Marcelo Katsuki

Comes & Bebes

 

Prateleira

A outra Callas

A outra Callas


Ontem dormi ouvindo 'La Traviata' na minha jukebox imaginária. Culpa da Maria Karogelopoulos, ou melhor, Maria Callas. Li o livro A paixão secreta de Maria Callas - histórias, receitas e sabores (Editora Mercuryo-Novo Tempo - 192 págs. - R$ 43,00) e fiz uma viagem pela carreira da diva da ópera.

O livro foi organizado por Bruno Tosi, jornalista e presidente da Associazione Culturale Maria Callas, em Veneza, e traz a história da cantora, curiosidades e muitas receitas. Receitas anotadas em pedaços de papel (de restaurantes famosos como o Harry's Bar de Veneza e o Savini de Milão) ou arrancadas de páginas de jornais e dos muitos livros que ela colecionava, cujas capas ilustram a obra. Há desde uma trivial polenta até uma delicada musse de lagosta, passando por camarões assados com queijo feta, que revelam a ascendência grega de sua família.

Os dramas amorosos e também com a balança (sim, ela foi gorda!) também estão no livro. No quesito curiosidades, fiquei surpreso ao saber que 'La Divina' se deliciava com um belo filé mal passado de 800 gramas antes de soltar o gogó no teatro Scala de Milão. Bravíssima, hehe! Minha sugestão: faça uma das muitas receitas do livro (são fáceis) e coloque a diva para tremer o som da sala; abra um bom vinho e se delicie!

Escrito por Marcelo Katsuki às 08h54

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Papel Manteiga

Papel Manteiga



Passei o feriado com meus pais. Como esses encontros se tornam cada vez mais difíceis dada a correria do dia a dia (a gente tem sempre uma desculpa), rumamos para a casa do rio. Minha mãe dedicou-se ao preparo de algumas receitas na cozinha enquanto meu pai percorria o terreno em busca de afazeres, como regar as plantas e cuidar dos peixes. Eu fiquei jogado na rede da varanda e pude assistir a um magnífico por do sol (ainda corri para pegar a câmera, mas o sol já havia sumido), enquanto lia o livro da Cristiane Lisbôa, "Papel Manteiga - para embrulhar segredos" (Editora Memória Visual - 104 páginas - R$ 19,90). Não podia ter escolhido companheiro melhor para essa viagem.

O livro traz uma série de 'cartas culinárias' da aprendiz de cozinheira Antonia para sua bisavó, escritas com muito saudosismo, onde detalha a rotina na cozinha do restaurante onde trabalha. E cada capítulo termina com uma inspirada receita da Tatiana Damberg (a Tatu), autora do impecável blog Mixirica. Você viaja nas poéticas cartas da Antônia, finaliza com as deliciosas receitas da Tatu e fica com uma vontade enorme de fazer aqueles pratos (e principalmente de comê-los).

Quando o livro acaba, dá um vazio. Você quer saber mais sobre a Antonia mas percebe que a estória é como uma boa receita: com poucos ingredientes e simples mas que deixa na boca da gente aquele gostinho de 'quero mais'.

Escrito por Marcelo Katsuki às 07h26

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Leia sem moderação

Leia sem moderação



Estou lendo 101 bares para beber antes de morrer (136 páginas - R$ 39,90 - Ediouro/Guia Quatro Rodas), que será lançado nessa segunda-feira, dia 18, às 19h, no Bar Genial (Rua Girassol, 374 - Vila Madalena - tel: 11-3812-7442).

O simpático livro dos jornalistas José Ruy Gandra, Marcelo Hessel e Gabriela Erbetta conta peculiaridades de 101 bares de 12 capitais brasileiras e outras cidades do interior e litoral. Tudo no maior bom humor, claro, bem coisa de mesa de bar.

As histórias dos botecos e seus personagens são divertidas, assim como as curiosidades que permeiam o livro. Por exemplo, você sabia que Kafka era anoréxico? Bom, eu também quase fiquei depois que li "A Metamorfose"; muito nojo daquela maçã que apodrece nas costas da 'barata'!

