Marcelo Katsuki

Comes & Bebes

 

Brinde 2010 na padoca

Quer começar bem o ano? Minha dica é a Villa Bahia (R. Bahia, 798 - Higienópolis - Centro. Telefone: 3666-9716) uma gostosa padaria que vai abrir no dia 1º às 6h para o café da manhã.

Estive lá na semana passada e gostei muito: pães variados, muitas frutas, bolos, ambiente caprichado, muita luz natural e com área externa! E no meio dos sucos, uma garrafa de espumante geladinha para várias mimosas! Quer coisa melhor para começar o ano? Feliz 2010!

Escrito por Marcelo Katsuki às 12h41

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Mandingas de Ano Novo

Já para a quitanda!!!

Escrito por Marcelo Katsuki às 01h46

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Feliz Natal Tropical!

Staff Tropical Luxo

 

Escrito por Marcelo Katsuki às 10h52

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Petiscos criativos

Comes e Bebes também é etiqueta; o povo que foi na Tropical Luxo que o diga, hahaha! Recentemente estive na KitchenAid para um jantar organizado pelo chef Alessandro Segatto e gostei muito dos petiscos servidos no coquetel.

As mesas também estavam perfeitas: porcelanas brancas, cristais limpos, prataria e apenas um arranjo baixo de centro. Evento para arquitetos, já viu: "Less is more". Garimpei algumas sugestões de comidinhas que podem servir de inspiração para incrementar aquela festinha de final de ano.

Espetinhos. Ou 'brochettes', se quiser emperiquitar. Compre palitinhos de bambu na Liberdade e solte a criatividade. Que tal um espetinho Caprese, com tomatinho cereja, mussarela de búfala e uma folha de manjericão? Ou esse mais incrementado, do chef, com peixe envolto em fatia de berinjela e tomate, apoiado em ervas e sal grosso. Nos potinhos, molhos variados.

Picolés. Só no formato. Você pode cortar o que quiser montar nos palitinhos. Nesse caso, uma terrine de salmão com coberturas variadas: ovas de salmão, de peixe voador ou apenas mostarda em grãos.

Tarteletes ou barquetes com recheios variados. Aqui, uma delicada casquinha de massa philo, recheada com camarão. Mas poderia ser com salpicão, peru defumado ou mesmo guacamole.

Almôndegas com molhos. Aqui, bolinhas de kafta espetadas em canela em pau com pesto. Mas você pode variar com almôndegas e fazer um vinagrete picante ou molho barbecue. Ou mesmo uma sauce Bérnaise, se a ideia for sofisticar.

Panelinhas de fios de açúcar. Ah, esse dá um trabalhão, mas parecem delicadas joias douradas. Vi o chef fazendo, melhor comprar pronto, hehe.

Segatto finalizando as saladas no balcão do showroom. Mais dicas de comidinhas? Abaixo, no post sobre as comidas da Tropical Luxo, hehe. Boas festas!

Escrito por Marcelo Katsuki às 13h42

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Um vinho para o verão

É verão! E nada como um bom vinho gelado para refrescar as idéias. Depois da onda dos espumantes e rosés, essa temporada tem uma nova companhia: o Torrontés argentino, leve, elegante e com uma intensidade aromática marcante. A Terrazas de los Andes, vinícola criada pelo grupo LVMH, está trazendo para o país seu "Terrazas Reserva Torrontés", e se você ainda não conhece essa uva, surpreenda-se.

"Brotei."

O vinho é produzido com a cepa Torrontés, a uva branca emblemática da Argentina. Se há um tempo atrás seu consumo gerava reservas por produzir vinhos escuros e doces, hoje essa imagem está sendo revertida pelas vinícolas, com uma produção de vinhos secos e de qualidade. 

Karina Guarita, Lu Fecarotta e Bia Marques.

O vinho foi apresentado pela Terrazas em um almoço à base de pescados e frutos do mar no restaurante O Pote do Rei. Uma boa combinação, já que o vinho tem grande frescor e aromas de frutas tropicais como abacaxi, maracujá, pera e manga e segurou bem até mesmo o excesso de especiarias de alguns pratos.

