Marcelo Katsuki

Comes & Bebes

 

Quatro pubs londrinos

Tomando Double gin tonic como se fosse água de coco; refresca e ainda anima na hora de fazer a varredura pelas lojas de Londres. E corro porque tá acabando.

Mas deixa eu começar contando meu primeiro passeio pela cidade. Fizemos um tour por quatro bares históricos, afinal, nada mais adequado que passar a noite nos pubs. Trata-se de um tour meio alternativo, para quem não quer só ficar na linha 'palácio-museu' e tá afim de tomar uns gorós e pensar enquanto bebe.

O primeiro que conhecemos, The BlackFriar, parece saído de um filme de terror. Fachada estranha, interior mais ainda.

Jane Peyton, nossa guia - que eu não sei se se parece mais com aquela professora de adivinhação do Harry Potter, Sybil Trelawney ou com a Edina de Absolutely Fabulous - conta que durante a expansão das linhas de trens e metrô, tentaram desocupar a área, mas os frequentadores e moradores da região conseguiram manter o patrimônio intacto.

Chopes dos mais variados tipos como um curioso chope de café. Com gosto e aroma. Bom para provar mas não para passar a noite bebendo.

O segundo bar era um point de escritores chamado Ye Olde Chesshire Cheese. Foi reconstruído depois de um incêndio mas sua maior curiosidade é o pé direito, baixíssimo.

Olha a Jane aí, gente!

Dizem que no século XVI - Jesus, que bar velho! - as pessoas não se alimentavam muito bem e por isso eram baixinhas, rs. Até eu bati a cabeça descendo a escadaria do banheiro. Quase me senti grande?

O terceiro bar foi o The Old Bank of England, no melhor estilo 'luxo e riqueza'. Ocupa um belo imóvel que já foi um banco, com pé direito triplo, lustres gigantescos, afrescos e um bar central que parece uma caravela de mogno avançando pelo cenário.

Lá tomei o London Pride, não o meu favorito mas perfeito para acompanhar a 'torta do dia'. Massa meio adocicada com recheio de carne com molho de vinho, acompanhado de purê de batata. Ou a gente estava com muita fome ou a torta era boa demais!

Degustação de tortas inglesas.

Depois fomos conhecer o cofre, com portas pesadíssimas, e que hoje guarda outro tesouro: garrafas e mais garrafas de bebidas. Ouro líquido, ui, clichê.

Encerrando o tour com nossa genial guia, fomos a um pub bem para moçada chamado Cittie of Yorke.

O lugar parece ter confessionários no lugar das mesas, mas é porque era frequentado por advogados e juízes que tinham conversas privadas nesses nichos. Hoje é quase uma baladinha.

Tomei cidra e gostei. Mas fiquei amarrado mesmo foi pelo chope orgânico que mais parece um vinho terroso. Adorei e acabei papando o copo da Jane sem querer.

Mas o divertido mesmo é ficar ouvindo as estórias da Jane, que anda arrastando seu guarda-chuva poderoso, capaz de parar táxis do outro lado da avenida. Jane é uma figura e faz eventos onde propõe harmonização de cervejas com comida, queijos, chocolate e até sobremesas. Uma dica da Jane: cervejas escuras com Tiramisú, pode anotar, ela garante. Crème brulée  é outra sobremesa que vai bem com as escurinhas.

E esse passeio com Jane Peyton, diretora da School of Booze (adorei o nome da firrrma) custa 45 libras por cabeça sendo realizado para grupos de 2 a 6 pessoas. O valor inclui um chopinho (meia pint) em cada bar, que você escolhe depois de degustar quase todos. Um passeio super diferente e recomendadíssimo. Call Jane! Tel. 07729 601 590 (Londres). E "Bottoms up!" como brindava a nossa condutora a cada rodada!

Fim de noite foi no hotel mesmo, olhando para a London Eye, que ficava do outro lado do rio. Lovely.

Escrito por Marcelo Katsuki às 21h37

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Direto de Londres

A ferramenta do blog nao está funcionando aqui em Londres. E quando abre, fica horassss pensando. Se quiser acompanhar a viagem pelas fotos, clique aqui!

Escrito por Marcelo Katsuki às 08h07

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O festival começa aqui

É: casa lotada com espera enorme. Ficamos no balcão mesmo e lá bebemos, comemos e partimos. Festival bom é assim mesmo.

Mal dá para acreditar que passei uma semana no Recife, tamanha a correria. E no último dia do Festival Gastronomico PE, totalmente descontrolado, montei um roteiro para comer em quatro lugares. Claro que concluí a peregrinação naquele estado, matando uma sobremesa no La Pasta Galeria. Mas vou começar contando o que comi no restaurante É, porque já cortei as fotos, rs.

Sempre que vou ao É, me preparo para surpresas. O chef Douglas Wan der Ley é todo novidadeiro, não só no nome. O ambiente é bem escuro e avermelhado, meio "estábulo do capeta", mas de luxo. E cheio de referências das viagens do chef, que muda o cardápio a cada oito meses, inspirado pelos lugares e culturas.

Fogo!