O livro é gostoso de ler, tem dicas de onde comer de guisado de bode a carpaccio de shitake e indicações de todo tipo de lugar para "tomar um treco". Leia, beba e viva!

Escrito por Marcelo Katsuki às 10h33

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A cozinheira das cozinheiras

A cozinheira das cozinheiras



Parece coisa antiga, e é. Achei essa preciosidade na livraria Bertrand, nas poucas horas em que estive de passagem por Lisboa. A capa já diz tudo, e o epíteto "higiene alimentar" é ótimo. Quando abri, vi que as receitas eram bem 'à minha moda', tipo: "toma-se uma galinha, desossa-se e desfia-se". Nada de lista de ingredientes; a receita segue como quem conta uma história.

Mas Rosa Maria, a autora, é das antigas mesmo e conservadora, hehe. Veja o que ela fala sobre vinhos: "Vinho, composto químico muito variável e complexo... o seu excesso, repetimos, é que pode e tem, milhares e milhares de vezes, provocado doenças mortais e a prática de crimes hediondíssimos". Agora, o que ela pensa dos destilados? "As 'bebidas brancas' têm dado aos hospitais, aos cemitérios e às prisões um contingente horroroso... Repetimos: a 'bebida branca' é um veneno... ...o uso desmedido dela serve apenas para enriquecer os hospitais de doidos, os obituários e as prisões". Depois dessa eu botei o livro na sacola e segurei firme (era o último exemplar). Achei que seria uma divertida leitura de bordo, hehe.

E sabe o que eu achei no livro? A receita de 'bacalhau à beneditine' - um dos meus pratos favoritos - mas numa versão simples e fácil de fazer. Tomem nota, pode ser uma ótima opção para impressionar o amado(a) no dia 12 (ou para fisgar o/a pretê-desavisado-morto-de-fome, hehe)!



Bacalhau à Beneditine
Cozer segundo as regras, bacalhau bem demolhado, escorrê-lo, tirar-lhe as peles e as espinhas, dividir em lascas, e secá-las no forno.
Cozer 600gr de batatas e pisá-las no almofariz juntamente com o bacalhau; juntar à massa, pouco a pouco, 2 decilitros de azeite fino e meio litro de leite fervente (a massa deve ficar mole).
Pôr num prato de ir ao forno, untado com manteiga, alisar muito bem, deitar-lhe por cima manteiga derretida e levar ao forno a corar.

Gente, esse prato vai muito bem com batata palha e arroz. Ah, azeitonas pretas na massa também ganham pontos! Para finalizar, eu indicaria um tinto português leve para acompanhar o prato, mas bebido com muita moderação, hein! Lembre-se da advertência da Rosa quanto aos vinhos, mas saiba que o único 'crime hediondíssimo' aqui seria deixar comida no prato. Dos deuses.

Escrito por Marcelo Katsuki às 23h39

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Vinho & algo mais

Vinho & algo mais



Puxa, eu nunca mais vi o Marcelo Copello, meu companheiro de viagem à Castilla y León. Mas tenho me lembrado dele com freqüência. Toda vez agora que degusto um vinho lembro da concentração dele e dos toques legais que ele me deu. Vinho é uma grande paixão, e quanto mais você se envolve, mais quer se deixar seduzir. Aquela viagem mudou muitas coisas, principalmente meu olfato. Degustar tantos vinhos de uma só vez acabou deixando-o aguçado demais para o meu bolso. E meus pobres vinhos 'de combate' estão condenados agora ao sagú, como me disse um amigo. Sagú? Que maldade, gente, dá pra fazer um 'coq au vin' ou ainda uma 'pêra ao vinho' também, hehe.