Ju Saad e Mauro Marcelo.

O vinho já está sendo comercializado nos principais empórios da cidade. Prove e depois me diga se o Torrontés não veio para ficar!

Escrito por Marcelo Katsuki às 10h30

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Tradições de fim de ano

Confesso que ainda não entrei no clima de Natal. Nem sou uma pessoa muito ligada a tradições, mas tem duas que adoro: uma é o peru de Natal do Ritz.

Com chutney de cranberry e farofinha úmida de castanhas, para mim é o alarme de que o Natal chegou mesmo. É ótimo, sempre reencontro os amigos. Somente amanhã, dia 22, das 12h às 16h nos dois endereços: Al. Franca, 1088 e R. Jerônimo da Veiga, 141.

 

 

A outra nasceu nesse finde: Tropical Luxo! A festa de fim de ano na casa da Martinha já nasceu histórica. Ou, pelo menos cheia de histórias, hehe! Muito espumante, música e comidas divertidas para espantar a zica do ano que já (quase) acabou. Ufa! As legendas foram uma homenagem aos cardápios que tivemos de ler ao longo do ano. Muita (ins)piração!

A comissão organizadora, antes de descer a ladeira.

Escrito por Marcelo Katsuki às 11h44

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Champa na areia

Sonho de consumo do verão: carrinhos de espumante Brut e Moscatel nas praias! Ação muito benvinda da Miolo, por enquanto apenas em Floripa e no litoral norte gaúcho. Espero que a onda se espalhe! Preço da 'perlage': 10 pratas. Pela popularização do espumante!

Escrito por Marcelo Katsuki às 11h31

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Bolinho maravilha

Cupcake de Limão siciliano com marshmellow

Outro dia subi a Augusta com a Beta e o Ale procurando uma casa nova que não sabíamos o que era nem onde ficava. Jornalismo investigativo, gente, hahaha! Achamos duas: o Mercado Mix, cheio de coisinhas bacanas e a Wondercakes, onde a gente comeu e fez bagunça. A gente é tão adulto, ainda mais depois de uns drinques pelo caminho. Fora esse clima de fim de ano...

O meu foi o de Bailey’s (acima). A massa é um pouco firme e vem recheada. E sempre com um topping alto e cremoso, ótimo para as 'crianças', que se lambuzaram todas! Beta foi de Limão siciliano, gostoso também. Mas o campeão foi o de Bicho de Pé, do Ale. Criança adora querer o que é dos outros, né? Dei uma mordidona e fiquei mastigando a cobertura com confeito, maior gostinho de infância.

São 15 tipos de cupcakes a R$ 5,80 cada. Há embalagens bonitinhas para duas, quatro, seis ou 12 unidades. Olha que idéia boa para aquele presentinho na firrrma!

Wondercakes
Rua Augusta, 2542 - Loja 1
Tel.: 3063-1209

Escrito por Marcelo Katsuki às 11h50

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Almoço no Dalva e Dito

Mais um almoço de final de ano, dessa vez no Dalva e Dito, que teve o cardápio reformulado. Grupo grande, o que é bom porque dá para provar vários pratos. E vários drinques, hehe.

A grande atração para o almoço são os PFs que o Alex Atala vem servindo desde o mês passado. Acima, o Paulistinha (R$ 29) com arroz, feijão, farofa, banana-da-terra, ovo pochê e opção de picadinho ou pastel.

Mas como é fim de ano, pedi uma Salada de cavaquinha (R$ 32) preparada a baixa temperatura com pepino, tomate, cítricos e vinagrete de bisque). Caiu super bem com o meu refrescante (e necessário) Martini!

Meu principal foi o Porco na lata com purê de batata e pequi (R$ 39). Enfim uma costelinha de leitão tão gostosa quanto a da minha mãe!  E o purê com perfume de pequi, que ela adora, é deliciosamente reconfortante.

Preciso levar a véia para provar. Aliás, o niver dela foi no dia 14 e esqueci de ligar, mas isso é uma tradição. Ainda bem que tinha dado o presente na véspera, ai.