As novas toalhas trazidas da Turquia, branquinhas e cheias de canutilhos e brilhos são pura riqueza. "Pelamor, só sirva vinho branco sobre elas", alertou o Junior, que não largava o pano. Outra novidade é a cerimônia do fogo, com uma panela de barro que é quebrada no meio do salão para o serviço do Kebab de cordeiro. Performance pura, a gente adora.

Edmundo Campelo (Les Amis / SP) foi o chef convidado do festival. E juntamente com Douglas, preparou o menu com essa entrada: Moussaka de carne de charque. Achei meio ousado colocar pimenta síria na carne seca, mas eles foram mais longe: fundiram a berinjela no molho, que denunciava seu sabor mas não a sua presença. O resultado? Surpreendente: o tempero não pesou e o molho cremoso ficou uma delícia para um fã de berinjela como eu.

O principal era um Filé de cordeiro com risoto de romã, festival de ingredientes num prato só. Prefiro poucos itens, mas aqui, outro mix que deu muito certo. O molho tinha vinho de gengibre, super 'da terra' e lembrava até um Bourbon; o risoto trazia também quinua negra, crocante, que lembrava semente de papoula mas tinha um sabor bem característico. Acompanhava ainda farofa de folha de tamarindo e semente de melão tostada. Quase um tratado.

A sobremesa manteve o clima festivo: Bolo de rolo com goiaba e queijo Feta, waffer com pasta de caju e beijinho (delícia) e sorvete. No meio do caminho de chocolate com manga, pisei numa farofinha crocante de castanha. Pronto, engordei.

Douglas Wan der Ley e o chef convidado, Edmundo Campelo, do Les Amis (SP). Ótima parceria!

 

 

E o Festival Gastrônomido PE 2010 terminou ontem com um festão na casa do chef César Santos (de camisa floral) em Olinda. Perdeu? Eu também, já tava voando, ownnnnn... Mas o festival da comida pernambucana segue aqui no blog com uma dezena de restaurantes que ainda vou postar. Bom proveito!

Escrito por Marcelo Katsuki às 13h05

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Chiwake recebe Flavio Miyamura do eñe

A cara do festival!

Todo ano, faça chuva ou faça sol, junto algumas roupas de gosto duvidoso (não sei usar cores nem roupas curtas) e venho pro Recife para acompanhar a movimentação do Festival Gastronômico do PE. É o festival mais divertido, animado, misturado e com o público mais participativo que conheço.

Recife tem um mercado gastronômico forte, chefs consagrados como Cesar Santos, grandes empreendedores como Joca Pontes e Duca Lapenda, talentosos como Saburó e Claudemir, e ainda conta com apoio governamental; emociona e faz até a gente gastar metade das duas semanas de férias aqui só para ver a banda passar, feliz da vida (e olha que andei num mau humor lascado).

Entrada: Vieiras com espuma de salsinha (very eñe), Coca de pan con e jamón e Tartar de vieiras com calda de beterraba ao perfume cítrico.

Nossa primeira noite foi no Chiwake, restaurante peruano que fica num simpático núcleo gourmet no bairro do Espinheiro, zona Norte do Recife. O chef Biba recebeu o Flávio Miyamura, do eñe restaurante de São Paulo para um menu a quatro mãos com toques espanhóis.

Sempre legal ver o Flávio em ação, como na cozinha envidraçada do eñe.

Depois de ótimas caipiroscas de uva com morango (com Absolut por R$ 11,50), provamos a entrada, com itens emblemáticos da cozinha espanhola.

Hora do prato principal: Arroz negro com tinta de lula e camarões ao toque de alho. Cremosidade leve, sabor intenso e camarão com gosto de camarão, rs. Muito bom.

Biba, o chef anfitrião do Chiwake.

E depois de mais algumas caipiroscas, a sobremesa: Crema catalana com açaí. Combinação matadora que remete à recente pesquisa do chef do eñe de agregar ingredientes brasileiros ao menu do restaurante.

Chiwake
Rua da Hora, 820, Espinheiro – Recife
Informações e reservas: (81) 3221.1606

MAPINHA AQUI

Veja os restaurantes que participam do Festival

Afonso & Anísio - Roberta Ciasca (Miam Miam - RJ)
Anjo Solto - Lucien Taira (Nakombi – SP)
Chiwake - Flávio Miyamura (Eñe - SP)
Dom Ferreira - Renata Cruz (Amici – SP)
É - Edmundo Campello (Chef Consultor – SP)
Jalan Jalan - Magda Moraes (Consultora Cozinha de Raízes – MS)
Just Madá - Talitha Bastos (Chef Consultora - SP)
La Comédie - Paulo Pinho (Alvorada - RJ)
La Pasta Galleria - Dalton Rangel (Yuca Gourmet - RJ)
La Tratoria - Porto de Galinhas - Piero Gaspari (Chef Consultor - SP)
Maria Bonita/Petrolina - Fernando Couto (Confraria do Sabor - SP)
Nez - Maurício Ganzarolli (Bananeira - SP)
Papa Capim - Wanderson Medeiros    (Picuí - AL)
Porto Ferreiro - Renato Freire (Confeitaria Colombo - RJ)
Raval Bistrot - Maíra César (Spot - SP)
Senac - Diego Lozano (Galeria Chocolate - SP)
Varanda/Fernando de Noronha - Simone Bert (Wanchako - AL)

Escrito por Marcelo Katsuki às 13h12

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Dedo de Moça


Mayra Abbondanza Abucham e Patricia Abbondanza são as personal chefs responsáveis pelo site Dedo de Moça, que será lançado com coquetel nessa terça-feira, dia 26, no Empório Central do shopping Cidade Jardim (Av. Magalhães de Castro, 12.000).