Pois é, tô aqui nesse trelelê todo e quase me esquecendo de falar o principal. Acabei de ler o livro Vinho & algo mais do Copello numa golada só! Ele cria relações do vinho com diversos temas, como vinho & música, vinho & religião, até temas divertidos como vinho & carnaval e vinho & cachorros! Sem esquecer de vinho & mulheres, afrodisíacos e erotismo. Tudo escrito de forma muito agradável, equilibrada, com taninos suaves e grande elegância, hehe. Mas nada de safras, regiões ou uvas; o livro fala da relação do vinho com o homem e seus sentimentos. Para ler e reler.

Escrito por Marcelo Katsuki às 23h35

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Brasil a dois

Brasil a dois



Li o Brasil a dois como com quem toma um shot. Esse é o problema dos livros que gosto 'de cara': devoro tudo de uma vez, e quando vejo já acabou. Muito rápido!!! E nem pude rabiscar, fazer notas ou marcar as receitas: o livro era emprestado da Jan, mas quando terminei, vi que precisava de um pra mim mesmo. Agora já escrevi, enchi de 'post it', juntei um menu, fiz 'orelhal... assim que é bom, hehe.


Foto: Leo Caobelli/Folha Imagem

O livro conta as aventuras dos chefs Sergio e Javier, os "gêmeos de ouro", em viagens pelo Brasil. Questionamentos: "que diabo é um quiabo?". Descoberta da farofa, "aquela coisa que parece areia boa". E o encontro com o 'avô' das invencionices de Adriá em pleno bairro da Liberdade (mas isso vocês terão que ler o livro para descobrir). O divertido texto é do Luiz Horta, que teve a sorte de acompanhar as peripécias dos irmãos Torres pelo país. Há alguns momentos inspiradíssimos, daqueles em que você interrompe a leitura para digerir os pensamentos, ou apenas para rir mesmo. Fechando o livro, uma série de receitas interessantes.

Há desde os clássicos da cozinha espanhola como o pão com tomate até criações 'brasileiras' dos irmãos, como jiló aperitivo com catupiri e pastel de feijoada. Exotic? Tô louco pra testar! Como podia publicar só uma receita, escolhi a de tartar de ostras com tomate cereja. Salivei!



Tartar de ostras com tomate cereja

Ingredientes
- 20 ostras
- 300 g de tomates-cerejas (20 unidades)
- azeite de oliva quanto baste
- 10 g de cebolinha verde picada
- suco de limão
- sal a gosto
- pimenta-do-reino branca, a gosto, moída na hora
- 5 g de pimenta-cumari picada

Modo de preparo
Cortar uma tampa dos tomates-cerejas. Retirar a polpa e as sementes com uma colher de café e reservar. Retirar as ostras das cascas, picar junto com as sementes e a polpa de tomates, a pimenta-cumari e a cebolinha verde. Temperar com sal, azeite de oliva, pimenta-do-reino e suco de limão. Escaldar rapidamente os tomates. Deixar esfriar, rechear com a carne das ostras temperada e servir sobre as conchas, com a abertura para baixo.

Rendimento: 20 unidades.

Agora só falta conhecer o Eñe, o badalado restaurante dos irmãos Torres ali na Mario Ferraz, 213. Mas isso vou deixar para a volta. Estou partindo hoje para uma rápida viagem de cinco dias para a... Espanha! Mas nada de 'espumas ou fumacinhas'; visitarei algumas bodegas e fábricas de jamón pelas planícies douradas do Centro da Espanha, com seus castelos medievais e culinária regional (será?). Tentarei me manter em contato. Até a volta!

Brasil A Dois - Encontro Da Gastronomia Catalã Com A Brasileira
Javier Torres Martínez e Sergio Torres Martínez
Textos e entrevistas: Luiz Horta
Editora: Senac - 171 páginas - R$ 60,00 (em média)

Escrito por Marcelo Katsuki às 10h41

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pequeno grande livro de receitas

Pequeno grande livro de receitas



Edição "de bolso" do Grande Livro de Receitas (Ediouro). Bolso??? Só se você ainda usa calça baggy (áfe!), daí sim terá um bolso à altura do 'volume' do livrinho, hehe. São mais de 600 receitas, TODAS COM FOTO (importante!), papel couchê, enfim, não cabe nem na pochete. Eu falei pochete? Calça baggy??? Jisuis!!!