De sobremesa, pedi o Creme de Chocolate e Priprioca (R$ 14), e cada vez mais acho que tem priprioca no perfume da Gucci, que eu chamo de "barroco" pelo aroma de madeira. Aliás, a priprioca é usada no Pará para perfumar os armários e nessa combinação com chocolate e crocante, ficou matadora.

Provei o Pudim de Leite (R$ 14) do Ale. Ando numa fase de pudins e estava gostoso, todo 'rendadinho' e numa porção generosa!

Mas a surpresa foi o Creme de Papaia com Catuaba (R$ 14) que tem uma aparência estranha mas uma textura levíssima. E combinou muito bem com a Catuaba, por mais marginal que possa ser a fama da nossa bebida de fim de noite no baixo Augusta, hehe! Ousadia.

Dalva e Dito
R. Pe. João Manuel, 1.115 - Cerqueira Cesar
Telefone: 0/xx/11/3064-6183

Escrito por Marcelo Katsuki às 14h09

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sushi de rua

Depois da invasão das temakerias agora vamos nos preparar para os carrinhos de sushi!  É sério! A brasileira Mara Kikuti desenvolveu um carrinho de sushi e temaki que tem até uma máquina que formata os bolinhos de arroz. SciFi gourmet!

Quem se interessar em desenvolvar o produto, deve entrar em contato com a Associação Nacional dos Inventores pelo telefone 0/xx/11/3873-3211. Os nossos japoneses são mais criativos mesmo. Mas tenho medo.

Escrito por Marcelo Katsuki às 14h25

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Aos mestres com carinho

Tá, eu caprichei no clichê hoje, hehe! Mas a homenagem é justa. Foi numa mesa de bar que Paulo Giandalia e Renato Pasmanik tiveram a idéia de fazer um livro homenageando 52 profissionais da gastronomia que marcaram a trajetória dos bares e restaurantes da cidade. Logo, Thomaz Souto Corrêa também abraçaria a 'causa'.

O resultado será apresentado ao público amanhã, dia 14 de dezembro, no bar Original, a partir das 17h30, com o lançamento do livro "Mestres do Salão". Entre os maîtres, estão Chagas (Rodeio) Alencar (Santo Colomba) e o seu Ático (Hotel Fasano). Juscelino (Piselli) e Waldecir (Frangó), hoje proprietários de seus estabelecimentos também estão lá. E há também as mulheres, como a incansável Janaína Rueda (Dona Onça) e Paulinha (Piselli).

Bateu uma saudade? Vai lá. Os maîtres estarão autografando o livro, que será vendido com desconto.

Bar Original
Rua Graúna, 137, Moema - Tel. 0/xx/11/5093-9486

MAPINHA AQUI

Escrito por Marcelo Katsuki às 11h47

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Licor de yuzu, o limão da moda

Joe McCanta, o mixologista da Absolut, já tinha cantado a bola quando me mostrou uma garrafinha de suco de yuzu, o limão japonês. Cítrico e potente, mas da mesma forma amargo, "Deve vir com tudo nos drinques do verão", revelou. Será?

Semanas depois assisti a uma mesa inteira em êxtase com o licor de yuzu, que encerrava um menu no Kinoshita, top japa da cidade. Ainda fiquei pensando naquele gostinho amargo, mas o povo pediu bis. Eis que nessa semana vou comprar 'obentô' no Yamato (Rua Galvão Bueno, 364) e me deparo com essa simpática garrafinha em cima do balcão da Adega de Sake.

Alexandre Tatsuya, que sabe que adoro uma novidade, não perdeu tempo: "Vamos degustar!" Eu acho que disse não. Tinha acabado de sair da massagem, tirado toda a 'água suja' do corpo na drenagem mas quando vi, já tava com o copinho na mão. Hummm, que delícia! Esse licor quase não tem amargor, parece mais um lemoncello pouco doce. Tem 12% de teor alcoólico e pode ser servido puro, gelado, com água ou 'on the rocks', diz o adesivo. Deve ser bom de qualquer jeito, pensei.