A proposta da dupla é resgatar o prazer de comer bem em casa e para isso, ensinam receitas de família ou de acordo com os desejos e necessidades de cada cliente.

Já fui fuçar o site e morri com as fotos das receitas, uma mais linda que a outra. E o mais legal: tem receitas de pratos famosos de restaurantes de São Paulo e sucessos de todos os tempos, como o sempre gostoso Mosaico de gelatina (ou simplesmente "Gelatina colorida"), um dos hits das nossas vidas. Abaixo, a receita.

Mosaico de gelatina
Serve: 10 pessoas
Tempo de preparo: 3 horas


Ingredientes
1 caixa de gelatina sabor limão
1 caixa de gelatina sabor morango
1 caixa de gelatina sabor abacaxi
1 lata de creme de leite (se desejar trocar por creme de leite light ou iogurte)
1 lata de leite condensado (se desejar substituir por leite condensado light)
1 envelope de gelatina sem sabor incolor
1/2 xícara (chá) de água quente

Modo de preparo
1. Prepare as gelatinas, separadamente, conforme as instruções de embalagem.
2. Depois de prontas, corte em cubos.
3. Dissolva a gelatina sem sabor na água morna e bata no liquidificador com o creme de leite e o leite condensado.
4. Junte os cubos de gelatinas coloridas em uma travessa molhada e despeje o creme.
5. Leve para a geladeira para “endurecer”, se desejar desenforme.

Escrito por Marcelo Katsuki às 18h35

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Chá e show: inshalá!

Li-li-li-li-li-li-li-li!!! Sentiu o climão das "Mil e Uma Noites"? Pois é, no mês passado revivi a moda das casas de chá, fenômeno nos anos 80, e me joguei no Khan el Khalili para uma noite de dança do ventre e muito véu. Sem esquecer, claro, dos chás e salgadinhos, bolos, pães, pastas, toda aquela comidaiada que faz parte do ritual. A casa tem mais de 10 ambientes (uns até com tenda) onde as bailarinas se apresentam enquanto você toma um chá fingindo que é o Sheik de Agadir. E tem um show aos domingos por R$ 20, sempre com uma convidada.

Tivemos a sorte de assistir à Vanessa Castro (primeira foto) de Curitiba, que botou pra quebrar com uns coreôs incríveis, mesmo quando teve de improvisar, para provar que tinha o 'rebolation', rs. As outras meninas também quebraram tudo: Jade, Juli, Pricilla, Carol Charis e Polímnia. Show.

Mas agora vamos ao que interessa, hehe: as comidas! Como a casa funciona com sistema de rodízio, a dica é pedir o serviço expresso, para ficar com a mesa cheia feito um bufê e garantir o quibe enquanto as moças suam o véu. É que durante as apresentações, que duram até 20, 30min, o serviço para e nem adianta ficar gritando 'habiiiib'!

Cesta de pães, bolos e biscoitos, patés de berinjela, homus, ricota e geléia de banana.

Queijinhos, que podem ser degustados durante a dança, com algumas poucas opões de vinhos.

Se você for acompanhado, peça um Ritual com chá e outro com Pães e queijos. Assim vocês podem dividir os pratinhos e provar de tudo. Curiosamente vem tudo embrulhado em saquinhos individuais, para evitar desperdício e garantir a higiene. Gostei tanto do bolo de especiarias, ali embrulhadinho, que levei um pra casa, pro lanchinho de segunda-feira na redação.

As melhores comidas? O quibe, que circula quentinho. Pega logo alguns, são 'aperitivo', hehe. E o bolo de chocolate branco. Não tava botando muita fé; no fim, comi o do meu acompanhante e ainda pedi outro.

Opa, e no meio da comida, lá vem ela de novo!

Um dos ambientes da casa. Ah, o endereço! R. Dr. José de Queirós Aranha, 320 - Vila Mariana (MAPINHA AQUI). Telefone: 5571-3295. Bom programa para encerrar o domingo no ritmo!

Vanessa no improviso: vaaaai!

Escrito por Marcelo Katsuki às 12h32

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Compras, comida e diversão

O Mercado - A Mão Cheia chega a sua décima edição nesse ano reunindo 60 designers no Atelier de Cerâmica Hideko Honma. É um dos programas mais gostosos para quem curte acessórios, jóias, papelaria, confecções e é claro, peças de cerâmica.

Outra atração é a comidaiada, servida num gostoso bistrô criado dentro do atelier, sob a responsabilidade da Tampopo. E na abertura, coquetel com o grande banqueteiro Viko Tangoda. Vai rolar até uma tradicional cerimônia do chá. Aproveite para levar esse astral super positivo para casa comprando um buquê, sempre tem uns arranjos lindos.

