca.]



[Sum Torreguaceto: elaborado com 100% Sussumaniello. Tem cor rubi e aromas de frutas vermelhas frescas e notas de especiarias. Boa estrutura, aveludado na boca. Deve harmonizar com pescados e pratos leves]




[Château Terrasson 2004 (R$ 73). Um Bordeaux com 80% Merlot e 20% Cabernet Sauvignon/Cabernet Franc. Um vinho 'fácil de se beber' segundo Christophe Lavau, viticultor desde 83. Boa estrutura, sem madeira e muito agradável na boca.]



[Isla Negra Syrah Cabernet Sauvignon 2006 (R$ 33): 60% Syrah, 40% Cabernet Sauvignon. Vinho chileno de cor rubi e aromas de ameixa e framboesa além de notas de baunilha. Médio corpo e taninos macios. High Tide Cabernet Sauvignon 2005 (R$ 58): cor rubi, aromas frutados de ameixas e framboesas com especiarias além de notas d echocolate e baunilha.]



[Château Grand Moulinet 2004 Pomerol (R$ 210) e Château Haut Surget La Grande Selection 2000 (R$ 196). Vinhos com 90% Merlot e 10% Cabernet Franc envelhecidos em barricas novas de carvalho francês. Vinhos bastante encorpados e de boa estrutura. No nariz revelam notas de baunilha além de toques sutis de carvalho.]



[Ruta 15 km 29 Malbec 2004 (R$ 222): é o único vinho produzido pela bodega argentina Winet. Utiliza uvas 100% Malbec, tem cor rubi intenso e aroma de frutas vermelhas maduras. Tem taninos macios e bom corpo, outro vinho fácil de se beber mas com um custo maior.]



[Vinhos da Joffré e Hijas, a melhor relação custo x benefício do evento, para mim. O Blend de Selección Cabernet Sauvignon Merlot 2004 (R$ 84) era intenso com muita fruta vermelha e notas de pimenta e chocolate. Mas o grande destaque foi o Gran Malbec 2005 (R$ 66) indicado como o melhor Malbec importado no país. Predominam frutas vermelhas e figo, além de notas de chocolate e baunilha. Um tinto bastante concentrado, maduro e untuoso.]



[Gianni Tartari, o nome por trás da Enoteca Fasano]

Três vinhos de que gostei mas não fotografei (tava empolgado!):
- Château Haut Breton La Rigaudière 2003 Cru Bourgeois - Margaux (R$ 221): assemblage de 63% Cabernet Sauvignon, 315 Merlot, 4% Petit Verdot e 2% Cabernet Franc. Aromas de frutas vemelhas com toque de baunilha. Potente mas sedoso na boca, um ótimo vinho.
- Anarkos Rosso Puglia IGT 2005 (R$ 80): um tinto elaborado com as uvas Malvasia Nera, Primitivo, Negramaro e Ottavianello. Tem aromas de frutas maduras e é aveludado e cheio ao paladar. Um dos meus vinhos favoritos, felizmente com custo de 2 dítigos, hehe.
- Dorna Velha Colheita Selecionada 2000 (R$ 195): uma assemblage de Tinta Roriz, Tinta Barroca, Touriga Nacional e Touriga Franca. Toques vegetais com notas de ameixa seca. Paladar longo e fresco com taninos marcantes.

Escrito por Marcelo Katsuki às 10h21

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Esfriou? Sopa!

Três festivais de caldos e sopas para espantar o frio que se instalou na cidade.



O Terraço Itália (Av. Ipiranga, 344, 42º andar - tel. 0/xx/11/2189-2929) apresenta o seu Festival de Sopas com 12 receitas elaboradas pelo chef Giancarlo Marcheggiani. São oferecidos quatro sabores alternados diariamente em degustação livre. O preço é de R$ 42,00 por pessoa e inclui um fugget de queijos, frios e pães (bebidas e taxas não inclusas). O festival vai até agosto, sempre das 18h às 23h no piano-bar. Só aquela vista maravilhosa da cidade já vale a visita!






O Atrium, restaurante do Pestana São Paulo Hotel (Rua Tutóia, 77 – Jardins - tel. 0/xx/11/2187-5000) está promovendo o I Festival de Inverno. O cardápio tem quase 40 opções de sopas, cremes e caldos, entre elas, as inusitadas sopa de cerveja com batata e a completa sopa de pedra. Cada dia será oferecida uma seleção com seis tipos de sopas e cremes, além de seis tipos de quiches e sobremesas. Tudo por R$ 29,00 + 10% de taxa, por pessoa, com direito a primeira taça de vinho grátis (Santa Carolina, tinto ou branco).






O Sagrado Bar&Café (Rua Doutor Renato Paes de Barros, 994 - tel. 0/xx/11/3848-0302) oferece, a partir desse mês, seis tipos de sopas, entre elas uma de creme de aspargos com crocantes de presunto Parma e ainda de cenoura e abóbora com farofa crocante de amêndoas. Para os mais tradicionais, a sugestão é o caldinho de feijão preto com bacon, ciboulette e tomate picadinho e a canja da vovó. Os preços das sopas variam entre R$ 12 e R$ 14,50.

Escrito por Marcelo Katsuki às 10h49

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sopa de abóbora japonesa assada



No sábado recebi alguns amigos para um jantarzinho em casa. Preparei de entrada uma sopa de kabochá (abóbora japonesa) com camarões salteados com pimenta. Enquanto eu atendia uma ligação inesperada e a panela de barro da moqueca pegava fogo chamuscando os azulejos brancos da parede, virei duas taças de espumante rosé para dar uma acalmada. Até me lembrar das abóboras torrando no forno! Deu tempo de salvar, ufa! E o queimadinho da casca ficou tão gostoso que bati tudo no mixer.

O resultado foi surpreendente pois essa técnica de assar os legumes antes de fazer o caldo é muito utilizada nos preparo de caldos clássicos como o demi-glace. O sabor fica muito mais rico mesmo.

Sopa de abóbora assada
- 1/2 abóbora japonesa em cubos (com a casca)
- 1 colher de sopa de alho
- 1/2 xícara de azeite
- sal e pimenta moída
- 1 litro de água
- 12 camarões médios limpos
- 1 pimenta malagueta sem a sementes

Modo de fazer:
- Tempere a abóbora com o alho, azeite, sal e pimenta e asse em fogo alto por 20 minutos (ou até o alho dourar)
- Ferva a água e junte a abóbora assada. Cozinhe até amolecer, desmanche a abóbora com um socador ou um mixer (na própria panela) mas não bata muito para a sopa não ficar verde por conta da casca e cozinhe até dar o ponto desejado.
- Corrija o sal e se quiser, pode adicionar alguns pedacinhos de queijo gorgonzola (opcional).
- Salteie os camarões no azeite com um pouco de sal e a pimenta malagueta em tirinhas finas. Sirva sobre a sopa quente.

Escrito por Marcelo Katsuki às 10h37

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Marcelo Katsuki Marcelo Katsuki é editor de arte de Mídias Digitais da Folha, colaborador da revista sãopaulo e colunista da "Prazeres da Mesa".

BUSCA NO BLOG


TWITTER

    Twitter RSS

    ARQUIVO


    Ver mensagens anteriores
     

    Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
    em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.