O nome é ótimo: Bar Yuzu Liqueur. Não tem em nenhum restaurante paulista ainda, só no Mok Sakebar, no Baixo Leblon, Rio. Olha que cariocas descolados! Mas se você quiser conhecer essa maravilha, corra para a Adega e dê uma provada. Se você não gostar, lá tem mais um monte de saquês para degustação. Mas duvido que você resista.

P.S. Acabei de ver que a Neide Rigo, do ótimo Come-se também já se rendeu ao limão japa. Seu 'novo queridinho do pedaço', escreveu.

Adega de Sakê
Rua Galvão Bueno, 364 Box 6 à 11 - Liberdade - São Paulo SP  Brasil
Tel: 0/xx//11/3208-2092 / 3207-2330

MAPINHA AQUI

Escrito por Marcelo Katsuki às 01h48

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Così buono mas mais barato

Crocantes arancinis (bolinho de risoto) com salada de folhas e parmesão

Final de ano traz um cansaço danado. Como não tenho chaminé em casa e descobri que Papai Noel não existe mesmo, aproveito o período para me presentear com pequenos prazeres. Almoçar com amigos é um deles, já que nunca consigo. E nessa semana foi assim.

Liguei pra Beta a caminho do Così e como cheguei antes, me refresquei com uma taça de vinho. Fui à pé. Para minha felicidade é perto do jornal, levei apenas 12 minutos. Ando rápido, coisa de gente que vive atrasada.

Capellini fresco com ragu de pato num molho encorpado e saboroso.

Pedimos o menu executivo. Por R$ 27,00 você tem uma refeição redentora, para aqueles dias difíceis, onde um bom prato com uma tacinha é quase uma refeição de auto-ajuda, hehe. Nesse caso, três ótimos pratos. Não foi uma surpresa, já que o chef Renato Carioni tem uma trajetória de sucesso por restaurantes como o Cantaloup e eu tinha provado o menu degustação na semana passada com outra amiga, a Ale Blanco.

Assim, enquanto atualizávamos os tópicos da semana, que iam de festinhas a separações (a gente não é fofoqueiro mas gosta de estar bem informado), íamos nos deliciando com os pratos, sem pressa, curtindo cada detalhe.

Crepe recheado com doce de leite e sorvete de creme

Aos poucos o salão foi se esvaziando - a gente sempre chega tarde nos lugares. Mas é bom, ainda mais no Così que tem a cozinha quase integrada ao salão e você pode acompanhar a movimentação da brigada. E eu adoro ver toda aquela correria sendo substituída por uma súbita quietude. Os funcionários vão se retirando para o merecido descanso e de repente o salão fica vazio, mergulhado num estranho silêncio enquanto você sorve o último gole de vinho - e o último garçom te leva a conta. Coitado, acho que ele me odeia, hehe.

Fachada do restaurante, na Barão de Tatuí, em Santa Cecília.

Além do recomendado almoço executivo, o Così tem um cardápio italiano contemporâneo, com opções também atraentes (para o paladar e para o bolso) como o Risoto de polvo, por R$ 23, que quero provar na próxima visita.

Renato Carioni visto a partir da Mesa do Chef

Mas o grande diferencial é a Mesa do Chef, um balcão que liga o salão à cozinha, onde até seis comensais podem desfrutar de todo o talento do Renato num menu confiance que nunca se repete. O chef cozinha e serve essa mesa e você acompanha toda a preparação 'de camarote'. Uma experiência deliciosa e que não custa tão caro quanto parece. Mas é necessário fazer reserva.

No almoço, sentar à mesa do chef custa R$ 55,00 com direito a três pratos mais uma sobremesa. No jantar você degusta cinco pratos e uma sobremesa por R$ 98,00. Preços só permitidos pela própria proposta do restaurante, que é de ser um lugar onde as pessoas possam comer bem pagando um preço justo; e por sua localização totalmente fora do circuitão Itaim-Jardins, na Santa Cecília, onde os custos são menores. Sorte a nossa! Abaixo, o menu degustação.