Tudo acontecerá no atelier da Hideko nos dias 22, 23 e 24 de outubro, a partir das 11h - rua Pintassilgo, 429, Moema. Telefone: 0/xx/11/5042-4459. Ah, leve cheque ou dindin, não serão aceitos cartões de crédito.

Escrito por Marcelo Katsuki às 01h09

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O Ano da Gastronomia no Recife

Os chefs participantes durante o coquetel que abriu o Festival nessa terça.

Começa hoje o Recife Bom de Garfo com os restaurantes da Associação dos Restaurantes da Boa Lembrança. Mas a programação do Festival Gastronômico PE 2010 tá só começando!

15 de outubro – Palestra com chef Claudemir Barros Arena de Estudantes
16 – Etapa Didática Concurso de Estudantes Arena de Estudantes
19 a 24 - Arena de Chefs no Shopping Tacaruna
19 – Jantar Beneficente - Arcádia Boa Viagem
21 – Concurso de Estudantes Arena de Chefs – Tacaruna
21 a 23 – Festival Gastronômico com os Restaurantes não associados à Boa Lembrança

Quer ver a programação completa e acompanhar o evento? Clique aqui!

Os organizadores do festival: Márcio Sena, César Santos e Ana Cláudia Lins

Crédito das fotos: Dante Barros

Escrito por Marcelo Katsuki às 12h14

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Baião de dois de frutos do mar

E a onda dos descontos chega aos restaurantes - e sem vouchers. Até o dia 23 de outubro, a dupla com o Baião de dois de frutos do mar (receita do chef César Santos da Oficina do Sabor/Olinda) com arroz, feijão fradinho, leite de coco, manga, polvo, lula, camarão e um toque de curry (R$ 51) mais o Pudim de café com calda de caramelo (R$ 13) sai de R$ 64 por R$ 39,90 lá no Na Cozinha. É só pedir pelo "Especial do Chef". O restaurante abre para o jantar apenas de quarta a sábado na Haddock Lobo, 955, Jardins. Reservas: tel. 0/xx/11/3063-5374. MAPINHA AQUI

E para quem quiser preparar uma deliciosa sobremesa, abaixo a receita do Pudim de café. Fácil e gostosa.

Pudim de café com calda de caramelo

Ingredientes
- 1 lata de leite condensado
- A mesma medida de café bem forte
- 3 ovos

Preparo
- Bata todos os ingredientes liquidificador por dois minutos.
- Despeje em uma forma metálica previamente caramelizada com duas xícaras de açúcar e uma de água.
- Asse em banho maria por 45 minutos em forno de 180ºC. Deixe esfriar, desenforme e perca as estribeiras, rs.

Escrito por Marcelo Katsuki às 08h51

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sábado na cantina

Ter amigos gourmet é ótimo: nunca falta assunto (comida temperada com a vida alheia), nunca falta inspiração (gorós para elevar nossos espíritos) e todos mandam bem na cozinha, mesmo que a geladeira abrigue apenas um ovo e duas salsichas. Mas quando o assunto é sair para comer, ai ai ai, drama, people. Mesmo que as opções sejam duas, sempre rola uma DR. E foi assim que depois de muito vai-não-vai acabamos indo pro Pasquale num sábado ensolarado.

Quando começou o debate do vinho branco x vinho tinto, fui logo decretando: rosé! Descomplica, acho festivo, pronto, tin-tin. E lá fui eu pro balcão de antepastos surtar com a burrata derretendo de cremosa, abobrinhas grelhadas com um tempero matador, involtini de berinjela com tomate seco, alcaparra e alicella, corações de alcachofra e aquela sopressata. Tudo incrivelmente gostoso. Mas escrevendo agora penso que eu estava meio mandão? Por que ninguém tentou me conter? Acho que estavam é com preguiça, folgados.

E como adoro alterar as receitas do cardápio, pedi o Pérola Negra (clássico da casa por R$ 32): penne levemente apimentado com tomate, mozzarella de búfala, alho, azeitonas, panceta, manjericão e pecorino. Mas pedi para fazer com pouca pimenta. E bem pouca panceta.

E aproveitei para pedir para trocar o penne por orecchiete. Os chefs adoram quando isso acontece, é quase um desafio, rs. Mas quer saber? Estava delicioso, levemente picante, acidez na medida. Acidez é tudo nessa vida. E eu queria comer aquela massinha orelhuda, uai.

Mas comi meio transtornado olhando pro prato do vizinho: Spezzatino (R$ 25). Um rigatoni com espesso e perfumado molho de tomate e cubões de carne cozida que se desmanchavam. Ainda bem que o Ale se tocou e me deu um pouco, olho gordo dá dor de barriga, né?

Martinha e Maltinha foram de Espaguete ao pesto e Espaguete com polpettas, mas não fotografei. Martinha também alterou o pedido (viu, não sou o único) e Maltinha foi logo enrolando os fios de massa no garfo. A moça chegou esfomeada e com uma hora de atraso, jurando que foi culpa do cabelereiro. A gente perdoa, lógico, o cabelo é importante, p...