Mas o livrinho é ótimo! Tem muitas receitas de bucatini (o macarrão da minha infância) e mais de 10 tipos de focaccia (pra alegria do meu amigo DFJ), sem falar de saladas, doces, carnes e risotos. Tem sempre aquelas loucurinhas tipo Sorvete de Parmesão e Sanduíche Frito que a gente também se diverte fazendo. Eu abri aleatoriamente e deu nessa página abaixo. Nostalgia, lembra do filme? Towanda!!!


Escrito por Marcelo Katsuki às 09h26

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Oriente-se

Oriente-se



As pessoas sempre me pediram indicações de restaurantes japoneses, mesmo antes de começar a escrever o blog. Certamente a fama de comilão deve ter contribuído, mas o fato é que agora talvez eu me safe um pouco desse 'trabalho'. A Editora JBC acaba de lançar o Guia de Restaurantes Japoneses 2007, em versão atualizada e totalmente revisada. A novidade é que além de São Paulo, essa edição cobre mais quatro cidades: Rio de Janeiro, Curitiba, Londrina e Maringá, onde há grande concentração de nipo-brasileiros.

Em suas 146 páginas, o livro reúne 395 restaurantes com gasto médio por pessoa, descrição dos ambientes, perfil dos frequentadores e as melhores sugestões de cada menu. Poderei até aprimorar minhas indicações daqui pra frente, hehe! Ah, o guia traz ainda 18 especialistas (esse blogueiro 'inxirido' incluso) indicando os melhores restaurantes e profissionais do Brasil em sete categorias diferentes. Sem falar da parte que conta a história da gastronomia japonesa no Brasil, do primeiro restaurante até a onda de festivais de sushi que inundaram a cidade. Recomendo!

Guia de Restaurantes Japoneses 2007
Preço: R$ 19,90
Código: ISBN 85-87679-56-2
Formato: 140x210mm

Escrito por Marcelo Katsuki às 23h10

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sabores da França

Sabores da França



Foi lançada ontem na "Prazeres ao Vivo" e hoje, em almoço na Brasserie Erick Jacquin, a revista "Sabores da França", da Maison de la France. Editada por Alain Rousseau e Erika Balbino, traz um passeio pela França gourmande com ótimas matérias.

Logo de cara, abre com uma entrevista reveladora com ninguém menos que Alain Ducasse, o mais bem-sucedido chef de cozinha da França. E fecha a edição com uma matéria onde brilham as "chefas" francesas. Diferentemente do Brasil, lá as chefs não têm tanta visibilidade, o que começa a mudar agora.

O lançamento de hoje ainda foi acompanhado por uma degustação de 12 vinhos da região da Languedoc Roussillon, harmonizados com um menu do mestre Jacquin que incluía Raviólis de Langoustines, Magret de Canard Rôti e mais 3 pratos entre queijos e sobremesas. A conversa também estava ótima (adorei viu Erika, Dori e Fernando!), mas tive que partir logo após o segundo prato (e 4 vinhos degustados), ou vocês pensam que minha vida é moleza? Vinte minutos depois já estava "ralando" na redação enquanto pensava no Fondant de chocolate que seria harmonizado com um Banyuls 2004. Ai, ai...

Ah, o melhor de tudo: a revista é distribuida gratuitamente. Mesmo para pessoas de outras cidades, basta enviar um e-mail para info.br@franceguide.com. Há um endereço na internet (http://www.franceguide.com) onde ela pode ser baixada, só não consegui localizar o botão. Se alguém achar, 'grite' nos comentários!


[Magret de canard com maçã caramelizada. Pro meu chefe é motivo de justa causa!]

Escrito por Marcelo Katsuki às 16h51

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Na rede com Ruth Reichl

Na rede com Ruth Reichl

Nada como um dia de folga para botar a cabecinha no lugar e dar uma trégua ao corpo. Aproveitei o dia preguiçoso e me joguei na rede para ler (e me deliciar) com o livro Alho e Safiras da Ruth Reichl. A autora, já conhecida por aqui por conta de seu "Conforte-me com Maçãs" volta com um livro divertido, contando as agruras e os prazeres dos tempos em que foi crítica de gastronomia do New York Times.