Sashimi de robalo com maçã verde, raspas de limão siciliano e ovas de Mujol

Figo assado com escalope de foie gras e salada de brotos. O figo fica parecendo uma extensão do foie, com sua cremosidade e doçura discreta, combinando perfeitamente.

Ovo mollet empanado servido com purê de pupunha e molho de cogumelos. Já uma tradição.

Garganelli com molho de espinafre e lulas. Massa fresca feita no mezanino é um dos pontos fortes da casa.

Magret de pato com polenta rústica, damascos secos e molho de mostarda com mel. Gostei tanto que passei a semana falando para quem me pedisse uma dica: "Bota mostarda Ancienne com mel."  Até na pipoca, hehe.

De sobremesa, Suflê de amora feito na hora com calda de frutas vermelhas. Tinha um sorvete também, mas já falei que sou alérgico? Raios.

O agradável salão com vista para a 'fábrica de massas' do Renato e ao fundo a disputada mesa do chef. Recomendo!

Così
Rua Barão de Tatuí, 302 – Santa Cecília – CEP 01226-030
Tel.: 11 3826-5088

MAPINHA AQUI

Escrito por Marcelo Katsuki às 14h09

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O Brazeiro Salvador

Onde comer numa segunda-feira chuvosa, às 11 da noite, perto de casa e sem gastar muito? Foi a pergunta que eu fiz ao Google e a resposta foi: o Brazeiro, "galeteria tradicional, de ambiente simples com paredes de azulejo e toalhas quadriculadas sobre as mesas". Outro comentário dizia: "gostoso mas nada de especial" o que me deixou mais animado. Geralmente esse 'especial' pode se referir a reduções e confits e eu não tava muito afim.

Corremos para a Luis Gois. Claro que a gente se perdeu no caminho (o GPS interior do meu amigo P.A. não funciona muito bem) mas em 15 minutos a gente estava lá.

Na entrada, um corredor ladeado por uma longa churrasqueira, de onde saem os galetos douradinhos; do outro, um balcão retrô com acrílico laranja estampa os pratos da casa. No salão ao fundo, mesas repletas de famílias se refestelando tarde da noite sobre as... toalhas quadriculadas!  E os azulejos!

Pedimos logo a especialidade da casa: galeto com farofa e molho de cebola (R$ 22) e uma cerveja. Antes de brindarmos, o galeto já estava na mesa exalando aquele cheirinho de brasa, todo destrinçado, pele crocante, para se comer logo. O melhor é que é um galeto bem temperado mas sem sobra de aromas como alecrins ou cominhos. Parece ter um tempero simples, talvez apenas sal e pimenta.

P.A. ainda quis batata frita. E arroz. Para deixar metade das porções reclamando que estava gordo. E que tinha comido muito, hahaha.

Mas ainda tinha a sobremesa. Para mim, um pudim mega furadinho (R$ 4) com calda de açúcar queimado à vontade. Pro 'gordo', um prato de sobremesa inteiro de doce de abóbora (R$ 3,50). A natureza é apenas justa, convenhamos.

Quase meia-noite e uma família chega com várias crianças para comer. A gente se levanta, olha pro braseiro onde ainda há algumas penosas suando sobre o carvão e parte. P.A. dá então seu veredito: "Bem bão! Agora corre que tá chovendo, japonês!"

O Brazeiro
R. Luis Gois, 843 - Mirandópolis - Sul. Telefone: 2275-7139

MAPINHA AQUI

Escrito por Marcelo Katsuki às 12h41

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Inspiração na cozinha

Andei meio afastado da cozinha. Nem o filme Julie & Julia me animou. Aliás, achei meio boring, me diverti mais lendo o livro. Agora estou com o Minha Vida em Paris, da própria Julia na cabeceira. Bom, mas ainda no comecinho.

Ontem quebrei o jejum preparando uma moqueca que ficou estranhamente com um acento italiano. E o responsável foi o livro Cooking - Segredos e Receitas. Não que a receita seja do livro, mas ele me inspirou a cozinhar. Digamos que ele seja atualmente o meu Mastering Art of French Cooking, hehe.