No meio da refeição ainda saí correndo para a loja da frente para comprar taças de Martini tchecas por 15 pratas, quando vi o segurança passando a corrente na porta. Não sei se foi por pena de ver o manquitola atravessando a rua desesperado, mas me deixaram entrar. Sangue de Jesus tem poder!

Fim de tarde sob a parreira: pança plena e língua cansada. A gente vive pra isso.

Pasquale
R. Amália de Noronha, 167 - Pinheiros
Telefone: 0/xx/11/3081-0333

MAPINHA AQUI

Escrito por Marcelo Katsuki às 02h34

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Chocolate combina com champanhe?

 

Ô, se combina! A Lindt lançou uma caixa com 12 trufas de chocolate com recheio cremoso de champanhe. Parecem bolinhas de pingue-pongue ou 'comi' champã demais? Olha, adorei, e vou botar fé no poder afrodisíaco da combinação, me aguarde. Preço médio de R$ 60 no empório mais perto da sua casa.

Escrito por Marcelo Katsuki às 22h49

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Você sabe tirar chope?

Ota Gilson de Castro dos Santos (ao centro), do Seo Rosa - Campinas, melhor tirador de chope do 14º World Drauhgt Master no Brasil

Na semana passada a Stella Artois realizou a premiação do melhor tirador de chope brasileiro, em um evento no n'Box. Competiram representantes de 30 bares de São Paulo, selecionados pela Real Academia do Chopp da Ambev. Além do ritual com os nove passos para servir o chope, foram avaliados qualidade no serviço, simpatia e habilidade. Ota Gilson, há 20 anos na profissão, ganhou R$ 3 mil e o direito de viajar para Londres para representar o Brasil; tava uma alegria só (e nem tinha bebido, rs).

Eu, que mal sei abrir uma garrafinha de long neck, fui dar uma espiada e acabei fazendo um workshop rápido com a MariMariMari da Real Academia do Chopp. Ela pacientemente me ensinou os nove passos. O resultado? Um sucesso! Ela disse que no ano que vem posso até competir, kkkk! Não me lembro dos nove passos, mas abaixo o ritual de tirar chope de um aprendiz. Tenha fé.

A nove passos do paraíso (ou menos ainda)

- Checar se o cálice tá bem limpinho e segurar pela haste (base).
- Com a outra mão, abrir a torneira e deixar cair toda a espuma.
- Quando começar a sair o chope, entrar com a taça inclinada a um ângulo de 45º sob a torneira.
- Quando preencher metade do cálice, posicione a taça totalmente na vertical para produzir o colarinho (uns dois dedos), que vai ajudar a preservar o sabor, aroma e temperatura.
- Feche a torneira, retire o excesso de espuma com uma espátula e tome cuidado para não tocar a taça na torneira. Tipo gafe feia.
- Sirva a pessoa com o logo da taça voltado para ela enquanto deseja "Saúde!" e volte pra sua função. Ninguém merece esperar muito para tomar o seu chope, rapá!

Escrito por Marcelo Katsuki às 15h25

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Vale por um bifinho

O melhor salgadinho de São Paulo é o mineiríssimo pão de queijo? Ah, vá. Quando vi o resultado no Comer & Beber da Vejinha, fiquei intrigado. Daí na semana passada saí da terapia esfomeado e corri pro Lá da Venda (R. Harmonia, 161 - V.Madalena - Tel: 0/xx/11/3037-770) só pra ver.

Gente, aquilo não é um salgadinho, mas um salgadão. Massa compactada -um pouco pesada para o meu caipirinha interior- parece um pãozinho de polvilho escaldado que eu fazia nos anos 80, e com o maravilhoso queijo da Serra da Canastra, que faz toda a diferença. Meu problema com pães de queijo é que depois que comi o da Dona Diva, do Mercado Central de BH, descobri um novo mundo. Sério.

Outro destaque no Lá da Venda é o atendimento, super gentil, além daquelas duas mil bugigangas penduradas pelo salão. Orgasmo quitandístico. Tá rolando um menu do Saci Pererê que achei ótimo, mas terei de voltar outro dia. O pão de queijo não é barato (R$ 4) mas valeu por uma refeição.

Escrito por Marcelo Katsuki às 15h03

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Le Vin 10 anos

Tarte de chèvre com tomate (R$ 35), massa folhada crocante com salada. Olha essa borda torradinha, nham!

Nessa semana fui a um jantar comemorativo dos 10 anos muito bem vividos do Le Vin. Sentei-me ao lado do Junior e dividimos todos os pratos irmanamente, já treinando para os 10 dias de férias que passaremos juntos em Hellcife. Ops, Recife. Não que a gente precise, já fomos pra Suécia conhecer a fábrica da Absolut e nem brigamos pelas garrafas, o que seria mais justificável, rs.

O bistrô está resgatando os pratos clássicos e favoritos do público, que marcaram essa trajetória de sucesso. Mas como a gente é zoiudo, pedimos também o Steak Tartare (R$ 29), fora do cardápio comemorativo mas um favorito sempre.