Para não ser reconhecida nos restaurantes, o que mudaria o tratamento recebido e comprometeria uma avaliação isenta, Ruth cria personagens, se fantasia e passa a ser esnobada e até humilhada em restaurantes badalados, como aconteceria com qualquer pessoa "normal".

O texto é gostoso de ler e as descrições dos pratos chegam a detalhes quase microscópicos, evidenciando texturas e cheiros imperceptíveis para muitos. E o que ela pensa de fato sobre um restaurante?

"Todo restaurante é um teatro, e os verdadeiramente excelentes nos permitem entregar-nos à fantasia de que somos ricos e poderosos. Até os restaurantes mais simples nos oferecem a oportunidade de nos tornarmos outras pessoas, pelo menos por um certo tempo. Restaurantes nos libertam da realidade mundana: isso faz parte do seu charme".

O divertido do livro é observar suas várias visitas aos restaurantes (fantasiada ou não) e depois conferir a crítica publicada no jornal, que encerra cada capítulo. O livro traz ainda receitas selecionadas pela autora, como as interessantes Batatas Hash Brown e Gougères, espécie de bolinho de queijo.

Alhos e Safiras - Editora: Objetiva
ISBN: 8573027835 - Ano: 2006
Número de páginas: 360

Escrito por Marcelo Katsuki às 11h26

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Lugar de criança é na cozinha!

Lugar de criança é na cozinha!



Meu primeiro livro de culinária da Annabel Karmel foi produzido para agradar às crianças nos primeiros anos de vida. É super didático: ensina através de imagens os nomes dos utensílios utilizados na cozinha e até as atividades mais comuns como sovar, derreter e amassar com a mão. As receitas são fáceis mas nem por isso menos saborosas. Rico em fotos e com projeto gráfico bem colorido, é perfeito para iniciar os pequenos na cozinha. E as receitas, como essa do bolo acima, tentadoras. Vai dizer que não deu vontade de comer esse bolo aí de cima?

Para saber mais sobre o livro ou comprá-lo, clique aqui.






O pequeno mestre-cuca da Katharine Ibbs já é um livro voltado para crianças mais experientes ou que possuem maior autonomia na cozinha. As receitas são mais sofisticadas (ensina de falafel a sushi!) e algumas já até fiz em casa, como a "Sopa oriental" e o "Frango ao curry" (devidamente testadas e aprovadas!). O projeto gráfico é bonito, tem belas fotos, surpreende os filhos e os pais também! As receitas são divididas por tópicos como matinais, entradas, pratos principais, sobremesas e até pães e bolos. Eu gosto tanto desse livro que já dei para duas pessoas, que acredito estarem se divertindo à beça com ele. O desejo de todo pequeno mestre-cuca!

Para saber mais sobre o livro ou comprá-lo, clique aqui.

Escrito por Marcelo Katsuki às 00h48

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sushi: um manual prático

Sushi: um manual prático



Acabei de ler (daquele meu jeito "scanner") o recém lançado livro do Sérgio Holzmann, Sushi: sabor milenar e ele tem dicas ótimas! Claro que vou ler e reler com calma no finde, mas de cara já vi que quanto mais a gente aprende sobre sushi, menos a gente sabe. O livro não traz receitas, mas também quem consegue fazer um bom sushi seguindo receita? Sushi é coisa séria! Além do que, como diz Alex Atala, "o que transforma uma simples receita num prato excepcional é a compreensão", e é disso que o livro trata.

Você sabia por exemplo que o "gari", aquela conserva de gengibre, só deve ser comida com sushi e nunca com sashimi? E que ao término da refeição, o pratinho de shoyu deve estar tão limpo como antes de ser usado, sem aquela piscina de wasabi que a gente faz? Dicas de etiqueta, história, tipos de sushis, acompanhamentos, bebidas, indicações de leitura e até superstições são contadas no livro. Sem falar das belas fotos do Claudio Wakahara. Hmmm, deu fome!