O livro tem 1.000 receitas e quase 2 mil fotos coloridas distribuídas por 544 páginas. Mas o bacana é que muitas das receitas são bem interessantes como Jambalaya, Sapo Atolado, Frango frito à moda sulista (quase um KFC), Chilis en Nogada, Ovos escoceses (o 'bakudan' da minha mãe) e até um bolo intitulado "o bolo de chocolate definitivo" que pela foto parece ser bom mesmo.

E entre um bloco de receitas e menus, dicas e técnicas super úteis, glossários, segredos para deixar a pele do porco crocante e receita de granita, ideal para o verão. Adorei. Tanto que tô aqui, quase 4h da manhã, escrevendo sobre ele! Deixa eu ler mais um pouco. Fui!

Escrito por Marcelo Katsuki às 03h43

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Viagem ao Pará

O surpreedente Bolinho de piracuí empanado na farinha de tapioca

Ainda há pouco estava no sofá da sala pensando que devia ir ao Pará nas próximas férias (sabe-se lá quando, hehe). Conhecer enfim o Mercado Ver-o-Peso e comer filhote, um dos meus peixes favoritos, à vontade. Me lambuzar de açaí, mastigar jambu até não sentir a língua e tomar banho de rio. Uma beleza!

Enquanto isso não passa de um devaneio, me contento comendo o Cardápio do Pará que a chef Ana Luiza Trajano lançou no Brasil a Gosto. Fui convidado para conhecer o menu degustação na semana passada e adorei. Afinal, não deixa de ser uma viagem, né?

De entrada, uma deliciosa costelinha de tambaqui com salada de feijão de Santarém com crocante de castanha do Pará (R$ 28)

Filhote com uma surpreendente crosta de castanha-do-pará e aviú, um microcamarão local com raízes e tubérculos e molho de açaí (R$ 68). Originalidade a serviço do sabor.

O tradicional Pato no tucupi (R$ 54) com um jambu fresquíssimo, que anestesiou minha língua instantaneamente.

Para fechar, um refrescante e levemente cítrico pudim de bacuri (R$ 18) com uma textura lisa, calda de limão cravo e creme de puxuri, fruta local cuja semente  tem aroma de anis estrelado. Esse bem que podia ficar no cardápio fixo. Muito bom!

Brasil a Gosto
R. Prof. Azevedo do Amaral, 70
Jardim Paulista - Oeste. Telefone: 0/xx/11/3086-3565

Escrito por Marcelo Katsuki às 02h17

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Café com suas Receitas

Hoje meu café da manhã foi especial. Acordei já sentindo o cheirinho de café na cama mesmo, agarrado ao livro da Giuliana Bastos. A capa tem cheiro de café ou tô viajando, hehe?

Café com suas Receitas é um livro gostoso de se ler: bem organizado, mescla um dicionário resultado de anos de pesquisa da autora com receitas. Tem até receitas salgadas, como um risoto e um cação ao molho de café. O lançamento foi nessa semana na Livraria da Vila. Olha quem foi.

A autora Giuliana Bastos recebe o cumprimento do amigo Ale Staut

Carlos Dória e Josimar Melo na fila do autógrafo.

O livro tem capa dura e é bem ilustrado. 176 páginas de informação e entretenimento. Para comprar o livro, clique aqui.

 

 

Mariella no lançamento de seu livro, na livraria Cultura.

Já que estamos falando de livros, um parêntese aqui para comunicar que o livro O Jantar do Século da Mariella Lazaretti ganhou o Prêmio Gourmand World Cookbook Awards 2009. Além de um importante registro histórico, o livro traz todas as receitas com fotos. Parabéns, Mariella!

E para comprar esse livro, clique aqui! Os dois livros estão com um ótimo desconto na nossa livraria, hehe.


Escrito por Marcelo Katsuki às 11h37

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Marcelo Katsuki Marcelo Katsuki é editor de arte de Mídias Digitais da Folha, colaborador da revista sãopaulo e colunista da "Prazeres da Mesa".

BUSCA NO BLOG


TWITTER

    Twitter RSS

    ARQUIVO


    Ver mensagens anteriores
     

    Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
    em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.