O Junior foi enfático: pediu logo o Confit de pato (R$ 78) e depois eu entendi tanta certeza: carne macia, desmanchando sob a pele crocante. No lugar do purê de batata doce, cubinhos de batata no molho encorpado. Dei umas garfadas, lógico.

Fiquei com outro clássico: Boeuf Bourguignone (R$ 46), com cubos de carne, cogumelos, baby carrots e cebolas imersos no denso molho de vinho tinto. Cubos pequenos, perfeitos para uma bocada e um gole de Malbec.

De sobremesa, o Junior foi de Brioche de rabanada com calda de chocolate e sorvete (R$ 16). Não tinha como errar.

Ataquei de Ovos nevados (R$ 15) e mais uma vez me assustei com o tamanho da 'bola de neve': enooorme! Mas leve, com uma calda de caramelo escondida sobre o creme que deixa a sobremesa ainda mais matadora.

Essa sobremesa não faz parte do cardápio comemorativo, mas adoro pela leveza, acho que não engordo. Assim como o Steak Tartare, cuja receita transcrevo abaixo. Vale muito a pena, é um dos mais gostosos da cidade, pode acreditar.

Steak tartare do Le Vin

- 300gr de filet mignon cortado na ponta da faca
- Sal refinado a gosto
- Pimenta branca
- Tabasco a gosto
- 30 gr de maionese
- 50 gr de catchup
- 10 gr de mostarda dijon
- 20 gr de pepino em conserva finamente cortado
- 20 gr de alcaparras finamente cortadas
- 30 gr de cebola branca finamente cortada
- 5 gr de ceboulette finamente cortada
- molho inglês a gosto

Modo de preparo:
Em um bowl de inox, coloque gelo e em outro sobre o gelo coloque a carne moída, em seguida, junte todos os ingredientes e misture delicadamente, apenas para mesclar os sabores. Sirva com fritas e uma salada verde, chérie!

São Paulo
Le Vin Jardins- Alameda Tietê, 184 Tel:(11) 3081-3924
Le Vin Itaim- Rua Pais de Araújo, 137 Tel:(11) 3168-3037
Le Vin Higienópolis- Rua Armando Penteado,25 Tel:(11) 3668-7400

Rio de Janeiro
Le Vin Ipanema- Rua Barão da Torre, 490 Tel:(21) 3502-1002
Le Vin Barra- Avenida das Américas, 4666 Tel: (21) 2431-8898

Escrito por Marcelo Katsuki às 03h05

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Potinho ou tubinho?

Sabia que os caldos instantâneos estão presentes em 85% dos lares brasileiros? Eita povo que gosta de um cubinho! To chochando mas eu mesmo tenho um monte! Quando viajo 'pro estrangeiro' sempre trago, porque em alguns países fazem caldo sem o glutamato monossódico, que eu prefiro.

E depois do caldo de potinho da Knorr, agora é a vez da Maggi lançar seu caldo líquido, o primeiro do Brasil. Eu provei o da Knorr e fiquei surpreso com o aroma no potinho, visse? Parece caldo feito em casa mesmo.

O novo caldo da Maggi vem num tubinho, ou seja, você pode controlar sua dosagem. O preço sugerido ao consumidor é R$3,29. Ainda não provei, mas assim que achar no PDA vou conferir. Adoro uma novidade?

 

Escrito por Marcelo Katsuki às 02h06

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Me engana que eu gosto

Nhac, nhac. Jujuba comendo bolo de beterraba!

Que tal dar abobrinha, fígado, chuchu e beterraba pra criançada? Foi o que a Prazeres da Mesa fez numa degustação mirim às cegas. O desafio de criar pratos atraentes para a gurizada foi dado ao chef Oliver, do restaurante paulistano Chácara Santa Cecília. E não é que o fígado fez o maior sucesso?

Clique aqui para ver as receitas e mais fotos da molecada!

Escrito por Marcelo Katsuki às 20h20

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Comer mais pagando menos

Os sites de compra coletiva são a bola da vez. Quem não quer economizar nesses tempos bicudos? E agora criaram um site voltado exclusivamante para a gastronomia, o Bom Proveito.

O site faz parte do grupo Zukerman Leilões e tem quatro jovens sócios: Ivan Martinho, André Zukerman, Alexandre e Henri Zylberstajn. A oferta da vez é um cupom de 20 pratas do badalado Ping Pong que dá direito a você gastar 40 em qualquer item do cardápio, comida ou bebida. Ou seja, 50% de desconto! Dumplings gostosos e economia; vai perder?

Escrito por Marcelo Katsuki às 10h16

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Gelatina colorida

Nessa semana eu tuitei um copinho de gelatina colorida do PF aqui na frente do jornal e o povo pirou na batatinha. Afinal, quem não gosta dessa sobremesa vintage, rsrs? Daí no mesmo dia recebi essa receita também de gelatina (seria um sinal?) criada pela chef Bel Coelho, do Dui. Colorida, fácil, ótima para o Dia das Crianças, né não? Até Pedrinho faria.