Para comprar o livro, clique aqui.

Sushi: Sabor Milenar
Sérgio Neville Holzmann
1a. edição, 2006 - 180 páginas - Publifolha

Escrito por Marcelo Katsuki às 21h22

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O balaio de sabores do Carlota

O balaio de sabores do Carlota



Acabei de ler (na verdade "devorar") o livro "Carlota - Balaio de Sabores" da chef Carla Pernambuco. O texto de introdução de Ricardo Freire é delicioso e traduz todo o espírito do restaurante; impossível não bater aquela vontade de correr pra lá e matar as saudades dos rolinhos, do camarão crocante e do suflê de goiaba que fizeram a fama do lugar. E são exatamente essas receitas que abrem o livro.

Sempre dou uma passada nas receitas do "Comidas Favoritas", outro livro da Carla que considero uma bíblia do bom gosto no melhor sentido da palavra. Mas ela estava devendo um livro como o "Balaio", cheio de fotos que deixam a gente com água na boca a cada virada de página.

Depois de viajar pela comida de diversos países, pincelar receitas práticas, leves e saudáveis, festivas e saudosistas, o livro encerra com o melhor da cozinha: a raspa do tacho. No melhor estilo "bônus", a autora apresenta aquelas receitas que todos "precisam" ter: de alho assado, caldos e molhos básicos, "roux", chimichurri e até vinagrete de shoyu. Pra dar aquela última lambidela no balaio com gosto!


Petit Gâteau de doce de leite
(8 porções)

200 g de doce de leite pastoso
100 g de manteiga
60 g de açúcar
40 g de farinha de trigo
2 gemas
2 ovos

Preparo
Leve o doce de leite e a manteiga ao microondas para derreter, misture bem para homogeneizar a mistura. Adicione os ovos e as gemas e misture bem. Incorpore a farinha e o açúcar peneirados.
Unte as forminhas com manteiga e farinha e coloque a massa.
Asse em forno preaquecido (200ºC), por 10 minutos.

Receita extraída do livro "Carlota Balaio de Sabores" de Carla Pernambuco (redação de Eduardo Logullo) com autorização da Companhia Editora Nacional Fotografias: Fernando Pernambuco e Rômulo Fialdini. 2006. São Paulo

Escrito por Marcelo Katsuki às 19h23

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Gato por lebre

Gato por lebre



Ganhei um livro ótimo de um amigo: Carnes Nobres. Na verdade foi mais um deboche da parte dele, pois uma vez em uma churrascaria ficamos eu e o maître falando de "carnes nobres" e ele achou engraçado. Agora sempre me imita, repetindo sem parar "carrrrrnes nobrrrres, carrrrrnes nobrrrres", eu mereço!

Mas voltando ao livro, o título é "Transformando Carnes de Segunda em CARNES NOBRES". Genial! O autor Ricardo Penna é um especialista em carnes, tendo já escrito "Alquimia do Churrasco". Nesse novo livro ele conta curiosidades como a ascenção da "fraldinha" (minha carne favorita), ensina uma técnica inovadora que ele chama de "preparo racional", onde a carne fica mais saborosa e com menos gordura. Ricardo mostra como preparar o "bombom", maturar a carne, e fala ainda de ervas e temperos.

E claro, traz mais de 200 receitas de "transformação" da carne de segunda, divididas conforme o modo de preparo. Considerando-se o alto preço do filé, nada como dar um truque naquele músculo e transformá-lo num "falso" Chateaubriand. Divertido!

Escrito por Marcelo Katsuki às 09h48

Comentários (Comente) | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Marcelo Katsuki Marcelo Katsuki é editor de arte de Mídias Digitais da Folha, colaborador da revista sãopaulo e colunista da "Prazeres da Mesa".

BUSCA NO BLOG


TWITTER

    Twitter RSS

    ARQUIVO


    Ver mensagens anteriores
     

    Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
    em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.