Sopinha de morangos com gelatina de tutti frutti e sorvete de baunilha

(Rendimento: 6 porçoes)

Ingredientes:
4 pacotes de gelatina de frutas (abacaxi, morango, uva e limão)
2 bandejas de morangos
120 ml de água
100 gr. de açúcar
½ litro de sorvete de baunilha

Prepare as gelatinas em formas retas. Quando prontas, corte em quadradinhos. Bata o morango no liquidificador com a água e o açúcar e coe. Em um prato fundo, coloque a sopinha de morango, as gelatinas em cubos e no meio uma bola do sorvete. E faça a alegria da criançada!

Escrito por Marcelo Katsuki às 02h08

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Bora harmonizar massas com vinhos?

Participei de um bate-papo na Enoteca Fasano: "Harmonização de massas e vinhos", conduzido pela sommelière Ana Paula Oliveira e aprendi algumas coisinhas. A primeira foi que sempre tomei água sem gás crente que tava arrasando, mas a água com gás é que ajuda a limpar a gordura da língua, sendo indicada nas harmonizações.

O principal é que aquela estória de "carne vermelha com tinto e peixes com brancos" já caducou mesmo. O que vale são vinhos simples com pratos leves e vinhos complexos com pratos elaborados.

Discutimos rapidamente a Ficha Mercadini, usada para harmonizar vinho com comida através do ajuste de suas estruturas. Uma doidice! E aprendemos que vinhos leves são os com álcool inferior a 11,5%; de corpo mediano os com álcool entre 11,5 e 13% e os encorpados os com álcool acima de 13%. Acima de 15% são os vinhos fortificados.

Uma coisa que percebi: queijo combina com macarrão, queijo combina com vinho; mas na harmonização ele quase sempre estraga a festa. Sério. Acentua o álcool do vinho, interfere na harmonização e muitas vezes rouba a cena.

E uma para matar muito enochato que fica detectando bouquet em degustações de vinhos novos. Bouquet é um aroma de evolução, ou seja, vinhos com dois anos não têm bouquet, hahahaha! Mas vamos ao que interessa.

Prosecco combina com massa? A gente degustou um Prosecco di Valdobbiadene Faé 2008 Extra Dry com um Taglioline com ovos apenas cozido, sem molho. Ornou! Mas a comida abriu um pouquinho a acidez do vinho.

Agora, essa foi perfeita (e deliciosa): Tagliolini com espinafre e manteiga President com um Chardonnay Isla Negra Reserva 2009. O equilíbrio foi tanto que o álcool nem aparecia em boca. O frescor e a cremosidade combinaram perfeitamente com a untuosidade do prato.

O R Cru Classe Rose 2008 Rimauresq da Provence era maravilhoso, mas quando bateu no Tagliarelle ao molho de camarão, causou estranheza, por mais gostoso que estivesse o prato. Daí veio outra dica legal: rosés do velho mundo combinam com comida; os do novo mundo vão bem numa beira de piscina. Rosé é bom em qualquer lugar, acho festivo!

O Tagliarelle com espinafre ao molho de tomate e manjericão também caiu bem com o Chianti Fattorie Parri 2007 da Toscana. Aroma intenso mas paladar refrescante, perfeito para o prato.

Fechando, um Chianti Classico L'aura 2008 Querceto di Castellina, da Toscana, frutado, elegante, matador com o perfumado Pappardelle ao molho de linguiça toscana. Ma che, a Toscana tá na moda mesmo. É Passione?

No fim percebi que na verdade não existem regras. E que o que é perfeito para uns pode nem ser palatável para outros. Tipo, eu odiei a harmonização do rosé com o molho de camarão. Já o Gianni Tartari achou impecável. Claro que eu não vou ficar chateado se você concordar com ele, hehe.

Ah, as massas Fasano utilizadas na degustação são ótimas. Artesanais e fabricadas no Uruguai, cozinham super rápido (o tagliolini ficou pronto em 2 minutos!) e são levíssimas. A caixinha custa R$ 12,90 e aos sábado rola degustação das 12h às 15h. O pacote dá para 3 pessoas. Ou uma, dependendo da fome!

E os Bate-papos sobre Vinhos na Enoteca Fasano acontecem semanalmente sempre das 19h30 às 21h30, com no máximo 20 pessoas. Veja a programação no site.

Enoteca Fasano
R. Amauri, 255 - Jardim Europa - Oeste.
Telefone: 0/xx/11/3168-1255

MAPINHA AQUI

Escrito por Marcelo Katsuki às 19h46

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Black Eyed Peas na faixa

 

A Bacardi, patrocinadora da turnê do Black Eyed Peas, está promovendo um concurso cultural via Facebook que vai distribuir 10 pares de ingressos para o show (em S.Paulo ou Floripa) além do direito de participar da After-Party Bacardi, uma festa onde a banda ainda dá uma canjinha na cabine do DJ. Legal, né?

Clique aqui para acessar a página do concurso no Facebook e participar dessa ação criada pela agência Routerβ. Tome um mojito antes e dê uma resposta inspirada, hehe.

 

Escrito por Marcelo Katsuki às 10h56

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Grandes Comilões

A Casa do Saber apresenta a partir de amanhã o curso "Grandes Comilões" coordenado pela Rita Lobo. Quem abre a programação é o crítico da Veja São Paulo Arnaldo Lorençato, contando suas experiências pessoais e profissionais. Serão seis encontros semanais sempre às quintas-feiras, às 20h, na unidade Jardins: rua Mario Ferraz, 414 (tel. 0/xx/11/3707-8900)

Programe-se!

07 out - Encontro com Arnaldo Lorençato 

14 out - Encontro com Rogério Fasano 

21 out - Encontro com Ilan Kow 

28 out - Encontro com Ciro Lilla 

04 nov - Encontro com Nina Horta 

11 nov - Encontro com Helena Rizzo

Mais info? Aqui!

 

Escrito por Marcelo Katsuki às 10h36

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Receita ilustrada

Outro daqueles sites que fazem o dia da gente mais feliz: They Draw and Cook. Receitas práticas e gostosas, imagens inspiradoras. Como um dia bom. Acessem!

[Dica do MAC]

Escrito por Marcelo Katsuki às 09h57

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Oficina gratuita para crianças

 

 

No dia 12 de outubro, o chef e livreiro Andre Boccato vai oferecer uma oficina para as crianças na Livraria Gourmet (Rua Augusta, 2542, loja 8. Tel. 0/xx/11/3062-6454) utilizando o Kit Bolinhos Divertidos, da nova linha CookLovers.

A aula prática acontece das 10h às 16h, com duração de 30 minutos, para grupos de 12 crianças e é gratuita. Nela, as crianças aprenderão a preparar bolinhos em formato de ursinhos. Vá e divirta-se também!

 

 

 

Escrito por Marcelo Katsuki às 17h11

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Brasil mostra o seu talento!

 

 

 

Atenção alunos de cursos superiores de Gastronomia e Nutrição: a inscrição para o Talento ao Vivo, concurso que premia estudantes durante o Mesa SP, vai até o dia 12 de outubro. Serão selecionados 6 finalistas que farão a grande final no dia 20 de outubro no campus do Senac-SP durante o importante evento gastrô da Prazeres da Mesa.

Mais informações, clique aqui.
Acredita, fio!

 

 

Escrito por Marcelo Katsuki às 13h35

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Oh, diliça!

 

 

Tô besta com a belezura desse site, rapaz, não conhecia... A portuga manda bem pacas! Receitas maravilhosas, fotos para babar no teclado, e o melhor: a Europa que fala a sua língua, rs.

Flagrante delícia, as sobremesas de Leonor de Sousa Bastos. Tá adicionado!

 

[Dica da ]

Escrito por Marcelo Katsuki às 01h35

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Cerveja no café da manhã?

Poooode! A Cervejaria Bamberg lançou a cerveja Helles, conhecida como o "pão líquido da Bavária". Lá em Bamberg (ALE), às 9h da matina o povo já vai pro pub 'tomar pão', ô coisa boa. Depois vai tudo pro trabalho andando em zigue-zague.

A cerveja tem 5,0% de teor alcoólico e harmoniza com pratos pouco temperados mas também vai bem com petiscos. A temperatura ideal de consumo é entre 4ºC e 6ºC e ela está disponível como chope e em garrafas de 355 ml e 600 ml. Clique aqui para encontrar o seu 'pãozinho matinal'!

 

Escrito por Marcelo Katsuki às 16h19

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Comendo no vizinho

Gente, que fome! Tô quase ficando mal-humorado? Pudera: hoje eu almocei um queijo Minas na 'frança', lanchei um natural de ricota e acabei de jantar um sanduba de pão de miga com cenoura ralada. E achei que iria passar tranquilo por essas eleições. Tá. E agora, postar essas fotos de comida japa é de lascar, rs.

Nessa semana fiquei dois dias trabalhando em casa por conta de Zé Gotinha e aproveitei para almoçar no vizinho. Moro colado no Shin Zushi e lá tem um almoço executivo ótimo por R$ 28 pratas. Arroz, picles, sopinha, fruta e a mistura, que pode ser um filezão de frango à milanesa com molho inglês (tonkatsu) ou cozido de carne com legumes, peixe grelhado e yakisoba. Depende do dia, depende da estação (logo vão mudar o cardápio de novo).

Eis uma boa oportunidade para conhecer o Shin Zushi, famoso por seus sushis com pescados e iguarias frescas e até exóticas. Famoso também pelo preço, salgado. Já comi sushi algumas vezes lá mas não morri de amores, ainda bem. Gosto mesmo é do Tempurá, do Lámen e é claro, do executivo. Comida de mãe, preço de amigo.

Shin Zushi
R. Afonso de Freitas, 169 - Paraíso
Tel. 0/xx/11/3889-8700

MAPINHA AQUI

Escrito por Marcelo Katsuki às 23h55

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Marcelo Katsuki Marcelo Katsuki é editor de arte de Mídias Digitais da Folha, colaborador da revista sãopaulo e colunista da "Prazeres da Mesa".

BUSCA NO BLOG


TWITTER

    Twitter RSS

    ARQUIVO


    Ver mensagens anteriores
     

    Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
    em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.